Um é Pouco, Dois é Bom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um é Pouco, Dois é Bom
 Brasil
1970 •  preto e branco •  97 min 
Direção Odilon Lopez
Produção Odilon Lopez
Roteiro Odilon Lopez

Luis Fernando Verissimo

Baseado em Luis Fernando Verissimo
Elenco Araci Esteves

Odilon Lopez

Francisco Silva

Amélia Bittencourt
Eduardo Braul
Vânia Brown
Carlos Carvalho
Luiz Fernando
Abraão Gabinski
Angela Grossier
Margarida Linera
Luiz Carlos Magalhães
César Magno
Eny Neves
Jorge Rosa

Gênero Drama
Música Flávio de Oliveira
Direção de arte Luiz C. Cena
Direção de fotografia Roland Henze
Edição Waldemar Noya
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

Um é Pouco, Dois é Bom é um filme de drama brasileiro, de temática urbana, produzido e filmado no Rio Grande do Sul, mais precisamente em Porto Alegre, em 1970. A obra é dividida em duas partes que contam com diferentes núcleos de personagens e estruturas narrativas independentes. Foi o primeiro longa-metragem brasileiro assinado por um diretor negro.[1], Odilon Lopez. E é o único filme dirigido por ele.[2] O cineasta é também o criador da concepção do roteiro enquanto os diálogos ficam por conta de Luís Fernando Verissimo[3].

O filme relata os hábitos e costumes da classe média de Porto Alegre no início dos anos 70, bem como os conflitos financeiros da realidade em que estão inseridos. Faz parte de um importante movimento do cinema gaúcho que contempla uma nova fase de abordagem dos personagens, rompendo com o esteriótipo do gaúcho bucólico e trazendo uma nova imagem à tona; o Gaúcho Urbano[4] . O longa busca, em contrafluxo, fugir do gauchismo predominante em 1970 desfocando-se do cenário dos pampas e ampliando-o à novos horizontes, como a cidade grande e o litoral.[5] A obra do cineasta é considerada, portanto, precursora do cinema urbano gaúcho.[6] Dividida em dois episódios: Com Um Pouquinho de Sorte[7] e Vida Nova por Acaso[8], conta com a atuação de Araci Esteves, Francisco Silva e o próprio diretor.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O episódio conta a história de um casal modelo da classe média. A mulher trabalha como comerciante e o marido, mutuário do Banco Nacional da Habitação. O enredo gira em torno da crise pela qual passa o casal após o marido ser demitido não conseguindo assim pagar pela casa em que vivem concomitantemente com a recém chegada de seu primeiro filho.

Já o segundo episódio conta a história de dois ladrões recém libertos e suas peripécias nada bem sucedidas. Um deles apaixona-se perdidamente por uma loira de alta classe social envolvendo no filme um amor platônico. [9]
Motivados pela busca do reconhecimento da sociedade gaúcha, tentam sobreviver e permanecer longe do encarceramento. Sem êxito, voltam para o presídio.

Produção[editar | editar código-fonte]

O projeto foi desenvolvido em Porto Alegre - RS. O material original foi captado em película 35mm, colorido. O rolo de Eastmancolor do longa metragem possui 2660 metros, rodado em 24 quadros por segundo.[10] O filme conta com a assistência da produtora Cinematográfica Super Filmes Ltda e produção de Odilon Lopez.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Protagonistas Com Um Pouquinho de Sorte Vida Nova por Acaso
Araci Esteves[11] - Maria Amélia Bittencourt Vânia Brown - Gênio
Odilon Lopez - Crioulo Eduardo Braul - Capotagem Angela Grossier
Francisco Silva[12] - Magrão Carlos Carvalho - Jorge Margarida Linera - Endoncina
Luiz Fernando Eny Neves
Abraão Gabinski Jorge Rosa
Luiz Carlos Magalhães
César Magno

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Odilon Lopez
Diretor Escritor Produtor Ator
Um é Pouco, Dois é Bom (1970) [13] Um é Pouco, Dois é Bom(1970) Um é Pouco, Dois é Bom(1970) O Velho do Saco (1999)
Um é Pouco, Dois é Bom(1970)
Coração de Luto (1967)
Agüenta o Rojão (1958)
No Mundo da Lua (1958)

Música Compositor ou Intérprete

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Com Um Pouquinho de Sorte
Marcha nupcial Félix Mendelsson
Prelude to a kiss Duke Ellington
Smiling phases B.S.T.
I put a spell on you Nina Simone
Dança Tielmann Susato

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cinema Negro». Consultado em 24 de junho de 2015 
  2. «Odilon Lopez - IMDb». Consultado em 24 de junho de 2015 
  3. «Luis Fernando Verissimo - IMDb». Consultado em 24 de junho de 2015 
  4. «Nelson Nadotti e a Invenção do Gaúcho Urbano». Consultado em 24 de junho de 2015 
  5. «Espaços do Cinema Gaúcho». Consultado em 24 de junho de 2015 
  6. «O Pampa Vai Virar Mar». Consultado em 24 de junho de 2015 
  7. «Com Um Pouquinho de Sorte - Cinemateca Brasileira». Consultado em 24 de junho de 2015 
  8. «Vida Nova por Acaso - Cinemateca Brasileira». Consultado em 24 de junho de 2015 
  9. «O negro no cinema brasileiro de ficção= 24 de junho de 2015» 
  10. «Um é Pouco, Dois é Bom - Cinemateca Brasileira». Consultado em 24 de junho de 2015 
  11. «Araci Esteves - IMDb». Consultado em 24 de junho de 2015 
  12. «Francisco Silva - IMDb». Consultado em 24 de junho de 2015 
  13. «Um é Pouco, Dois é Bom - IMDb». Consultado em 24 de junho de 2015 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]