Um Sol Maior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um Sol Maior
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Criador(es) Teixeira Filho
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Edson Braga
Waldemar de Moraes
Elenco Rodolfo Mayer
Laura Cardoso
Paulo Goulart
Marco Nanini
Zanoni Ferrite
Carlos Eduardo
Sandra Barsotti
Lisa Vieira
Denise Del Vecchio
Jonas Mello
e grande elenco.
Tema de abertura Um Sol Maior - The Orizon Orchestra
Tema de encerramento Um Sol Maior - The Orizon Orchestra
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Tupi
Transmissão original 2 de maio de 1977 - 22 de outubro de 1977
N.º de episódios 150
Cronologia
O Julgamento
O Profeta

Um Sol Maior é uma telenovela brasileira produzida pela extinta Rede Tupi e exibida de 2 de maio a 22 de outubro de 1977[1].

Foi escrita por Teixeira Filho e dirigida por Edson Braga, Henrique Martins e Waldemar de Moraes.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Interior do estado do Paraná, anos 30. Para lá se dirigiu um rico imigrante italiano, Giácomo Nerone, para criar aquela que seria uma das maiores fazendas da região. Giácomo manda vir da Itália um engenheiro agrícola conhecido seu, Mário D'Angelo, pobre mas ambicioso e sem escrúpulos. Após ter sido mordido por uma cobra, Giácomo morre sem ter sido socorrido por Mário. Morto o fazendeiro, ele o enterra e assume sua identidade. Feito isso, avisa sua própria família na Itália que Mário D'Angelo é que havia morrido.

Depois de assumir falsa identidade, Mário - ou melhor, Giácomo - progride, casa, fica milionário e tem um filho: Mário, músico idealista sem sucesso na carreira e pobre. A vocação artística de Mário não tem a aprovação do pai. Por isso ele é repudiado abandonando o conforto do lar paterno e mudando-se para São Paulo, onde, durante anos seguidos, sobrevive como violinista.

Os anos passam, Mário se casa e precariamente sustenta uma família que herdou a ambição desmedida de seu pai. Diante das pressões que sofre, ele abandona o sonho de reger uma grande orquestra e vai dirigir uma das firmas de sua família.

A essa altura dos acontecimentos surgem duas pessoas que vão remexer o passado e descobrir a verdadeira identidade de Giácomo Nerone: o delegado Rangel, e Luigi, parente do "falecido" Mário D'Angelo, que acaba de chegar da Itália.

Elenco[2][editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Internacional[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde dezembro de 2009).
  • Após o sucesso de Ídolo de Pano em horário nobre, a Tupi encomendou a Teixeira Filho uma nova trama para a faixa. Só que dessa vez a repercussão não foi a mesma.
  • A novela começou sendo dirigida por Edison Braga. Quando este se afastou, Henrique Martins foi convocado e dirigiu provisoriamente até que Waldemar de Moraes assumisse a direção.

Referências

  1. «Um sol Maior». Teledramaturgia. 12 de setembro de 2015. Consultado em 23 de abril de 2016 
  2. «Um Sol Maior». Teledramaturgia. Consultado em 16 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]