Uma Sinfonia Alpina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Eine Alpensinfonie (Uma Sinfonia Alpina), Op. 64, é um grande poema sinfônico composto por Richard Strauss entre 1911 e 1915.

O programa ilustra uma excursão de um dia subindo os Alpes Bávaros, recordando na magistral orquestração a experiência duma escalada realizada pelo próprio compositor quando ele tinha catorze anos. A música cumpre um programa (expressa em partes) narrado pelo compositor: neste caso, a subida a um pico do Alpes Bávaros e o retorno ao vale.

Uma execução típica dura em torno de quarenta e cinco minutos.

O compositor lançou mão de toda a variedade cromática da orquestra para transmitir as impressões que lhe produzem cada um dos momentos vividos e das situações passadas na subida. Richard faz nesta obra um uso exclusivo do leitmotiv, associando cada um dos elementos presentes (noite, sol, chuva,...) a um tema musical.

O compositor considerava esta peça musical como o seu mais perfeito trabalho de orquestração, que inclui até máquinas que produzem sons de trovões. Os primeiros esboços datam de 1911. Em 1914, Richard Strauss dedicou-se com mais intensidade a essa obra e, após 100 dias de muito trabalho, a partitura foi concluída em 8 de fevereiro de 1915.

A primeira execução da obra foi no dia 28 de outubro de 1915, com a Orquestra de Dresden, em Berlim, sob a regência do próprio compositor.

Partes[editar | editar código-fonte]

A Sinfonia Alpina está dividida em 23 partes, ligadas entre si, sem nenhuma interrupção:

  • 1. Noite;
  • 2. O nascer do sol
  • 3. A ascensão
  • 4. Entrada na floresta;
  • 5. Caminhando às margens do regato;
  • 6. A queda d'água;
  • 7. Aparição;
  • 8. Nos prados floridos;
  • 9. Nos pastos;
  • 10. Perdido na espessura;
  • 11. Na geleira;
  • 12. Momentos perigosos;
  • 13. O cume;
  • 14. Visão;
  • 15. Aparecem nuvens;
  • 16. O sol se escurece pouco a pouco;
  • 17. Elegia;
  • 18. Calma antes da tormenta;
  • 19. Temporal e tempestade;
  • 20. A descida;
  • 21. O pôr-do-sol;
  • 22. Ressonâncias;
  • 23. Noite.

Primeiras gravações[editar | editar código-fonte]

O próprio Richard Strauss assumiu a regência da Orquestra Estadual da Bavária, nos trabalhos da primeira gravação da Sinfonia Alpina, em 1941. Ele utilizou a orquestra inteira, conforme indicado na partitura. Esta gravação foi, mais tarde, transferida para LP, e, depois, para CD. Mas, a Sinfonia Alpian tornou-se popular mesmo, através do registro feito pela Staatskapelle Dresden (Orquestra Estadual de Dresden), sob a regência de Karl Böhm, em 1957.

Discografia sugerida[editar | editar código-fonte]

Regente Orquestra Ano de gravação Selo Número de catálogo
Richard Strauss Bavarian State Orchestra 1941 Preiser Records 90205
Karl Böhm Staatskapelle Dresden 1957 Deutsche Grammophon 463190
Rudolf Kempe Staatskapelle Dresden 1971 EMI Classics 64350
Zubin Mehta Los Angeles Philharmonic Orchestra 1975 Decca 470954
Georg Solti Bavarian Radio Symphony Orchestra 1979 London/Decca 440618
Herbert von Karajan Berliner Philharmoniker 1981 Deutsche Grammophon 439017
Bernard Haitink Royal Concertgebouw Orchestra 1985 Philips 416156
Herbert Blomstedt San Francisco Symphony 1988 Decca 421815
Edo de Waart Minnesota Orchestra 1989 Virgin Classics 61460
Zubin Mehta Berlin Philharmonic 1989 Sony 45800
André Previn Vienna Philharmonic Orchestra 1990 Telarc 80211
Lorin Maazel Bavarian Radio Symphony Orchestra 1998 RCA 63265
Antoni Wit Staatskapelle Weimar 2006 Naxos 8.557811
Mariss Jansons Royal Concertgebouw Orchestra 2007 RCO Live 8006