Umasvati

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Umaswati, também conhecido como Umaswami, era um estudioso indiano jainista do primeiro milênio d.C., possivelmente do segundo século, e tendo como discípulo principal Acharya Kundakunda.[1][2] Umaswati é autor do texto jain Tattvartha Sutra (literalmente "Tudo Que É", também chamado Tattvarthadhigama Sutra).[3] O trabalho de Umaswati foi o primeiro texto de filosofia Jain em sânscrito, e é o mais antigo texto existente abrangente de filosofia Jain aceito como tal por todas as quatro tradições Jain.[4][5][6] Seu texto tem a mesma importância no jainismo que o Vedanta Sutras e Yogasutras tem no Hinduísmo.[2][4]

Umaswati é reivindicado como próprio por ambas as seitas do jainismo, Digambara e Śvētāmbara.[4][7] Com base na sua genealogia, também foi chamado Nagaravachka. Umaswati foi influente não só no jainismo, mas também outras tradições indianas ao longo dos séculos. Do 13° a 14° século. Madhvacharya, fundador da escola Dvaita Vedanta de filosofia hindu, por exemplo, refere-se a Umaswati em suas obras como Umasvati-Vachakacharya.[8]

Referências

  1. Jain 2011, p. vi.
  2. a b Umāsvāti 1994, p. xiii.
  3. Umāsvāti 1994, p. xi–xiii.
  4. a b c Jones & Ryan 2007, pp. 439–440.
  5. Umāsvāti 1994, p. xi–xiii, Citação: "That Which Is, known as the Tattvartha Sutra to Jains, is recognized by all four Jain traditions as the earliest, most authoritative and comprehensive summary of their religion."; Tradução " "Aquilo que é", conhecido como o Tattvartha Sutra para jainistas, é reconhecido por todas as quatro tradições Jain como o mais antigo resumo, mais autoritário e abrangente de sua religião.”
  6. Paul Dundas (2006). Patrick Olivelle, ed. Between the Empires : Society in India 300 BCE to 400 CE. Oxford University Press. pp. 395–396. ISBN 978-0-19-977507-1.
  7. Jaini 1998, p. 82.
  8. Vidyabhusana 1920, pp. 168–69.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]