Ummagumma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ummagumma
Álbum de estúdio (estúdio e ao vivo) de Pink Floyd
Lançamento Novembro de 1969
Gravação Abril, Maio e Julho de 1969
Gênero(s) Rock Experimental, Rock Psicodélico, Música Concreta, Música Ambiente, Música Aleatória, Música de Vanguarda, Rock Instrumental, Space Rock
Duração 86:11
Gravadora(s) Harvest Records (RU)
Capitol Records (Estados Unidos)
Produção Pink Floyd e Norman Smith
Cronologia de Pink Floyd
Último
Music from the Film More
(1969)
Atom Heart Mother
(1970)
Próximo

Ummagumma é o quarto álbum de estúdio da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd. É um álbum duplo e foi lançado em 25 de Outubro de 1969 pela editora Harvest Records, no Reino Unido, e pela Capitol Records internacionalmente. O primeiro disco é uma gravação ao vivo que contém parte das músicas que o grupo tocava na época, enquanto que o segundo disco contém músicas compostas por cada membro. O trabalho gráfico foi elaborado pela colaboradora habitual do Pink Floyd, a Hipgnosis, e inclui várias imagens da banda combinadas para dar um efeito Droste.[1][2][3]

Apesar de o álbum ter sido bem recebido na altura da sua comercialização, e de ter chegado ao top cinco das tabelas de venda do Reino Unido, o próprio grupo não o vê como um bom trabalho, opinião expressa em entrevistas. Ainda assim, o álbum já foi editado em CD por diversas vezes, em simultâneo com o resto dos seus trabalhos.

Título do álbum[editar | editar código-fonte]

O título do álbum terá origem no calão de Cambridge para o termo "sexo",[4][5] utilizado pelo amigo e, por vezes, roadie, da banda, Iain "Emo" Moore, que dizia "Vou até casa para algum ummagumma". Segundo Moore, ele terá sido o inventor da palavra.[6]

Composição e gravação[editar | editar código-fonte]

Local do Mothers Club, Birmingham, onde algumas partes do álbum ao vivo foram gravadas.

Apesar de as notas incluídas no folheto do disco registem que o material ao vivo foi gravado em Junho de 1969, o álbum ao vivo Ummagumma foi gravado ao vivo no Mothers Club, em Birmingham, no dia 27 de Abril de 1969, e na semana seguinte no Colégio Comercial de Manchester em 2 de Maio do mesmo ano como parte da digressão The Man and The Journey Tour.[7][8] A banda também gravou uma versão ao vivo de Interstellar Overdrive (do álbum The Piper at the Gates of Dawn) com a intenção de a colocar no lado A do álbum ao vivo, e The Embryo, a qual foi gravada no estúdio antes de ser decidido que cada membro do grupo participaria com uma música de sua autoria.[7]

O álbum de estúdio surge do facto de Richard Wright querer produzir "música verdadeira", onde cada um dos quatro membros da banda (Wright, Roger Waters, David Gilmour e Nick Mason) teria metade de um dos lados do álbum disponível para criar um trabalho a solo sem o envolvimento dos outros.[7] A composição de Wright foi designada por Sysyphus, uma figura da mitologia grega, habitualmente escrita como "Sisyphus",[9] e incluía uma combinação de vários teclados como piano e mellotron. Apesar de se ter mostrado, de início, motivado para compor uma música a solo,[10] Wright descreveria-a como "pretensiosa".[7] A música de Waters Several Species of Small Furry Animals Gathered Together in a Cave and Grooving with a Pict contém variações vocais[11] e efeitos de percussão, trabalhados a várias velocidades, tanto para trás como para a frente, e foi influenciada por Ron Geesin,[11] que mais tarde colaboraria com Waters e os Pink Floyd. A outra contribuição de Waters, Grantchester Meadows, era um tema acústico pastoral e habitualmente tocado na abertura dos concertos em 1969.[12] Gilmour mostrou-se apreensivo sobre compor uma música a solo, e reconheceu que "entrou num estúdio a falar pelos cotovelos, e a juntar partes de músicas",[13] apesar de a primeira parte de The Narrow Way já tivesse sido tocada como Baby Blue Shuffle in D Major na sessão de rádio da BBC em Dezembro de 1968.[14] Gilmour disse que "só tinha feito disparates" ao longo da música.[7] Pediu a Waters para escrever algumas letras para a sua composição, Waters recusou.[7] A música de Mason, The Grand Vizier's Garden Party, tinha a participação da sua esposa na altura, a tocar flauta,[11] e um solo de bateria de Mason.[7]

Capa e contracapa do álbum[editar | editar código-fonte]

Ummagumma foi o primeiro álbum dos Pink Floyd com a etiqueta da Harvest. A capa do álbum mostra os membros do grupo com o efeito Droste, com uma imagem pendurada na parede mostrando a mesma cena, mas com os quatro membros da banda em posições diferentes.[8] A capa do LP original teve diferentes imagens consoante se tratasse da edição britânica, americana/canadiana ou australiana. A versão britânica apresenta o álbum Gigi encostado à parede por cima das letras "Pink Floyd".[8] Numa palestra na livraria Borders em Cambridge, em 1 de Novembro de 2008, parte do projecto "City Wakes", Storm Thorgerson explicou que o álbum foi introduzido como um red herring para dar origem ao debate, e que não tem qualquer significado. Em muitas cópias das edições americana e canadiana, a capa com Gigi foi enquadrada num fundo branco, talvez por questões de copyright; contudo, as primeiras cópias americanas têm a capa de Gigi,[15] and it was restored for the American remastered CD edition. Na edição australiana, a capa de Gigi foi retocada na totalidade, sem deixar um quadrado branco atrás. A casa utilizada na capa do álbum fica situada em Great Shelford, perto de Cambridge.[16]

Na contracap, o roadie Alan Styles (que também aparece em Alan's Psychedelic Breakfast) e Peter Watts surgem com o equipamento da banda na pista do Aeroporto de Biggin Hill Airport. O conceito foi sugerido por Mason, com a intenção de copiar os desenhos comuns na época de destroços de aeronaves militares e da sua carga.[8]

Os títulos das músicas na contracapa estão dispostos de forma ligeiramente diferente entre as versões britânicas e norte-americanas; a diferença mais significativa é a inclusão de legendas nas quatro secções de A Saucerful of Secrets. Estas legendas apenas aparecem nas versões americanas e canadianas do álbum; tanto na edição britânica como na impressão original de A Saucerful of Secrets, elas não estão presentes.[17]

O grafismo do interior do álbum mostram fotografias a preto-e-branco dos membros do grupo. Gilmour está de pé junto do Elfin Oak. As versões originais em vinil mostram Waters com a sua primeira esposa, Judy Trim, mas na maioria das versões em CD, ela foi retirada das fotografias (com a legenda original "Roger Waters (and Jude)" alterada para apenas "Roger Waters"). Na produção da caixa com os doze álbuns dos Pink Floyd, Oh, by the Way, a fotografia original foi reposta.[8]

Comercialização de Ummagumma[editar | editar código-fonte]

Ummagumma foi comercializado no Reino Unido e nos Estados Unidos em 25 de Outubro de 100 de Novembro de 1969, respectivamente. Chegou ao 5.º lugar das vendas no Reino Unido[18] e a número 74 nos Estados Unidos, marcando o momento em que o grupo entrou para o top 100 naquele país.[19] O álbum chegou a disco de ouro nos Estados Unidos em Fevereiro de 1974, e a platina em Março de 1994. As versões americanas da cassette apenas incluem Astronomy Domine do conjunto de músicas ao vivo, omitindo as outras três.[20] Em 1987, o álbum foi reeditado num conjunto de dois CD. Uma outra versão digital foi lançada em 1994.[21]

Em 2009, para assinalar o 40.º aniversário do lançamento do álbum, Thorgerson vendeu um número limitado de litografias autografadas da capa.[22]

Recepção e crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3.5 de 5 estrelas.[23]
The Daily Telegraph 3 de 5 estrelas.[24]
The Great Rock Discography 7/10[25]
MusicHound 2.5/5[26]
Paste 5.0/10[27]
The Rolling Stone Album Guide 2.5 de 5 estrelas.[28]
Sputnikmusic 4/5[29]
Virgin Encyclopedia of Popular Music 3 de 5 estrelas.[25]

Aquando do seu lançamento, Ummagumma recebeu críticas positivas.[10][11] Os International Times foram particularmente positivos acerca do álbum ao vivo, com o crítico a descrevê-lo como "provavelmente a melhor gravação ao vivo que já ouvi".[30] A Vox incluiu o disco ao vivo na sua lista de "The Greatest Live Albums Ever".[25] A Stylus Magazine teve uma reacção muito favorável ao álbum, afirmando que a gravação ao vivo é "como um documento visceral da fase inicial atmosférica e enérgica dos [Pink] Floyd; não há nada assim" e que o disco de estúdio "transcende, de alguma forma, a sua construção fracturada, fazendo dele um álbum completo".[31]

No entanto, o grupo tem sido muito crítico sobre o seu próprio álbum. Falando mais tarde deste trabalho, Waters disse: "Ummagumma – que desastre!",[32] enquanto que, em 1995, Gilmour o descreve como "horrível".[33] Numa entrevista em 1984, Mason disse: "Pensei que era um pequeno e muito interessante exercício, em que todos fazem uma parte. Mas continuo a pensar que é um bom exemplo em que a soma é melhor do que as partes …"[34] Mais tarde, ele descreve o álbum como "uma experiência falhada", acrescentando que "o mais significativo é que nunca mais o repetimos".[35]

A Paste, ao analisar a reedição de 2011, descreve o álbum como "o pior exemplo dos excessos do rock", apesar de o crítico ter sido positivo na versão ao vivo de Careful with that Axe, Eugene.[27] Robert Christgau sugeriu que as "melodias hipnóticas" do álbum fazem dele "um admirável trabalho para adormecer".[36]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição em LP Duplo[editar | editar código-fonte]

Disco 1 - álbum ao vivo
Lado 1
N.º Título Data da gravação Duração
1. "Astronomy Domine" (Syd Barrett) 27 de Abril de 1969 8:32
2. "Careful with That Axe, Eugene" (Roger Waters, Richard Wright, Nick Mason, David Gilmour) 2 de Maio de 1969 8:49
Duração total:
17:21
Lado 2
N.º Título Data da gravação Duração
3. "Set the Controls for the Heart of the Sun" (Waters) 2 de Maio de 1969 9:27
4. "A Saucerful of Secrets" (Waters, Wright, Mason, Gilmour) 27 de Abril de 1969 12:48
Duração total:
22:15
Disco 2 – álbum de estúdio
Lado 3
N.º Título Duração
1. "Sysyphus (Parts 1–4) [nota 1]" (Wright) 13:28
2. "Grantchester Meadows" (Waters) 7:26
3. "Several Species of Small Furry Animals Gathered Together in a Cave and Grooving with a Pict" (Waters) 4:59
Duração total:
25:53
Lado 4
N.º Título Duração
4. "The Narrow Way (Parts 1–3)" (Gilmour) 12:17
5. "The Grand Vizier's Garden Party (Part 1: Entrance; Part 2: Entertainment; Part 3: Exit)" (Mason) 8:46
Duração total:
21:03

Edição em cassette no Reino Unido[editar | editar código-fonte]

Lado 1
N.º Título Duração
1. "Sysyphus"    
2. "Astronomy Domine"    
3. "Grantchester Meadows"    
4. "Several Species of Small Furry Animals Gathered Together in a Cave and Grooving with a Pict"    
5. "Careful with That Axe, Eugene"    
Lado 2
N.º Título Duração
6. "The Narrow Way"    
7. "Set the Controls for the Heart of the Sun"    
8. "The Grand Vizier's Garden Party"    
9. "A Saucerful of Secrets"    

Edição em cassette nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Lado 2
N.º Título Duração
1. "Astronomy Domine"    
2. "The Narrow Way: Parts I, II, III"    
3. "Grantchester Meadows"    
Lado 2
N.º Título Duração
4. "Several Species of Small Furry Animals Gathered Together in a Cave and Grooving with a Pict"    
5. "Sysyphus: Part I, II, III, and IV"    
6. "The Grand Vizier's Garden Party: Part I: Entrance, Part II: Entertainment, and Part III: Exit"    

Edição em CD[editar | editar código-fonte]

Versão em CD version: disco 1 (ao vivo)
N.º Título Duração
1. "Astronomy Domine"   8:29
2. "Careful with That Axe, Eugene"   8:50
3. "Set the Controls for the Heart of the Sun"   9:26
4. "A Saucerful of Secrets"   12:48
Versão em CD: disco 2 (estúdio)
N.º Título Duração
1. "Sysyphus (Part 1)"   1:08
2. "Sysyphus (Part 2)"   3:30
3. "Sysyphus (Part 3)"   1:49
4. "Sysyphus (Part 4)"   6:59
5. "Grantchester Meadows"   7:19
6. "Several Species of Small Furry Animals Gathered Together in a Cave and Grooving with a Pict"   5:01
7. "The Narrow Way (Part 1)"   3:25
8. "The Narrow Way (Part 2)"   2:54
9. "The Narrow Way (Part 3)"   5:51
10. "The Grand Vizier's Garden Party (Part 1: Entrance)"   1:00
11. "The Grand Vizier's Garden Party (Part 2: Entertainment)"   7:06
12. "The Grand Vizier's Garden Party (Part 3: Exit)"   0:38

Créditos[editar | editar código-fonte]

Participação especial:

Citações[editar | editar código-fonte]

  • "O que é que te inspirou para fazeres The Narrow Way em Ummagumma, a tua primeira grande composição para os Floyd?"
  • ”Bem, nós tínhamos decidido fazer o álbum, e que cada um teria que escrever uma peça de música sozinho...na verdade foi um desespero, tentar escrever algo sozinho, pois eu nunca tinha escrito nada antes. Fui para o estúdio e pus-me a tocar, juntando bocadinhos e peças. Há anos que não a ouço, nem faço ideia como é.” – David Gilmour - Sounds "Guitar Heroes" Magazine, Maio de 1983.

Notas

  1. Em compact disc, a parte 1 foi dividida em duas metades, com a designação Part I e Part II. Assim, a parte dois torna-se em Part III, enquanto as partes três e quatro passam a Part IV.

Referências

  1. «"Ummagumma"». Rolling Stone. Consultado em 24 de janeiro de 2015. 
  2. «45 Years Ago: Pink Floyd Tries to Find Its Way With ‘Ummagumma’». Ultimate Classic Rock. Consultado em 24 de janeiro de 2015. 
  3. «Ummagumma - Pink Floyd». Allmusic. Consultado em 24 de janeiro de 2015. 
  4. Schaffner, Nicholas (2005). Saucerful of Secrets: The Pink Floyd Odyssey New ed. (London: Helter Skelter). p. 157. ISBN 1-905139-09-8. 
  5. Manning, Toby (2006). The Rough Guide to Pink Floyd 1st ed. (London: Rough Guides). p. 160. ISBN 1-84353-575-0. 
  6. Blake, Mark. Comfortably Numb: The Inside Story of Pink Floyd Da Capo Press Inc [S.l.] p. 137. ISBN 978-0306817526. Consultado em 12 October 2012. 
  7. a b c d e f g Schaffner, Nicholas (2005). Saucerful of Secrets: The Pink Floyd Odyssey New ed. (London: Helter Skelter). p. 156. ISBN 1-905139-09-8. 
  8. a b c d e Mabbett 2010, p. 160.
  9. Mabbett, Andy (1995). The Complete Guide to the Music of Pink Floyd (London: Omnibus Press). p. 27. ISBN 0-7119-4301-X. 
  10. a b Mason, Nick (2011) [2004]. Philip Dodd, : . Inside Out – A Personal History of Pink Floyd Paperback ed. Phoenix [S.l.] p. 129. ISBN 978-0-7538-1906-7. 
  11. a b c d Manning, Toby (2006). The Rough Guide to Pink Floyd 1st ed. (London: Rough Guides). p. 161. ISBN 1-84353-575-0. 
  12. Mason, Nick (2011) [2004]. Philip Dodd, : . Inside Out – A Personal History of Pink Floyd Paperback ed. Phoenix [S.l.] p. 130. ISBN 978-0-7538-1906-7. 
  13. Fielder, Hugh (2013). Pink Floyd: Behind the Wall. (via Google Books} Race Point Publishing [S.l.] p. 48. 
  14. «BBC – Radio 1 – Keeping It Peel – 02/12/1968 Pink Floyd». bbc.co.uk. Consultado em 12 October 2012. 
  15. Umphred, Neil (1994). Goldmine's Price Guide to Collectible Record Albums Fourth ed. Krause Publications [S.l.] p. 548. 
  16. Glenn Povey, Echoes: the complete history of Pink Floyd, pg. 29, Mind Head Publishing (2007), ISBN 0-9554624-0-1
  17. Ummagumma (Notas). Capitol Records. 1969. STBB-388. Consultado em 27 August 2015. 
  18. «Pink Floyd | Artist | Official Charts». officialcharts.com. Consultado em 12 October 2012.  delete character character in |title= at position 12 (Ajuda)
  19. DeRisto, Nick (25 October 2014). «45 Years Ago: Pink Floyd Tries to Find Its Way With ‘Ummagumma’». Ultimate Classic Rock [S.l.: s.n.] Consultado em 27 August 2015. 
  20. Ummagumma (Notas). Capitol / EMI. 1973. 4XVV 388. Consultado em 27 August 2015. 
  21. «Ummagumma – Pink Floyd : Releases». AllMusic. Consultado em 27 August 2015. 
  22. «Pink Floyd News :: Brain Damage – Pink Floyd's Ummagumma – 40th Anniversary Marked with New Memorabilia». brain-damage.co.uk. Consultado em 12 October 2012. 
  23. Eder, Bruce. «Ummagumma – Pink Floyd: Songs, Reviews, Credits, Awards: AllMusic». AllMusic. Consultado em 12 October 2012. 
  24. McCormick, Neil (20 May 2014). «Pink Floyd's 14 studio albums rated». The Daily Telegraph (London [s.n.]). Consultado em 27 December 2014. 
  25. a b c «Pink Floyd Ummagumma». Acclaimed Music. Consultado em 27 December 2014. 
  26. Graff, Gary; Durchholz, Daniel (eds) (1999). MusicHound Rock: The Essential Album Guide (Farmington Hills, MI: Visible Ink Press). p. 872. ISBN 1-57859-061-2. 
  27. a b Deusner, Stephen (29 September 2011). «Pink Floyd: Ummagumma ("Why Pink Floyd?" Reissue) :: Music :: Reviews :: Paste». Paste. Consultado em 12 October 2012. 
  28. Sheffield, Rob (2 November 2004). «Pink Floyd: Album Guide». Rolling Stone. Wenner Media, Fireside Books. Arquivado desde o original em 17 February 2011. Consultado em 27 December 2014. 
  29. Campbell, Hernan. «Pink Floyd Ummagumma». Sputnikmusic. Consultado em 26 August 2015. 
  30. Povey, Glenn (2006). Echoes: The Complete History of Pink Floyd New ed. Mind Head Publishing [S.l.] p. 115. ISBN 978-0-9554624-0-5. Consultado em 10 September 2012. 
  31. Howard, Ed (1 September 2003). «Pink Floyd – Ummagumma – On Second Thought». Stylus Magazine. Consultado em 12 October 2012. 
  32. «(CD) Pink Floyd: Ummagumma». audio-music.info. Consultado em 12 October 2012. 
  33. Wolfgang Huebel and Thomas Huetlin. «Total Silence or War». Brain-Damage.co.uk. Consultado em July 15, 2015. 
  34. «Gilmour, Waters, Mason, Wright: Shakes of Pink – The Source, 1984 – All Pink Floyd Fan Network». Consultado em 12 October 2012. 
  35. "". Omnibus. BBC. 60 minutos.
  36. Christgau, Robert. «Pink Floyd: Atom Heart Mother». Consumer Guide. Consultado em 18 December 2013.