Umuarama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Umuarama
  Município do Brasil  
Réplica da Torre Eiffel na entrada do Município.
Réplica da Torre Eiffel na entrada do Município.
Símbolos
Bandeira de Umuarama
Bandeira
Brasão de armas de Umuarama
Brasão de armas
Hino
Gentílico umuaramense
Localização
Localização de Umuarama no Paraná
Localização de Umuarama no Paraná
Umuarama está localizado em: Brasil
Umuarama
Localização de Umuarama no Brasil
Mapa de Umuarama
Coordenadas 23° 45' 57" S 53° 19' 30" O
País Brasil
Unidade federativa Paraná
Região metropolitana Umuarama
História
Fundação 26 de junho de 1955 (67 anos)
Administração
Prefeito(a) Hermes Pimentel da Silva[1] (DC, 2022 – 2024)
Vereadores 10
Características geográficas
Área total IBGE/2019[2] 1 234,537 km²
 • Área urbana  estimativa Embrapa[3] 14,3 km²
População total (estimativa IBGE/2020[4]) 112 500 hab.
Densidade 91,1 hab./km²
Clima subtropical (Cfa)
Altitude [5] 430 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[6]) 0,761 alto
 • Posição BR: 350º PR: 24º
PIB (IBGE/2018[7]) R$ 3 390 618,27 mil
 • Posição BR: 343º
PIB per capita (IBGE/2018[7]) R$ 30 659,36
Sítio www.umuarama.pr.gov.br (Prefeitura)
www.cmu.pr.gov.br (Câmara)

Umuarama é um município do estado do Paraná, no Brasil. Sua população, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2019, era de 112 500 habitantes[4], sendo a 18ª cidade mais populosa do estado. Tem, como principais atividades, a agropecuária de corte e a prestação de serviços.

Conhecida como a "Capital da Amizade", a cidade é uma das principais do Paraná e polo da região de Entre Rios, região esta com população estimada em aproximadamente 410 000 habitantes.

O município de Umuarama ficou em terceiro lugar entre os que mais geraram empregos no estado do Paraná no primeiro semestre de 2011, perdendo apenas para Curitiba e Ponta Grossa. Além do expressivo crescimento da construção civil, Umuarama também apresenta números econômicos consideráveis, tais como: segundo maior polo moveleiro do Paraná, maior produtor de carne do estado, centro universitário com mais de cem cursos, polo comercial e prestador de serviços.

Localizada no noroeste do estado, a uma distância de 580 km da capital (Curitiba) e a 115 km do Paraguai, está a 430 metros acima do nível do mar, entre a latitude 23º 47' 55" Sul e a longitude 53º 18' 48" Oeste.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

"Umuarama" é neologismo cunhado por Silveira Bueno, em 1927. Segundo o autor, significa "lugar ensolarado para encontro de amigos". Foi criado a pedido de Willian Alfred Waddel, então diretor-presidente do Mackenzie College, para servir de denominação a uma colônia de férias que o colégio havia adquirido em Campos do Jordão. Dos elementos tupis embu: lugar; ara: dia, luz, claridade e ama: sufixo coletivo que indica muitos, reunião, ajuntamento de pessoas ou coisas.

O tupinólogo Eduardo Navarro, contudo, considera que tal etimologia tupi é fantasiosa, pois, segundo ele, em língua tupi, embu não significa "lugar" e ama não é um sufixo coletivo: somente a etimologia de 'ara como "dia" está correta.[8]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1949, constatou-se, na região da Serra dos Dourados, atualmente um distrito de Umuarama, a presença de índios xetás. Os Xetás compreendiam um grupo de cerca de 450 indivíduos, que habitavam a região noroeste do Paraná. Dez anos após o contato inicial com os não índios, os xetás praticamente desapareceram da região, vítimas do extermínio organizado pela expedição colonial e restando somente alguns poucos indivíduos da etnia[9]. Os indígenas xetás foram retirados de suas terras, no qual crescia desenfreadamente o genocídio contra os mesmos, tendo a Companhia de Melhoramentos do Norte do Paraná e a burguesia local como principais responsáveis pelo extermínio[10][11].

A colonização e genocídio dos xetás deu-se a partir de 26 de junho de 1955, sendo realizada pela Companhia de Melhoramentos do Norte do Paraná. As crianças indígenas que foram apartadas de seus pais durante o massacre de seu povo sobreviveram em demais regiões espalhadas pelo estado.

No início do século XXI, o governo estadual iniciou pesquisas visando a uma possível constituição de uma reserva indígena na região. A reserva reagruparia os sobreviventes da etnia indígena xetá, nativa da região, que se encontram atualmente dispersos pelos estados brasileiros de São Paulo, Paraná e Santa Catarina[9].

Criação do município[editar | editar código-fonte]

Pela Lei 4 245, de 26 de junho de 1960, criada pela Assembleia Legislativa do Paraná e sancionada pelo governador Moisés Wille Lupion de Troia, o patrimônio de Umuarama foi elevado à categoria de município emancipado, com território desmembrado de Cruzeiro do Oeste. A instalação oficial do município deu-se em 15 de novembro de 1960. O primeiro prefeito foi Hênio Romagnolli. Nos anos seguintes, a cidade viveu um crescimento populacional acelerado, chegando a ter uma população de 150 000 habitantes na época do café, na década de 1970. Com o fim do ciclo do café, a população do município diminuiu, chegando à marca dos 80 000 habitantes na década de 1990.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Umuarama está localizada na região noroeste do Paraná, próxima às cidades de Cianorte (80 km), Goioerê (74 km), Guaíra (113 km) e Maringá (156 km). Está situada no Terceiro Planalto do estado do Paraná e sua altitude média é de 430 metros acima do nível do mar.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município de Umuarama é subtropical com verões quentes e invernos amenos. Em fevereiro de 2012 a temperatura chegou a 38 °C, em junho foram -2 °C. A média anual ficou em 22,4 °C.

Distritos[editar | editar código-fonte]

  • Serra dos Dourados
  • Santa Elisa[12]
  • Lovat[12]
  • Roberto Silveira[12]
  • Vila Nova União
  • Nova Jerusalém

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Terceiro vice a se tornar prefeito, Pimentel elege bairros como prioridade». Prefeitura Municipal de Umuarama. 25 de janeiro de 2022. Consultado em 18 de fevereiro de 2022 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). «Área da unidade territorial - 2019». Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  3. «Umuarama». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 30 de Julho de 2008 
  4. a b «Estimativa populacional 2020 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2020. Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  5. «Paraná». Embrapa. Consultado em 19 de julho de 2011 
  6. «Ranking do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 12 de agosto de 2013 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  8. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 539, 57.
  9. a b «Umuarama quer retorno de ÍNDIOS xetás». Povos Indíginas no Brasil. Consultado em 11 de setembro de 2018 
  10. «Xetá, o genocidio umuaramense | Drupal». terrasindigenas.org.br (em espanhol). Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  11. «PR - Povo da etnia Xetá: lutando para não desaparecer». Mapa de Conflitos Envolvendo Injustiça Ambiental e Saúde no Brasil. Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  12. a b c Biblioteca Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Histórico - Umuarama» (PDF). Consultado em 18 de janeiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Umuarama