Unção dos enfermos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pormenor do Retábulo dos Sete Sacramentos (c. 1445) de Rogier van der Weyden, mostrando o sacramento da extrema-unção.

A unção dos enfermos[1] (extrema-unção[2]) é um sacramento católico dedicado aos enfermos, realizado com óleo. O sacramento confere ao católico uma graça especial para enfrentar as dificuldades próprias de uma doença grave ou velhice. É conhecido também como o "sagra viático", porque é o recurso, o "alívio" que leva o católico para poder suportar com fortaleza e em estado de graça um momento de trânsito, especialmente o trânsito à Casa do Pai através da morte.

O essencial do sacramento consiste em ungir a fronte e as mãos do enfermo acompanhada de uma oração litúrgica realizada pelo sacerdote ou o bispo, únicos ministros que podem administrar este sacramento.

A unção dos enfermos é mais conhecida por extrema-unção, pois no passado era administrada somente "in articulo mortis" (na hora da morte)[3]. Atualmente, o sacramento pode ser administrado mais de uma vez, sempre que for em caso de doença grave.

Catolicismo Romano[editar | editar código-fonte]

Também chamada de último sacramento[4] ou santa unção[5] é um dos sete sacramentos do catolicismo, normalmente o último que se recebe em vida. Normalmente, administra-se este sacramento aos enfermos e àqueles que estejam em risco de morte. Este sacramento era conhecido como extrema unção, pois era administrado (a ponto de morrer).“Por esta santa unção e pela Sua infinita misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo, para que, liberto dos teus pecados, Ele te salve e, na Sua misericórdia, alivie os teus sofrimentos”.

Diz o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica [6] que "A compaixão de Jesus pelos doentes e as numerosas curas de enfermos são um claro sinal de que, com Ele, chegou o Reino de Deus e a vitória sobre o pecado, o sofrimento e a morte. Com a sua paixão e morte, Ele dá um novo sentido ao sofrimento, o qual, se unido ao seu, pode ser meio de purificação e de salvação para nós e para os outros." (n. 314) e "A Igreja, tendo recebido do Senhor a ordem de curar os enfermos, procura pô-la em prática com os cuidados para com os doentes, acompanhados da oração de intercessão. Ela possui sobretudo um sacramento específico em favor dos enfermos, instituído pelo próprio Cristo e atestado por São Tiago[7]:

«Quem está doente, chame a si os presbíteros da Igreja e orem por ele, depois de o ter ungido com óleo no nome do Senhor» (Tg 5,14-15)." (n. 315).

Visão protestante[editar | editar código-fonte]

A unção dada aos enfermos, pelos protestantes, visa à cura do doente.

Os protestantes, principalmente os pentecostais, ungem os enfermos com um óleo previamente consagrado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Infopédia. «unção | Definição ou significado de unção no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  2. S.A, Priberam Informática. «extrema-unção». Dicionário Priberam. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  3. S.A, Priberam Informática. «in articulo mortis». Dicionário Priberam. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  4. S.A, Priberam Informática. «últimos sacramentos». Dicionário Priberam. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  5. Infopédia. «unção | Definição ou significado de unção no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  6. «Catecismo da Igreja Católica - Compêndio». www.vatican.va. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  7. Tiago 5:14-15 Se algum de vocês estiver doente, que chame os presbíteros da igreja, para que façam oração e ponham azeite na cabeça dessa pessoa em nome do Senhor. Essa oração, feita com fé, salvará a pessoa doente | Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) | Baixar o App da Bíblia agora. [S.l.: s.n.]