United Airlines

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
United Airlines, Inc.
IATA UA
ICAO UAL
Indicativo de chamada UNITED
Fundada em 6 de abril de 1926 (94 anos) (como Varney Air Lines)
Principais centros
de operações
Programa de milhagem Mileage Plus
Aliança comercial Star Alliance
Frota 1310 (mais 190 encomendas)
Destinos
Lounge United Club
Sede Chicago, Illinois, Estados Unidos
Pessoas importantes Oscar Munoz (CEO)

Scott Kirby (Presidente)

Sítio oficial www.united.com

A United Airlines, Inc. é a terceira maior linha aérea dos Estados Unidos e do mundo, com uma frota de 794 aviões em 373 destinos[1] e emprega 61 mil trabalhadores. Seu principal hub é o Aeroporto Internacional O'Hare em Chicago.

História[editar | editar código-fonte]

Sede da United Airlines Holdings World Headquarters na Willis Tower em Chicago.

A história da United Airlines começou no ano de 1924 com a fundação da Varney Air Lines realizando voos postais.

Anos mais tarde a empresa uniu-se à Pacific Air Transport e à National Air Transport, que também atuavam no transporte de malotes postais, dando origem à Boeing Air Transport, controlada pela Boeing e pela Pratt & Whitney.

Em 1931, foi criada então a United, como administradora da Boeing Air Transport. Em 1934, a sociedade se desfez e as divisões se tornaram companhias independentes. A empresa aérea adotou o nome de United Airlines.

Após a Segunda Guerra, a malha de rotas ampliou-se consideravelmente, alcançando pontos desde Honolulu a Washington/DC. Em 1959 a United entrou na era do jato com a introdução dos primeiros Douglas DC-8 e nos anos seguintes traria também o SE.210 Caravelle.

A frota foi crescendo, com a entrada dos Boeing 727-100 e 737-200. Esse último feito quase sob medida para a empresa.

No começo da década de 60, a malha de rotas foi aumentada em 11.600 km, com a aquisição da Capital Airlines, fundada em 1936 como Pennsylvania Central Airlines.

Em 1961, a United era a maior empresa aérea privada do mundo em termos de passageiros transportados por ano e RPMs voados. Em 1985, uma nova expansão: desta vez para o Oriente, graças à compra da Divisão do Pacífico da já combalida Pan American.

Finalmente nos anos 90 a empresa estabeleceu-se como uma das duas maiores empresas americanas, ampliando suas linhas, deixando apenas de servir o continente africano.

Modernizou sua frota: foi a empresa lançadora do Boeing 777-200, hoje seu principal avião para voos de longo alcance. Em 1997 foi uma das fundadoras da Star Alliance, consolidando ainda mais sua posição no mercado internacional frente a sua arqui-rival American Airlines.

No total são mais de 139 destinos em 26 países, operados pela United e suas coligadas regionais, mas a empresa, após os ataques terrorista em setembro de 2001, entrou em parafuso. Com sérios prejuízos, a companhia entrou em concordata desde o início de 2002. Não restou outra alternativa a não ser a de adotar medidas draconianas de contenção de custos.

Salários, frota, empregos: a UAL cortou tudo o que tinha e não tinha para respirar. Passou, por exemplo, de 93.000 para 63.000 funcionários em dois anos; ou de 528 para 414 jatos. Parece estar dando certo: embora sua situação seja delicada, analistas acreditam que o pior já passou e que a UAL deverá sair da concordata ainda em 2006.[2]

Boeing 787-9 da United com as novas cores no Aeroporto Internacional de Pequim.

Em abril de 2010, a United Airlines e a Continental Airlines anunciaram a intenção de realizar entre suas empresas um acordo de fusão, criando a maior empresa aérea do mundo em receita. Em 1 de outubro de 2010 a fusão foi anunciada oficialmente, o nome "Continental" desapareceu ficando apenas a inscrição "UNITED" em azul escuro, mas o logotipo adotado será o tradicional globo terrestre estilizado da antiga Continental.

Em 26 de junho de 2015 A United anunciou a compra de 5% da Azul Linhas Aéreas Brasileiras. O negócio custou US$ 100 milhões, deu o direito a United de um assento no conselho administrativo da Azul e juntou as malhas das companhias através de acordo codeshare que juntas somavam 450 destinos e mais de 6.000 voos diários.[3][4][5]

Frota[editar | editar código-fonte]

A United Airlines opera com 794 aviões. (Dados de agosto de 2020)[6]

Frota da United Airlines
Modelo Em Serviço Ordens Passageiros Observações
J F O E+ Y Total Refs
Airbus A319-100 75 31 12 36 78 126 [7]
8 42 78 128 Para ser convertido para a configuração de 126 lugares.
Airbus A320-200 97 4 12 42 96 150 [8]
Airbus A321XLR 50 TBA Entregas começam em 2024.[9]
Airbus A350-900 45[10]
TBA
Entregas começam em 2027.[11]
Boeing 737-700 40 19[12] 12 36 78 126 [13]
30 84
Boeing 737-800 141 16 48 102 166 [14]
54 96
42 108
Boeing 737-900 12 20 42 117 179 [15]
Boeing 737-900ER 136 20 42 117 179
39 120
Boeing 737 MAX 9 14 71 20 48 111 179 [16]
Boeing 737 MAX 10 100[17]
TBA
Inicialmente planejado para serviço em agosto de 2020, mas atrasado devido a nova certificação do modelo.
Boeing 757-200 51 16 45 108 169 [18] Para ser adaptado em configuração de 176 lugares.
42 118 176
28 42 72 142 Configuração do Premium Transcontinental Service.
Boeing 757-300 21 24 54 156 234 [19]
Boeing 767-300ER 38 30 46 138 214 [20]
49 135 3 aeronaves a serem adaptadas com configuração Polaris de 214 assentos;

4 aeronaves a serem equipadas com configuração premium de 167 assentos.

46 22 43 56 167
Boeing 767-400ER 16 39 70 131 240 [21] A ser adaptado com a nova cabine Polaris a partir de agosto de 2020.[22]
Boeing 777-200 19 28 102 234 364 [23] Cliente de lançamento do Boeing 777.
Boeing 777-200ER 55 32 124 206 362
48 113 108 269 A ser adaptado com novos assentos Polaris e cabines Premium Plus na configuração de 276 assentos.
50 72 145 267
24 46 156 276
Boeing 777-300ER 22 60 24 62 204 350 [24]
Boeing 787-8 12 28 21 36 158 243 [25]
36 70 113 219 A ser adaptado com novos assentos Polaris e cabines Premium Plus na configuração de 243 assentos.
Boeing 787-9 32 6 48 21 39 149 257 [26]
88 116 252 A ser adaptado com novos assentos Polaris e cabines Premium Plus na configuração de 257 assentos.
Boeing 787-10 13 1 44 21 54 199 318 [27]
Total 794 327

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

  • Voo United Airlines 811 - Em 24 de Fevereiro de 1989 o Boeing 747-122 matrícula N4713U com o código de voo UA 811 após decolar de Honolulu e quando cruzava o nível de voo 220 perdeu uma das portas do porão ocasionando uma extensa perda de fuselagem. Oito passageiros foram sugados para o exterior e morreram. O avião conseguiu regressar a Honolulu e aterrar em segurança. Era comandado por David Cronin, 1º Oficial Gregory Slader e 2º Oficial Randal Thomas.
  • Voo United Airlines 232 - Em 19 de Julho de 1989 Um DC-10 que operava o voo 232 da United, que ia de Denver a Filadélfia, com escala em Chicago perdeu o motor número 2 da aeronave, danificando o controle hidraúlico dos 3 motores. Sem controle, o Piloto teve que fazer um pouso de emergência em Sioux City apenas usando a potência dos 2 motores restantes, o avião estáva mais rápido do que num pouso normal devido as falhas, e se acidentou após tocar a asa na pista do aeroporto. 112 Pessoas morreram no acidente, porém 184 sobreviveram, e por causa disso o piloto foi considerado um herói.
  • Voo United Airlines 585 - Em 3 de Março de 1991 o Boeing 737-291 matrícula N999UA com o código de voo UA585 despenhou-se na final para Colorado Springs. Era comandado pelo Capitão Harold Green tendo como 1º Oficial Patricia Eidson transportava três assistentes e vinte passageiros. Não houve sobreviventes.
  • A 14 de Fevereiro de 2018, um avião da companhia aerea, que fazia a rota de São Francisco para o Havai, teve que realizar um pouso de Emergencia no Havai, devido a Explosão de uma parte do motor. Ninguem ficou ferido.[28]

Ataques de 11 de setembro de 2001[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Corporate Fact Sheet». Newsroom United. Consultado em 12 de Maio de 2015 
  2. «United Airlines» 
  3. Folha Online (26 de junho de 2015). «United anuncia compra de 5% da Azul por US$ 100 milhões». Folha de S. Paulo. Consultado em 26 de junho de 2015 
  4. Darlan Alvarenga (26 de junho de 2015). «United Airlines compra 5% da Azul por US$ 100 milhões». G1. Consultado em 26 de junho de 2015 
  5. Maria Carolina Abe (26 de junho de 2015). «United compra parte da Azul, e empresas vão compartilhar malha aérea». UOL Economia. Consultado em 26 de junho de 2015 
  6. Planespotters.net. «Planespotters.net.». Planespotters.net (em inglês). Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  7. «Airbus 319 (319)». united.com 
  8. «United Airlines - Airbus 320 (320)». United.com. 14 de dezembro de 2012. Consultado em 26 de março de 2013 
  9. «United Airlines Sets a Course for the Future With Order of 50 Airbus A321XLR Aircraft». United Hub. United Airlines. 3 de dezembro de 2019. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  10. «New agreement with United Airlines increases A350 XWB order to 45». Airbus.com. 6 de setembro de 2017. Consultado em 1 de março de 2019 
  11. «United Airlines Defers Airbus A350 Deliveries». Simple Flying (em inglês). 4 de dezembro de 2019. Consultado em 17 de julho de 2020 
  12. «United Airlines Is Buying 19 Used 737s». 17 de julho de 2019. Consultado em 2 de agosto de 2020 
  13. «Boeing 737-700 - United Airlines». United.com. Consultado em 10 de abril de 2017 
  14. «Boeing 737-800 (738)». United.com. 14 de dezembro de 2012. Consultado em 15 de novembro de 2014 
  15. «Boeing 737-900 (739)». United.com. Consultado em 14 de setembro de 2019 
  16. «MAXimum Comfort, MAXimum Efficiency United Airlines to Start Boeing 737 MAX 9 Service». United.com. 19 de fevereiro de 2018. Consultado em 19 de fevereiro de 2018 
  17. «Boeing Orders and Deliveries Through April 2018». Consultado em 8 de maio de 2018 
  18. «Boeing 757-200 (752)». United.com. 14 de dezembro de 2012. Consultado em 26 de março de 2013 
  19. «Boeing 757-300 (753)». United.com. 25 de setembro de 2019. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  20. «Boeing 767-300ER (763)». United.com (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2017 
  21. «Boeing 767-400ER (764)». United.com. 14 de dezembro de 2012. Consultado em 26 de março de 2013 
  22. «Polaris Tracker - Mobile». view.ceros.com (em inglês). Consultado em 1 de abril de 2019 
  23. «Boeing 777-200 (777)». United.com (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2017 
  24. «Boeing 777-300ER (77W)» 
  25. «Boeing 787-8 Dreamliner». United.com. Consultado em 8 de março de 2020 
  26. «Boeing 787-9 Dreamliner». United.com. Consultado em 8 de março de 2020 
  27. «Boeing 787-10 Dreamliner». United.com. Consultado em 21 de fevereiro de 2019 
  28. «United Airlines passengers rattled after plane's engine shell falls off». Fox News. Consultado em 14 de Fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre United Airlines