Universalismo (contabilidade)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde novembro de 2010). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O universalismo é uma teoria da contabilidade criada pelo professor brasileiro Francisco D'Áuria, que a apresentou em seu formato final em livro de 1949. O professor a chamou de Teoria da Contabilidade Pura, em correspondência a expressão advinda de Emanuel Kant, cujo texto filosófico mais famoso foi traduzido para o português como a "Crítica da Razão Pura".

O professor pensava a contabilidade como um sistema universal, na forma esboçada por Kant, que podia ser aplicado em qualquer disciplina natural. Foi criticado não por estar incorreto, mas por tornar o objeto de estudo da contabilidade demasiadamente grande.

Também a introdução, a partir dos anos 1950, da estrutura contábil na forma de um artificial sistema cibernético, baseado em comunicação e controle (vide Sistema de Informação Contábil), também contribuiu para que a teoria do professor caísse no esquecimento.

Mas, no Brasil, podem-se ver, ainda, reflexos das ideias do eminente professor, como na estrutura da contabilidade pública adotada pela lei 4 320/64, que considera a matéria como composta por quatro sistemas interligados: orçamentário, financeiro, patrimonial e de compensações.

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.