Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Universidade Federal da Integração Latino-Americana
UNILA
Lema Uma Universidade sem fronteiras para a América Latina.
Fundação 12 de janeiro de 2010[1]
Tipo de instituição Coat of arms of Brazil.svg Pública Federal
Mantenedora Ministério da Educação
Localização Foz do Iguaçu, Paraná
Docentes 356[2]
Reitor(a) Gustavo Oliveira Vieira
Vice-reitor(a) Cecilia Maria de Morais Machado Angileli
Total de estudantes 3.887[3]
Graduação 3.056[4]
Pós-graduação 472[5]
Orçamento anual R$ 156.240.651,00[6]
Página oficial www.unila.edu.br

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) é uma instituição de ensino superior pública brasileira sediada na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná. O presidente Luiz Inácio da Silva propôs a sua criação em 2007, entretanto a Universidade foi criada somente no dia 12 de janeiro de 2010 na fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai.[7] Foi a décima terceira universidade inaugurada pelo Governo Lula,[8] e teve sua primeira turma de 200 alunos entre brasileiros, paraguaios, uruguaios e argentinos em agosto de 2010, tendo como previsão de investimento para construção dos edifícios no montante de 550 milhões, uma construção portentosa prevista para findar em 2014, com o projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer.[9]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

O plano do Ministério da Educação é de que, quando totalmente implantada, a UNILA ofereça cursos de graduação, mestrado e doutorado a cerca de 10 mil estudantes. Mais de 500 professores de toda a América Latina se juntaram à instituição, a metade deles em meio período. Um orçamento de R$ 136 milhões foi investido para a implementação da universidade, coordenada pelo professor Hélgio Trindade, ex-reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Unidades[editar | editar código-fonte]

Programa de cátedras latino-americanas[editar | editar código-fonte]

Como uma das primeiras atitudes do Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), foram criados os programas de cátedras. Cada cátedra tem duração de 12 h/aulas ministrada pelo professor fundador/catedrático e mais 3 horas de estudo com o auxílio de um professor tutor. Cada cátedra leva o nome de uma importante personalidade, que tenha dado importantes contribuições em sua área para a América Latina. A mesma, foi fundada por um importante pesquisador com relevante produção científica na sua área de atuação. Inicialmente com 9 cátedras, hoje a UNILA possui 12 programas, os quais seguem:

  • Cátedra Amilcar Herrera: Ciência, Tecnologia, Inovação e Inclusão Social, fundada por Hebe Vessuri, pesquisadora sênior do IVIC (Venezuela).
  • Cátedra Celso Furtado: Economia e Desenvolvimento, fundada por Aldo Ferrer, Professor Emérito da Universidad de Buenos Aires (Argentina).
  • Cátedra Andrés Bello: Educação Superior Comparada, fundadora Carmen Guadilla, pesquisadora do CENDES da Universidad Central de Venezuela.
  • Cátedra Octavio Ianni: Desenvolvimento Rural Sustentável e Segurança Alimentar, fundada por Jacques Chonchol, ex-Diretor do IEHAL (França).
  • Cátedra Francisco Bilbao: Integração e Identidade Latino-Americana, fundada por Miguel Rojas Mix, da Cátedra UNESCO de Cooperación Cultural.
  • Cátedra Josué de Castro: Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente, fundada por Ignacy do EHESS (França).
  • Cátedra Augusto Roa Bastos: Literatura Latino-Americana, fundada por Flávio Loureiro Chaves, Professor Titular aposentado da UFRGS.
  • Cátedra Juan Jose Giambiagi: Ciências Físicas e as Novas Fronteiras Tecnológicas, fundada por Celso Pinto de Melo, da Academia Brasileira de Ciências e Presidente da Sociedade. Brasileira de Fisica.
  • Cátedra Crodowaldo Pavan: Ciências da Vida: Evolução e Biodiversidade, fundada por Francisco Salzano, da Academia Brasileira de Ciências.
  • Cátedra Eugênio de Santa Cruz y Espejo: Saúde Pública na América Latina, fundada por Maria Isabel Rodriguez, ex-Reitora da Universidad de El Salvador e atual Ministra da Saúde de El Salvador.
  • Cátedra Bernardo Houssay: Neurociência e Inclusão Social, fundada por Miguel Ângelo Laporta Nicolelis, Co-Diretor do Centro de Neuroengenharia da Universidade Duke (EUA), Diretor Científico do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra.
  • Cátedra Embaixador Vinícius de Moraes: Música Popular Brasileira, a ser fundada por Ricardo Cravo Albin, especialista em MPB, fundador e ex-presidente do Museu da Imagem e do Som, no Rio de Janeiro, organizador da exposição, no Palácio do Itamaraty, reunindo cantores, declamadores e artistas ligados à obra de Vinícius.

Cursos de graduação[editar | editar código-fonte]

Para cada um dos cursos de graduação, existe uma peculiaridade só encontrada na UNILA. Cada curso oferece 25 vagas para alunos brasileiros e 25 vagas para alunos oriundos dos demais países da América Latina. A UNILA iniciou suas atividades no dia 16 de agosto de 2010 com 6 cursos de graduação e hoje já conta com 29:

Cursos de pós-graduação[editar | editar código-fonte]

Além dos cursos de graduação, a UNILA conta com 5 cursos de pós graduação:

E com 6 cursos de especialização:

  • Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva
  • Especialização em Alimentos, Nutrição e Saúde no Espaço Escolar
  • Especialização em Educação Ambiental
  • Especialização em Ensino de Ciências e Matemática para Séries Finais - Ens. Fundamental
  • Especialização em Relações Internacionais Contemporâneas
  • Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família

Reitores[editar | editar código-fonte]

  • Helgio Trindade de 2010 a 24/07/2013[11]
  • Josué Modesto dos Passos Subrinho de 2013 a 13/06/2017
  • Gustavo Oliveira Vieira a partir de 13/06/2017

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lei de criação da UNILA». 12/01/2010. 12 de janeiro de 2010. Consultado em 15 de maio de 2010. 
  2. UNILA. «UNILA em Números» (PDF). Consultado em 4 de setembro de 2016. 
  3. UNILA. «UNILA em Números» (PDF). Consultado em 4 de setembro de 2016. 
  4. UNILA. «UNILA em Números» (PDF). Consultado em 4 de setembro de 2016. 
  5. UNILA. «UNILA em Números» (PDF). Consultado em 4 de setembro de 2016. 
  6. UNILA. «UNILA em Números» (PDF). Consultado em 4 de setembro de 2016. 
  7. [1]
  8. «Em ano eleitoral, governo federal cria universidade e compara ações para área de educação». Folha poder. 12 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de agosto de 2011. 
  9. http://blogln.ning.com/forum/topics/a-universidade-de-r-550 - A universidade de R$ 550 milhões
  10. SOCES/UFPR. «Conselho Universitário da UFPR cria primeira unidade da UNILA». 07/08/2009. Consultado em 15 de maio de 2010. 
  11. [2]. UNILA. Acesso em 26/07/2013

Ligações externas[editar | editar código-fonte]