Universidade Federal do Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Universidade Federal do Pará
Universidade Federal do Pará
UFPA
Lema A Universidade da Amazônia, patrimônio do Brasil[1]
Fundação 2 de julho de 1957 (66 anos)
Tipo de instituição pública
Mantenedora Ministério da Educação
Localização Belém, Pará, Brasil
Funcionários técnico-administrativos 5.379
Reitor(a) Emmanuel Zagury Tourinho[2]
Vice-reitor(a) Gilmar Pereira da Silva[3]
Docentes 2.462[4]
Total de estudantes 58.478 (2021)[4]
Graduação 48.910[5]
Pós-graduação 9.424[5]
Campi
Taxa de aprovação Aprox. 8,25% [6]
Afiliações CRUB, RENEX
Orçamento anual R$ 1.544.340.600,74 (2021)

[7]

Página oficial www.ufpa.br

A Universidade Federal do Pará (UFPA) é uma instituição de ensino superior pública brasileira, situada no estado do Pará e sediada em Belém. É uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação.

Foi criada em 1957, sendo que algumas de suas faculdades, como a de Direito (fundada em 1902), a de Farmácia (fundada em 1903) e a de Medicina (fundada em 1919) estão entre as mais antigas do Brasil e foram por ela encampadas.[8][9] Sua área territorial é aproximadamente 3.328.655,80 m², enquanto sua área edificada é aproximadamente 204.930,90 m². O princípio fundamental da UFPA é a integração das funções de ensino, pesquisa e extensão. Foi listada a 15º no ranking de maiores instituições do país em número de matrículas.[10]

Contando com 154 cursos de graduação, 35 cursos de especialização, 100 programas de mestrado, 55 programas de doutorado, 25 institutos e núcleos, 82 municípios alcançados, 3 escolas, 3 hospitais universitários, 28 residências em saúde, 12 campi, 1.021 grupos de pesquisa, 622 programas e projetos de extensão, 2.458 técnicos, 50.374 estudantes e 2.997 professores, firma-se como um centro de excelência, onde o ensino, a pesquisa e a extensão convergem para promover uma educação integral e contribuir para o desenvolvimento sustentável da região e do país.

Segundo os mais diversos rankings de universidades,[11][12][13][14][15] elaborados por instituições nacionais e internacionais, a UFPA é a melhor, maior e mais conceituada universidade da região Norte e de toda a Amazônia. É, portanto, a instituição líder em produção de conhecimento na região de maior biodiversidade do planeta e o maior bioma do Brasil. A instituição ocupa uma posição de prestígio no cenário nacional, tornando-se internacionalmente conhecida pela produção científica na Amazônia.

No RUF (Ranking Universitário da Folha de São Paulo), publicado em 2023, a UFPA ocupa a 29ª colocação nacional geral. Dentre os critérios avaliados, o melhor desempenho da UFPA veio no indicador "inovação", no qual a universidade aparece na 6ª colocação nacional, portanto entre as 10 melhores do Brasil neste quesito.[11] Conforme o levantamento da companhia britânica Quacquarelli Symonds (QS), em 2024, a UFPA ocupa a 25ª posição entre as melhores universidades do Brasil e a 121° colocação entre as melhores da América Latina e do Caribe, melhorando 4 posições em relação ao ano de 2022. Dentre os critérios analisados, o destaque maior ficou por conta do "número de docentes com doutorado", seguido pela "rede de pesquisa internacional" da universidade e pelo seu "impacto na web".[12] Segundo a revista inglesa Times Higher Education, em sua publicação realizada em 2023, a UFPA é a 71ª mais bem colocada universidade em toda a América Latina. No ranking de impacto da revista, que avalia as universidades de todo o mundo frente aos objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pela ONU, a UFPA está entre as 400 melhores universidades do mundo nesse sentido.[14]

De acordo com um outro ranking, o Webometrics, que avalia a presença das universidades na web, a UFPA aparece entre as 20 melhores do Brasil (16ª colocação) e, ainda, entre as mil melhores do mundo (posição 931).[13] O SCImago Institutions Rankings (SIR), que avalia a influência científica das instituições de ensino e pesquisa pela análise da repercussão da produção científica nas bases de dados internacionais, posicionou a UFPA na posição número 29 no Brasil e 56 entre as melhores universidades da América Latina.[15] E, finalmente, o Center for World University Rankings (CWRU) estabeleceu a UFPA entre as 30 melhores universidades do Brasil no ano de 2023.

A universidade oferece 154 cursos de graduação nos campi de Belém, Abaetetuba, Altamira, Ananindeua, Bragança, Breves, Cametá, Capanema, Castanhal, Salinópolis, Soure e Tucuruí. Vários grupos de pesquisa de importância nacional fazem parte dos quadros da UFPA. Dentre as áreas de pesquisa mais destacadas encontram-se a Genética, as Geociências e as Neurociências.

História[editar | editar código-fonte]

Escola de Música da UFPA, em 2012

O atual modelo administrativo da UFPA surgiu da necessidade de centralizar uma instituição educacional de ensino superior para a Amazônia oriental, já que anteriormente existiam algumas faculdades na cidade de Belém, organizadas como faculdades livres. A mais antiga delas é a Faculdade de Direito, instituída em 31 de março de 1902,[16] seguida da instituição da Escola de Farmácia do Pará, em 1903,[17] da Escola Livre de Odontologia, em 1914,[18] da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará, em 9 de janeiro de 1919,[8] da Escola de Engenharia do Pará, em 1931,[19] da Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Atuariais, em 1953,[20] e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Belém, em 1954.[21] Essas instituições de ensino foram as precursoras da UFPA.[20]

Criação[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Pará foi criada oficialmente em 2 de julho de 1957, pelo decreto nº 3.191, sancionada pelo então presidente Juscelino Kubitschek, após cinco anos de tramitação legislativa. Congregou as sete faculdades federais, estaduais e privadas existentes em Belém: Direito, Farmácia, Odontologia, Medicina e Cirurgia, Engenharia Civil, Ciências Econômicas, Contábeis e Atuariais e Filosofia, Ciências e Letras.[22]

Decorridos mais de 18 meses de sua criação, a Universidade do Pará foi solenemente instalada em sessão presidida pelo Presidente Kubitschek, no Teatro da Paz, em 31 de janeiro de 1959. Sua instalação foi um ato meramente simbólico, isso porque o Decreto nº 42.427 já aprovara, em 12 de outubro de 1957, o primeiro Estatuto da Universidade que definia a orientação da política educacional da Instituição e, desde 28 de novembro do mesmo ano, já estava em exercício o primeiro reitor, Mário Braga Henriques (nov. 1957 a dez. 1960).

Em 19 de dezembro de 1960, tomou posse José Rodrigues da Silveira Netto, que ocupou a Reitoria durante oito anos e meio (dez. 1960 a jul. 1969).

A primeira reforma estatutária da Universidade aconteceu em setembro de 1963, quando foi publicado o novo Estatuto no Diário Oficial da União. Dois meses após a reforma estatutária, a Universidade foi reestruturada pela Lei nº 4.283, de 18 de novembro de 1963. Nesse período, foram implantados novos cursos e novas atividades básicas, com o objetivo de promover o desenvolvimento regional e, também, o aperfeiçoamento das atividades-fim da Instituição.

UFPA no período ditatorial[editar | editar código-fonte]

Cidade Universitária Prof. José da Silveira Netto, Campus Belém, em 2008

Uma nova reestruturação da Universidade foi tentada, em 1968, com um plano apresentado ao Conselho Federal de Educação. Do final de 1968 ao início de 1969, uma série de diplomas legais, destacando-se as Leis nº 5.539 e 5.540/68, estabeleceu novos critérios para o funcionamento das Universidades.

De julho de 1969 a junho de 1973, o Reitor foi Aloysio Chaves, período em que o Decreto nº 65.880, de 16 dezembro de 1969, aprovou o novo plano de reestruturação da Universidade Federal do Pará. Um dos elementos essenciais desse plano foi a criação dos Centros, com a extinção das Faculdades existentes, e a definição das funções dos Departamentos.

Em 2 de setembro de 1970, o Conselho Federal de Educação aprovou o Regimento Geral da Universidade Federal do Pará, através da Portaria nº 1.307/70. Uma revisão regimental foi procedida em 1976/1977, visando atender disposições legais supervenientes, o que gerou um novo Regimento, que foi aprovado pelo Conselho Federal de Educação através do Parecer nº 1.854/77 e publicado no Diário Oficial do Estado em 18 de julho de 1978.

Clóvis Cunha da Gama Malcher tomou posse em julho de 1973 (jul. 1973 a jun. 1977), seguido por Aracy Amazonas Barretto (jul. 1977 a jun. 1981) e Daniel Coelho de Souza ( jul. 1981 a jun. 1985).

UFPA no período democrático[editar | editar código-fonte]

Capela Universitária do Campus Belém, em 2008

No exercício de 1985, o Regimento da Reitoria foi reformulado, após aprovação da Resolução nº 549, do Conselho Universitário, em 9 de dezembro de 1985, passando a vigorar até a presente data.

José Seixas Lourenço ocupou a Reitoria no período de julho de 1985 a junho de 1989, Nilson Pinto de Oliveira, de julho de 1989 a junho de 1993, Marcos Ximenes Ponte, de julho de 1993 a junho de 1997, e Cristovam Wanderley Picanço Diniz, de julho de 1997 a junho de 2001.

Desmembramentos[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2009 o campus da universidade localizado em Santarém separou-se para formar a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA);[23] e em junho de 2013 o campus Marabá e núcleos agregados a este desligaram-se da UFPA para que pudessem constituir a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).[24]

Reitores[editar | editar código-fonte]

Prédios da Reitoria, em 2008

O primeiro reitor da Universidade Federal do Pará foi o professor Mário Braga Henriques, da Faculdade de Direito, e o que permaneceu por menor espaço de tempo, de apenas três anos, na reitoria.[4]

O professor Coelho de Souza (1981-1985) foi o último reitor do Regime Militar, e o professor José Seixas Lourenço (1985-1989), o primeiro eleito pela comunidade acadêmica, no início da redemocratização do país.

Lista de reitores[editar | editar código-fonte]

Reitor Gestão Referência
1 Mário Braga Henriques 1957 - 1960 [4]
2 José Rodrigues da Silveira Netto 1960 - 1969 [4]
3 Aloysio da Costa Chaves 1969 - 1973 [4]
4 Clóvis Cunha da Gama Malcher 1973 - 1977 [4]
5 Aracy Amazonas Barretto 1977 - 1981 [4]
6 Daniel Queima Coelho de Souza 1981 - 1985 [4]
7 José Seixas Lourenço 1985 - 1989 [4]
8 Nilson Pinto de Oliveira 1989 - 1993 [4]
9 Marcos Ximenes Ponte 1993 - 1997 [4]
10 Cristovam Wanderley Picanço Diniz 1997 - 2001 [4]
11 Alex Bolonha Fiúza de Mello 2001 - 2009 [4]
12 Carlos Edilson Maneschy 2009 - 2016 [25]
13 Emmanuel Zagury Tourinho 2016 - 2020 [26][3]
14 Gilmar Pereira da Silva (interino) 2020 - 2020 [3]
15 Tadeu Oliver Gonçalves (interino) 2020 - 2020 [2]
16 Emmanuel Zagury Tourinho 2020 - presente [2]

Rankings[editar | editar código-fonte]

Restaurante Universitário do Setor Básico do Campus Belém, em 2008

Resumo das colocações obtidas pela UFPA em diversos rankings de universidades:

Elaborado por: Posição

[Amazônia]

Posição

[Brasil]

Posição

[América Latina]

Posição

[Mundo]

Ano
Times Higher (THE) 28°+ 71º 1501°+ 2024
Folha de São Paulo (RUF) 29° - - 2023
Webometrics 16° - 931º 2023
Quacquarelli Symonds (QS) 25º+ 121º 1401+º 2024
SCImago Institutions Rankings (SIR) 29º 56º - 2023
Center for World University Rankings (CWUR) 29° - - 2023

Unidades e outros órgãos[editar | editar código-fonte]

Relógio de Sol da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Instituto de Tecnologia, em 2014
  • Institutos: 16
(ICA) Ciências da Arte; (ICB) Ciências Biológicas; (ICED) Ciências da Educação; (ICEN) Ciências Exatas e Naturais; (ICJ) Ciências Jurídicas; (ICM) Ciências Médicas; (ICS) Ciências da Saúde; (ICSA) Ciências Sociais Aplicadas; (IFCH) Filosofia e Ciências Humanas; (IG) Geociências; (ILC) Letras e Comunicação; (ITEC) Tecnologia; (IEMCI) Educação Matemática e Científica; (IECOS) Estudos Costeiros; (IMV) Medicina Veterinária; (INEAF) Amazônico de Agriculturas Familiares.
  • Núcleos: 9
(NAEA) Altos Estudos Amazônicos; (NDAE) Desenvolvimento Amazônico em Engenharia; (NEAP) Ecologia Aquática e Pesca da Amazônia; (NEB) Estudos Transdisciplinares em Educação Básica; (NMT) Medicina Tropical; (NPO) Pesquisas em Oncologia ; (NTPC) Teoria e Pesquisa do Comportamento; (NUMA) Meio Ambiente; (NCADR) Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural.
  • Campi: 12

Abaetetuba, Altamira, Ananindeua, Belém, Bragança, Breves, Cametá, Capanema, Castanhal, Salinópolis, Soure e Tucuruí.

  • Pólos: 93
Núcleo de Meio Ambiente, em 2010
  • Escola de Música: 1

Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA).

  • Escola de Teatro e Dança: 1

Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA).

  • Teatro: 1

Teatro Universitário Cláudio Barradas (TUCB)

  • Hospitais Universitários/Clínicas: 4

Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB); Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS); Clínica Odontológica; Clínica Psicológica.

  • Hospital Veterinário: 1

Hospital Veterinário da Universidade Federal do Pará (HV-UFPA).

  • Museus: 2

Museu da UFPA (MUFPA); Museu de Geociências da Amazônia (MUGEO)


Ex-discentes notáveis[editar | editar código-fonte]

Nome Ocupação Mais conhecida(o) por: Prêmios ou distinções
Almir Gabriel Médico e político. Atividade política (prefeito de Belém, governador do Pará e senador pelo Pará). Ordem do Mérito Militar.
Ana Cristina Bentes Linguista e professora universitária. Trabalhos sobre linguística textual, sociolinguística, análise do discurso e linguística aplicada.
Anselmo Santiago Magistrado. Ministro do Superior Tribunal de Justiça. Ordem do Mérito Militar.
Arnaldo Jordy Advogado e político. Atividade política (deputado federal pelo Pará).
Benedicto Monteiro Escritor, jornalista, advogado e político. Produção literária, atividade política (deputado estadual e deputado federal pelo Pará). Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Pará e da Academia Paraense de Letras.
Benedito Nunes Filósofo, professor, crítico literário e escritor. Produção literária e filosófica. Co-fundador da Faculdade de Filosofia da UFPA. Prêmio Jabuti, Prêmio Machado de Assis e Prêmio Multicultural Estadão. Membro fundador da Academia Brasileira de Filosofia.
Carlos Augusto Peres Biólogo de campo e conservacionista e professor universitário. Conservação da floresta tropical. "Environmentalist Leader for the New Millennium", Time magazine e "Biodiversity Conservation Leadership Award".
Éder Mauro Delegado de polícia e político. Atividade política (deputado federal pelo Pará).
Edmilson Rodrigues Arquiteto, professor universitário e político. Atividade política (prefeito de Belém, deputado estadual e deputado federal pelo Pará). Prêmio Internacional de Dubai - Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos.
Elcione Barbalho Pedagoga e política. Atividade política (vereadora de Belém e deputada federal pelo Pará).
Elza Lima Fotógrafa. Registro fotográfico das tradições culturais e do cotidiano das populações ribeirinhas do Pará. Prêmio Marc Ferrez de Fotografia.
Flexa Ribeiro Engenheiro civil, empresário e político. Atividade política (senador pelo Pará).
Gerson Peres Advogado, jornalista e político. Atividade política (Vice-governador, deputado federal, deputado estadual e secretário de Promoção Social do Pará.
Gilvam Borges Político. Atividade política (senador e deputado federal pelo Amapá).
Hana Ghassan Contabilista. Atividade política (vice-governadora do Pará).
Haroldo Maranhão Escritor, jornalista e advogado. Produção literária. Prémio Vértice.
Horácio Schneider Primatólogo, ornitólogo, geneticista, pesquisador e professor universitário. Pioneiro da filogenia molecular de primatas neotropicais no Brasil. Ordem Nacional do Mérito Científico e Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico.
Inocêncio Mártires Coelho Jurista e professor. Co-fundador do Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa. Procurador-geral da República (1981-1985). Prêmio Jabuti.
Jader Barbalho Advogado, empresário e político. Atividade política (vereador de Belém, deputado estadual e federal, governador do Pará, ministro do Desenvolvimento Agrário e da Previdência Social, senador pelo Pará).
João Batista Oliveira de Araújo ("Babá") Engenheiro mecânico, professor universitário e político. Atividade política (vereador do Rio de Janeiro, vereador de Belém, deputado estadual e deputado federal pelo Pará). Co-fundador do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).
Lauro Morhy Biólogo, pesquisador e reitor da Universidade de Brasília. Determinou pela primeira vez no Brasil a estrutura sequencial completa de uma proteína. Medalha Mérito Alvorada e Medalha Mérito de Pioneiro.
Maria Lúcia Medeiros Escritora, poeta e professora. Produção literária. Prêmio IAP de Artes Literárias.
Maria Sylvia Nunes Diretora de teatro e professora. Fundadora da Escola de Teatro e Dança da UFPA. Professora Emérita da UFPA.
Mário Couto Administrador de empresas e político. Atividade política (senador pelo Pará).
Nilson Pinto Professor universitário e político. Atividade política (deputado federal pelo Pará). Reitor da UFPA (1989-1993)
Ophir Cavalcante Advogado. Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (2010-2013), procurador-geral do Estado do Pará (2016-2018). Ordem do Mérito Grão-Pará.
João de Jesus Paes Loureiro Escritor, poeta e professor. Produção literária e acadêmica. Membro da Academia de Letras do Brasil.
Papaléo Paes Médico e político. Atividade política (vice-governador do Amapá, senador pelo mesmo estado e prefeito de Macapá).
Paulo de Tarso Ramos Ribeiro Advogado e político. Atividade política (ministro da Justiça, secretário da Fazenda do Pará).
Paulo Fonteles Advogado, político, sindicalista e ativista. Atividade política (deputado estadual do Pará) e ativismo junto aos camponeses no estado do Pará.
Rubens Nascimento Mota ("Anormal do Brega") Advogado criminalista, professor de português, político, cantor e compositor. Canto e composição popular regional.
Simão Jatene Economista, professor universitário e político. Atividade política (governador do Pará). Ordem do Mérito Militar.
Walmir Oliveira da Costa Magistrado e professor. Ministro do Tribunal Superior do Trabalho.
Zenaldo Coutinho Advogado e político. Atividade política (deputado estadual do Pará, deputado federal pelo mesmo estado e prefeito de Belém). Membro da Academia Paraense de Letras.
Zeno Veloso Jurista, notário, professor e político. Produção acadêmica, atividade política (deputado estadual do Pará) Membro fundador do Instituto Brasileiro de Direito de Família e membro da Academia Paraense de Letras.

Referências

  1. Calouros assistem aula inaugural sobre " 50 anos da UFPA" - Portal UFPA
  2. a b c «Presidente da República nomeia Emmanuel Tourinho para reitoria da UFPA». G1. 14 de outubro de 2020 
  3. a b c «UFPA não tem reitor titular nesta quarta; instituição espera novo gestor ser nomeado pelo governo federal». G1. 23 de setembro de 2020. Consultado em 25 de setembro de 2020 
  4. a b c d e f g h i j k l m n «Histórico». Universidade Federal do Pará. Consultado em 31 de março de 2017 
  5. a b [1]
  6. «Demanda 2019» (PDF). Universidade Federal do Pará (CEPS). Consultado em 9 de junho de 2019 
  7. [2]
  8. a b «Faculdade de Medicina da UFPA completa 100 anos». Universidade Federal do Pará. 10 de janeiro de 2019. Consultado em 25 de abril de 2019 
  9. «Faculdade de Direito da UFPA celebra 115 anos de fundação». Universidade Federal do Pará. 5 de maio de 2017. Consultado em 27 de abril de 2019 
  10. Lista das maiores universidades brasileiras em número de matrículas Página visitada em 07-06-2012.
  11. a b Universidade Federal do Pará (UFPA) Página visitada em 15-03-2023.
  12. a b About Universidade Federal do Pará Página visitada em 15-03-2023.
  13. a b Brasil Página visitada em 15-03-2023.
  14. a b Federal University of Pará Página visitada em 15-03-2023.
  15. a b Federal do Para Página visitada em 24-03-2023.
  16. Histórico - Centro de Ciências Jurídicas
  17. «Faculdade de Farmácia comemora 110 anos no Pará». Universidade Federal do Pará. 8 de outubro de 2013. Consultado em 14 de março de 2020. A Faculdade de Farmácia teve sua origem na Escola de Farmácia do Pará, fundada no ano de 1903. A denominação de Faculdade de Farmácia só foi adquirida em 1941, na condição de unidade de ensino superior particular. 
  18. «Das faculdades isoladas à criação da UFPA». Jornal Beira do Rio. Abril–maio de 2016. Consultado em 14 de março de 2020 
  19. Sobre a Faculdade de Engenharia Civil. FEC UFPA. 21 de março de 2022.
  20. a b Cursos da UFPA: Ciências Econômicas. ASCOM. 2019
  21. Criação e Gestores. IFCH. 3 de julho de 2019
  22. José Maria Bassalo. Os Primeiros Professores de Física do Pará. Seara da Ciência - Curiosidades da Física.
  23. Lei nº 12.085, de 5 de novembro de 2009 - Dispõe sobre a criação da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, por desmembramento da Universidade Federal do Pará - UFPA e da Universidade Federal Rural da Amazônia - UFRA, e dá outras providências. - Casa Civil da PR
  24. Presidenta Dilma Rousseff sanciona lei que cria a Unifesspa - ASCON/UFPA
  25. «Cerimônia encerra gestão de Carlos Maneschy como reitor da UFPA». Universidade Federal do Pará. 17 de maio de 2016. Consultado em 31 de março de 2017 
  26. «Emmanuel Tourinho assume o cargo de reitor da UFPA». Universidade Federal do Pará. 11 de outubro de 2016. Consultado em 31 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]