Universidade São Marcos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura a universidade peruana, veja Universidade Nacional Maior de São Marcos.
Universidade São Marcos
Universidade São Marcos.jpg
USM - SMARCOS
Lema Ad Altiora
(Para as coisas mais elevadas)
Fundação 29 de maio de 1970
Descredenciada em 26 de março de 2012
Tipo de instituição Sem Fins Lucrátivos
Localização Paulínia, São Paulo (estado)
Reitor(a) Ernani Bicudo de Paula
Página oficial universidadesaomarcos.edu.br

A Universidade São Marcos foi uma das mais tradicionais instituições de ensino superior brasileira sediada na cidade de São Paulo. Possuía dois campi, sendo um em São Paulo no bairro do Ipiranga e outro em Paulínia, na região de Campinas.

História[editar | editar código-fonte]

A Universidade São Marcos foi fundada no dia 29 de maio de 1970 pelo Reitor da Universidade, Ernani Bicudo de Paula. Na época se chamava Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras São Marcos. Em 2001, foi inaugurado o campus de Paulínia, levando a Universidade para o interior do estado.

Um dos cursos mais tradicionais era o de Psicologia. O curso existia desde 1971 e seu reconhecimento pelo Ministério da Educação (MEC) remonta à sua fundação.

Pelo curso de Psicologia da Universidade São Marcos passaram pessoas ilustres como o professor e escritor Antonio da Costa Ciampa, o ator Leonardo Miggiorin, o treinador e ex-jogador Fernando Diniz e o jornalista, advogado e psicólogo Ruy Barboza entre outras notórias celebridades e intelectuais modernos.[carece de fontes?]. Durante sua trajetória, ofereceu cursos de Mestrado e de Doutorado. Nos Mestrados de Cooperação Internacional e no Multidisciplinar em Administração, Comunicação e Educação teve como aluno o Professor Paulo Alonso, então reitor de uma universidade carioca.

Descredenciamento e abandono[editar | editar código-fonte]

Sambódromo Paulínia local onde funcionava a Universidade São Marcos

Foi descredenciada pelo Ministério da Educação em 26 de março de 2012, depois de estar sob intervenção judicial, desde setembro de 2011. Segundo a avaliação do MEC, havia irregularidades como: inviabilidade financeira, desorganização acadêmica e administrativa da instituição.[1]

Na época houve revolta por parte dos alunos da Universidade, sendo que 250 deles chegaram a protestar contra a decisão do MEC.[2] O Ministério Público de Paulínia chegou a abrir um inquérito civil para apurar possíveis prejuízos aos alunos da Universidade.[3] Sua última turma se formou em 10 de dezembro de 2013.[carece de fontes?]

O Sambódromo de Paulínia local onde funcionava a Universidade chegou a abrigar entre 2011 a 2012 o colégio técnico CEMEP,[4][5] porém, desde 2016, o antigo prédio da Universidade está abandonado pela prefeitura de Paulínia.[6]

Referências

  1. Ministério da Educação. «MEC encerra oferta de cursos na Universidade São Marcos». 1/6/2012. Consultado em 28 de fevereiro de 2014 
  2. G1. «Alunos da São Marcos protestam contra o fechamento da universidade». 26/03/2012. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  3. G1. «MP de Paulínia apura danos a alunos após fechamento de universidade». 05/03/2013. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  4. Redação Jornal Tribuna Paulínia (21 de março de 2011). «Alunos do Cemep têm aulas em instalações improvisadas». Jornal Tribuna Paulínia. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  5. Redação Jornal Tribuna Paulínia (1 de abril de 2011). «Problemas no CEMEP são expostos novamente pelos alunos». Jornal Tribuna Paulínia. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  6. «Abandonado desde 2016, sambódromo de Paulínia tem lixo, material de carnaval e paredes destruídas». G1. 29 de janeiro de 2018. Consultado em 17 de agosto de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]