Universidade de Macau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Universidade de Macau, 澳門大學, anteriormente designada Universidade da Ásia Oriental, foi criada em Março de 1981, sendo a primeira e a mais antiga universidade ainda existente em Macau.

No entanto, este não foi o primeiro estabelecimento universitário no território já que o Colégio de São Paulo, fundado pela Companhia de Jesus no século XVI e do qual hoje em dia já só restam as famosas Ruínas de São Paulo, símbolo de Macau, foi o primeiro estabelecimento universitário de matriz ocidental na Ásia. No entanto esse colégio, também na altura conhecido como "Universidade de Macau", foi encerrado na altura da expulsão da Companhia de Jesus de Portugal por Marquês de Pombal.

A Universidade tem o seu campus na ilha da Taipa. O Governo tornou-a em 1991 numa universidade pública. O campus na ilha da Taipa cresceu bastante nos últimos anos como resultado do rápido desenvolvimento económico local. No ano de 2011, a Universidade de Macau comemorou o seu trigésimo aniversário. Actualmente é a maior universidade da cidade.

Faculdades[editar | editar código-fonte]

A Universidade de Macau (UM) dá grande atenção à educação e aos seus alunos, mas ainda não conseguiu cobrir todos os ramos principais do saber: áreas como a medicina ocidental, a arquitectura, a filosofia, entre muitas outras, não são ainda objecto de faculdades próprias. Actualmente, existem as seguintes faculdades e institutos:


Estas são áreas que foram consideradas prioritárias para o desenvolvimento de Macau. A Universidade pretende continuar a expandir gradualmente as áreas do saber cobertas.

Línguas de ensino[editar | editar código-fonte]

Um factor importante a ter em conta é o facto de que Macau, devido à sua História muito longa e em especial à presença e administração portuguesa desde o século XVI até 1999, é um espaço multicultural. Esta situação não podia deixar de se reflectir no ensino. Assim, são usadas várias línguas no ensino, como por exemplo o chinês, o português e o inglês, mas nem todas as faculdades usam-nas todas.

Assim por exemplo, a Faculdade de Gestão sempre funcionou exclusivamente em inglês. Já a Faculdade de Direito, por seu lado, tem uma história mais complexa visto que iniciou os seus trabalhos com o lançamento de cursos de licenciatura em português em 1988, tendo iniciado em 1996 cursos em chinês e recentemente cursos de mestrado em inglês. Com a criação desta faculdade de grande importância, a formação jurídica em Macau passou a ser assegurada essencialmente por esta universidade, nas várias línguas referidas anteriormente, contribuindo muito para a formação de profissionais na área do Direito e consequentemente para a "localização" do sistema jurídico de Macau.

Deve notar-se que, dependendo das faculdades e dos cursos, o chinês oral usado é umas vezes o cantonense (a língua oficial de Macau) e outras vezes o mandarim (a língua oficial da República Popular da China). O português usado é o de Portugal e não o do Brasil.

Novo Campus e o futuro da Universidade de Macau[editar | editar código-fonte]

Dado que o actual campus não permite a expansão necessária da Universidade, nomeadamente a criação de novas faculdades e abertura de novos cursos, a UM começou em 2007 a procurar um local para construir um novo campus, o que se tornou um problema, dado a exiguidade do território de Macau. A solução para o problema veio do governo central popular quando em Janeiro de 2009 Xi Jinping, vice Presidente da República Popular da China anunciou a possibilidade de o novo campus se instalar na Ilha da Montanha (Hengqin) como projecto piloto de modo a estreitar a colaboração entre a província de Cantão e a RAEM, contribuindo consequentemente no desenvolvimento da referida ilha.

A 27 de Junho desse mesmo ano o Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional aprovou uma Lei concedendo jurisdição à RAEM sob o local onde seria construído o campus. Tal quer dizer que aí se aplicará a lei da RAEM e não a da RPC: consequentemente será aplicado na área do novo campus o regime dos direitos, liberdades e garantias da RAEM, nomeadamente liberdades de ensino, pensamento, expressão e acesso à informação, como seja o irrestrito acesso à internet e aos media estrangeiros.

Finalmente a 20 de Dezembro de 2009, completando-se nesse dia 10 anos da transferência de soberania de Macau de Portugal para a China, o Presidente Hu Jintao presidiu à cerimónia do início das obras do novo campus.

O novo campus terá uma área de cerca de 5,4 hectares, uma área 20 vezes superior ao do campus actual e terá capacidade para acolher 10 mil alunos. Contará com um sistema de residências multi-disciplinares e com novas faculdades como seja as faculdades de Belas Artes e Saúde.

O campus estará ligado por um túnel a Macau onde, obviamente, não haverá controlo fronteiriço.

O projecto pretende responder a preocupações não só de conforto mas também de preservação ambiental, escolhendo as soluções mais ecológicas actualmente existentes.

Legislação aplicável[editar | editar código-fonte]

A Universidade de Macau regula-se pela Lei n.º 1/2006, de 13 de Março, pela Ordem Executiva n.º 14/2006, de 24 de Abril, e legislação complementar.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade de Macau