Urbano Duarte de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Urbano Duarte de Oliveira Academia Brasileira de Letras
Nascimento 2 de janeiro de 1855
Lençóis, Flag of Brazil (1870–1889).svg Império do Brasil
Morte 10 de fevereiro de 1902 (47 anos)
Rio de Janeiro,  Brasil
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Militar, jornalista, cronista, humorista e dramaturgo

Urbano Duarte de Oliveira (Lençóis, 2 de janeiro de 1855Rio de Janeiro, 10 de fevereiro de 1902) foi um militar, jornalista, cronista, humorista e dramaturgo brasileiro, membro fundador da Academia Brasileira de Letras.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Como militar, assentou praça em 21 de março de 1874. Completou o curso de artilharia na Escola Militar, chegando ao posto de major em 1893. Foi preparador do gabinete de química da Escola Superior de Guerra.

Cultivou desde cedo as letras e a vida literária, participando do grupo boêmio de Olavo Bilac. Durante mais de 20 anos colaborou em órgãos da imprensa, como a Gazeta Literária, O Paiz, Correio do Povo (com Alcindo Guanabara, Artur Azevedo e Alfredo Madureira), Gazetinha e Jornal do Commercio.

Destacou-se como um dos maiores cronistas humorísticos na imprensa do Rio de Janeiro e também no teatro.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • O anjo da vingança, drama, com Artur Azevedo (1882)
  • A princesa Trebizon, ópera burlesca em 3 atos, tradução de parceria com Azevedo Coutinho e música de Offenbach (1883)
  • O escravocrata, drama em 3 atos, com Artur Azevedo (1884)
  • Os gatunos, comédia em 1 ato (1884)
  • Humorismo, reunião de crônicas, com o pseudônimo J. Guerra (1895).

A maior parte de seus artigos publicados em revistas e jornais não foram reunidos em livros.

Olivenkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Convidado para a última sessão preparatória da Academia Brasileira de Letras, em 28 de janeiro de 1897, é o fundador da cadeira 12, que tem como patrono França Júnior.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
França Júnior
(patrono)
Olivenkranz.png ABL - fundador da cadeira 12
1897 — 1902
Sucedido por
Antônio Augusto de Lima