Urraca I de Leão e Castela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Urraca I de Leão
Rainha de Leão e de Castela
Miniatura medieval que representa a rainha Urraca I de Leão.
Governo
Reinado 11091126
Consorte Raimundo de Borgonha
Afonso I
Sucessor Afonso VII
Vida
Nascimento 24 de junho de 1078
Morte 8 de março de 1126
Sepultamento Panteão de Reis de São Isidoro de Leão
Pai Afonso VI
Mãe Constança de Borgonha

Urraca I de Leão e Castela (ca. 10781126), foi rainha de Leão e Castela desde a morte do pai, em 30 de Junho de 1109, até 8 de Março de 1126. Era filha de Afonso VI de Leão e Castela e de sua terceira esposa Constança da Borgonha.

Casou por duas vezes, a primeira com Raimundo da Borgonha, de quem enviuvou em 1107, e do qual teve como filho Afonso Raimundes (o futuro Afonso VII), e em segundas núpcias com Afonso I de Aragão — seu parente afastado, uma vez que ambos eram bisnetos de Sancho Garcês III de Pamplona — o que levou à anulação do matrimónio pelo Papa Pascoal II, embora tenham permanecido juntos até 1114). A juntar a isso, a própria nobreza de Leão e Castela obstou ao matrimónio, gerando-se um clima de guerra civil no reino. Enfim, teve também que fazer frente ao próprio filho, tornado rei da Galiza, para poder manter o trono. Quando Urraca morre, é o seu filho que lhe sucede à frente dos destinos dos reinos.

Origens familiares[editar | editar código-fonte]

Filha de Afonso VI e da rainha Constança da Borgonha, por parte paterna eram seus avós os reis Fernando I de Leão, rei de Leão e de Castela, e de sua esposa Sancha de Leão, filha de Afonso V de Leão. Por parte materna eram seus avós o duque Roberto I de Borgonha, filho de Roberto II de França, que era o segundo monarca francês da dinastía dos Capetos, e de sua esposa Hélie de Samur.

Condessa da Galiza[editar | editar código-fonte]

O nascimento do seu meio irmão Sancho em 1093 a afastou da linha sucessória ao trono de seu pai.

Em 1090, Urraca contraio matrimónio com Raimundo de Borgonha, um nobre francês que chegou a Leão após a Batalha de Sagrajas respondendo ao chamamento que Afonso VI realizou há cristandade europeia com a intenção de organizar uma cruzada contra os Almorávidas que assolavam os seus reinos.

Em 1095, a raiz do matrimónio de outra das filhas de Afonso VI, Teresa de Leão, com Henrique de Borgonha, o monarca dividiu Galiza em dois condados: o Condado da Galiza foi concedido a Urraca e Raimundo, e o condado Portucalense, que compreendia as terras entre os rios Douro e Minho, que correspondia como dote a Teresa e Henrique e que com o tempo daria lugar ao reino independente de Portugal.

Rainha de Leão e de Castela[editar | editar código-fonte]

Dona Urraca

Ascensão ao trono[editar | editar código-fonte]

Em 1108 faleceu o seu irmão Sancho na batalha de Uclés. A morte do único descendente varão de Afonso VI converte a Urraca, que havia enviuvado um ano antes, a candidata melhor situada para suceder a seu pai, que reune em Toledo os nobres do reino e lhes comunica o fato de, em seguida, incomum que ela é escolhida para sucedê-lo.

Os nobres aceitam a designação real porém exigem que Urraca contraia um novo matrimónio. Inmediatamente surgem vários candidatos para desposar a herdeira ao trono, entre os que destacam o conde Gomes Gonçalves de Manzanedo e o conde Pedro Gonçalves de Lara. Afonso VI, temendo que as rivalidades que existiam entre os nobres castelhanos e leoneses por esta razão, decide casar Urraca com o rei aragonês Afonso I de Aragão. O matrimónio se celebra em 1109 no castelo de Monzón de Campos, com o alcaide da fortaleza, Pedro Ansúrez apadrinhando o enlace, sem que esteja claro se foi antes ou depois da morte do rei Afonso VI.

Matrimónios e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou com Raimundo de Borgonha (m. 24 de maio de 1107), filho de Guilherme I, Conde da Borgonha e de Estefânia da Borgonha, filha de Adalberto da Lorena e de Clemência de Foix, de quem teve:

  1. Afonso VII de Leão e Castela (Caldas de Reis, 1 de Março de 1105Viso del Marqués?, 21 de Agosto de 1157).
  2. Sancha Raimundes (c. 109530 de fevereiro de 1159).

Teve relações amorosas com Pedro Gonçalves de Lara, conde e senhor da Casa de Lara, filho de Gonçalo Nunes I de Lara, de quem teve pelo menos dois filhos.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • SOUSA, António Caetano, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, Atlântida-Livraria Editora, Lda, 2ª Edição, Coimbra, 1946. Tomo I-pg. 41.


Precedido por:
Afonso VI
Armas do reino de Leão
Rainha de Leão

1109 - 1126
Seguido por:
Afonso VII
Armas do reino de Castela
Rainha de Castela

1109 - 1126
Rainha de Toledo
1109 - 1126
Armas do reino da Galiza
Rainha da Galiza

1109 - 1112
Ícone de esboço Este artigo sobre uma Rainha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.