Uruburetama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Uruburetama, veja Uruburetama (desambiguação).
Município de Uruburetama
"Arraial"
Uruburetama-Foto Aerea.jpg

Bandeira de Uruburetama
Brasão de Uruburetama
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1 de agosto
Fundação 1 de agosto de 1890 (126 anos)
Gentílico uruburetamense
Lema "Um Novo Tempo Chegou!"
Padroeiro(a) São João Batista
Prefeito(a) Luiz Vladeirton Oliveira de Queiroz Filho (PSD[1])
(2013–2016)
Localização
Localização de Uruburetama
Localização de Uruburetama no Ceará
Uruburetama está localizado em: Brasil
Uruburetama
Localização de Uruburetama no Brasil
03° 37' 30" S 39° 30' 28" O03° 37' 30" S 39° 30' 28" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Norte Cearense IBGE/2008 [2]
Microrregião Uruburetama IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Norte e Oeste - Itapipoca; Leste - Tururu; Sul - Umirim, Itapajé.
Distância até a capital 110 km
Características geográficas
Área 97,107 km² [3]
População 20 991 hab. IBGE/2014[4]
Densidade 216,16 hab./km²
Altitude 210 m
Clima Tropical subúmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,632 médio PNUD/2000 [5]
PIB R$ 96 244,572 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 4 752,11 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura www.uruburetama.ce.gov.br

Uruburetama é um município brasileiro do estado do Ceará. Pertence à mesorregião do Norte Cearense e à microrregião de Uruburetama. Desenvolveu-se às margens do rio Mundaú, no nordeste do país. Conhecida como Terra da Banana e Arraial, sua população, segundo o censo do IBGE de 2014, era de 20 991 pessoas. [5] "Uruburetama" é uma palavra tupi que significa "terra dos urubus", através da junção dos termos uru'bu ("urubu")[7] e retama ("terra").

História[editar | editar código-fonte]

O município situa-se na antiga sesmaria concedida ao capitão-mor Bento Coelho de Morais, em 19 de novembro de 1720.

Essas terras foram doadas ao padre Estevão Velho Cabral de Melo para patrimônio sacerdotal por Manuel Pereira Pinto, tenente-coronel, que as recebera de herança do capitão-mor Bento Coelho de Morais, seu sogro.

Em 1761, surgiu, pela primeira vez, o topônimo "Sítio Arraial", em um documento em que o padre Estevão revertia as terras aos seus doadores, reservando para si apenas um quarto de légua.

Em 1878, os padres João Francisco Dias Nogueira e José Tomaz de Albuquerque concluíram a atual igreja matriz graças a doações do povo.

Em 1 de agosto de 1890, pelo Decreto 34, o povoado foi elevado a vila com o topônimo de São João do Arraial. Porém, no ano seguinte, por termo judicial, o município foi extinto e anexado aos municípios de São Francisco(atual Itapajé) e Itapipoca.

Em 28 de julho de 1899, através da Lei 526, o município foi restaurado com a denominação de São João de Uruburetama.

A vila foi elevada à categoria de cidade com a denominação de Arraial em 1931, em virtude do Decreto Estadual 262, de 28 de julho de 1931. No entanto, essa denominação foi substituída pela de Uruburetama em 1938. Na época, o município compunha-se dos distritos: Uruburetama (sede), Curu (atual São Luís do Curu), Natavidade (Cemoaba), Riachuelo (atual Umirim) e Tururu, todos independentes atualmente.

Atualmente o município compõe-se dos distritos da Sede, Santa Luzia, Itacolomy, Mundaú e Retiro.

Confederação do Equador[editar | editar código-fonte]

Durante a revolução de 1817 Tristão Gonçalves de Alencar Araripe convocou um contingente de 800 milicianos na Serra de Uruburetama, liderados por Francisco Barroso de Sousa Cordeiro a fim de buscar apoio das vilas do interior na deposição do Presidente da Província nomeado pelo Império. Porém, apenas as vilas da região da Serra de Uruburetama aderiram a revolução, enquanto as outras vilas não aceitaram e contra-atacaram. Quando Tristão partiu para o interior para tentar derrotar as tropas legalistas a capital Fortaleza reafirmou sua lealdade ao Império. Muitos morreram em combate, como o próprio Tristão Gonçalves em 1825 em Jaguaretama, mas alguns foram executados na Praça dos Mártires em 1825, como Padre Mororó.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Situa-se na região litorânea do estado, com uma distância, em linha reta, de aproximadamente 109,6 km, da capital do estado, Fortaleza, 2347 km da maior cidade do país, São Paulo e 1636 km da capital do país, Brasília. Está localizada na Microrregião de Uruburetama que é pertencente à Mesorregião do Norte Cearense.

Localidades na vizinhança[editar | editar código-fonte]

O diagrama seguinte representa as localidades num raio de 40 km ao redor de Uruburetama.

Localidades na vizinhança
UruburetamaUruburetama
Small-city-symbol.svgIrauçuba (34 km)
Small-city-symbol.svgItapajé (12 km)
Small-city-symbol.svgItapipoca (16 km)
Small-city-symbol.svgUmirim (19 km)
Small-city-symbol.svgSão Luís do Curu (30 km)
Small-city-symbol.svgPentecoste (32 km)
Small-city-symbol.svgTururu (8 km)

Geologia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Uruburetama está localizada no Maciço Residual da Serra de Uruburetama. Seus solos principais são: Solos Litólicos e Podzólico Vermelho-Amarelo. As vegetações presentes no município são Caatinga Arbustiva Aberta, Floresta Subcaducifólia Tropical Pluvial e Floresta Subperenifólia Tropical Pluvio-Nebular[8]

Vista da cidade de Uruburetama a partir da Serra do Pau Alto. 2013.
Uruburetama-Foto Aerea.jpg

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Açude Mundaú
Açude Mundaú

O município de Uruburetama é cortado por 2 rios o rio Mundaú, e o rio Angelim que pertence à Bacia do Rio Mundaú. A bacia está inserida na grande unidade hidrológica denominada Bacia do Litoral [9]. O rio nasce na localidade de Cabeceiras do Mundaú, no Sítio Pau Amarelo e deságua no município de Trairi na praia de Mundaú percorrendo 160 km desde sua nascente até o encontro com o mar.

Altitude[editar | editar código-fonte]

Atinge 210 metros na sede municipal e 950 metros na Serra de Retiro, o ponto de maior altitude do município de Uruburetama e da [Microrregião de Uruburetama].

Clima[editar | editar código-fonte]

Seu clima predominante é o Tropical Quente Semi-árido, com temperatura média de 15° a 33°. A pluviosidade é de 1.274,5mm [10]. Devido sua altitude e sua proximidade do mar apresenta pluviometria média maior que a média da região onde está localizada. Na região, chama-se o período de fevereiro a junho de "inverno" e o período de julho a janeiro de "verão", segundo o costume tradicional da Região Nordeste do Brasil.


Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Uruburetama Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 33,8 34,6 33,9 34 33,2 33,5 33,2 34,4 33,9 33,4 33,5 37 37
Temperatura máxima média (°C) 30,5 30,1 29,7 29,7 29,9 29,6 29,5 29,9 30,2 30,5 30,7 30,7 30,1
Temperatura média (°C) 27,1 26,9 26,4 26,2 26,2 25,8 25,6 26 26,4 26,9 27,2 27,3 26,6
Temperatura mínima média (°C) 24,4 24 23,6 23,4 23,3 22,8 22,4 22,7 23,4 24,1 24,4 24,6 23,6
Temperatura mínima absoluta (°C) 20 21,2 20,2 20 20,6 20,2 19,4 19,4 20,5 21 21,3 21 19,4
Precipitação (mm) 100,3 138,6 253,5 210,9 168,0 52,1 31,8 4,7 2,3 4,5 4,7 24,2 1 608,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 11 15 22 21 19 14 10 5 5 4 3 6 132
Umidade relativa (%) 78,1 81,4 84,7 85,2 83,6 81 78,8 75,3 74,4 74 73,7 75,9 78,8
Horas de sol 225,2 182,3 150 157,1 208,4 238,7 268,3 295,9 281,6 291,4 282,2 262,3 2 843,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (normal climatológica de 1961-1990;[11][12][13][14][15][16][17] recordes de temperatura: 1961-1970, 1974-1985, 1990 e 1993-presente).[18][19][20]

Economia[editar | editar código-fonte]

Com um PIB, em 2009, de R$105.932.000, o PIB per capita do município era de R$5.136[21]. As principais atividades do município de Uruburetama são a Indústria de Transformação (que empregava, em 2011, 1.294 pessoas)[21]), a Administração Pública (1.068 empregos em 2011)[21]) e o Comércio (278 empregos em 2011).

A tabela acima expressa o PIB de Uruburetama em R$ mil e o PIB per capita em R$.

Política[editar | editar código-fonte]

Lista de prefeitos de Uruburetama

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Predefinição:Subdivisões do município de Uruburetama

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Alto da Bela Vista
  • Itamaraty
  • Alto da Colina
  • Angelim
  • Volta
  • Novo Angelim
  • Alto São João
  • Vila Maria Rosa
  • Casinhas
  • Lajeiros
  • Morro da Paz

Distritos e Comunidades[editar | editar código-fonte]

  • Itacolomy (Distrito)
  • Santa Luzia (Distrito)
  • Santa Maria
  • Severino
  • Retiro (Distrito)
  • Bananal
  • Canto Escuro
  • Água Sumida
  • Sítio Pirapora
  • Balança
  • Ouro
  • Tamboatá
  • Sítio Pau Alto
  • Serra do Sítio
  • Baixa Grande
  • São João
  • Mundaú (Distrito)
  • Açude dos Vianas
  • Ferrão
  • Manoel Rodrigues
  • Itapirema
  • Prata dos Galdinos
  • Prata do Bananal
  • Polônia
  • São João
  • Luiz Inácio
  • Água Fria
  • São Romão

Educação[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o município contava com:

A EEEP Maria Auday Vasconcelos Nery faz parte do sistema educacional público estadual da cidade e atende aos municípios de Uruburetama, Umirim e Tururu.
  • 27 Escolas Municipais
  • 03 Escolas Estaduais
  • 00 Escolas Federais
  • 03 Escolas Particulares

[30]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município faz parte do CPSMIT. Conta também com um hospital público e PSF's.

Literatura[editar | editar código-fonte]

Na literatura de Uruburetama é citada na obra Iracema de José de Alencar no capítulo 20:

Atravessam os córregos que levam suas águas ao rio das garças, e avistam longe no horizonte uma alta serrania. Expira o dia; nuvem negra voa das bandas do mar: são os urubus que pastam nas praias a carniça que o oceano arroja, e com a noite tornam ao ninho. Os viajantes dormem em Uruburetama. Quando o Sol voltou, chegaram às margens do rio, que nasce da quebrada da serra e desce a planície enroscando-se como uma cobra. Suas voltas contínuas enganam a cada passo o peregrino, que vai seguindo o tortuoso curso; por isso foi chamado Mundaú.

Recentemente foi citada como cidade natal do personagem Crodoaldo Valério o Crô da novela Fina Estampa (2011) da emissora Globo.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Inverno de 2009[editar | editar código-fonte]

O ano de 2009 já ficou na história uruburetamense e de todo o Ceará como o ano mais chuvoso do milênio. Nesse ano, ocorreram mais de dez deslizamentos de terra nos morros de Uruburetama e mais de dez focos de enchente, além de uma última que arrasou a cidade. Já ao mês de julho desse mesmo ano, a cidade já estava recuperada, mas em alerta, pois ainda não haviam cessado as chuvas.

Lendas[editar | editar código-fonte]

Por se tratar de uma cidade histórica, Uruburetama apresenta nas histórias contadas por antigos diversos mistérios. Um desses mistérios relata uma peste que assolou a cidade provavelmente no fim do século XIX ou começo do século XX, não sabendo-se ainda a data precisa. Conta-se da morte de milhares tendo o antigo cemitério não comportado tantos corpos. Esses corpos tiveram de ser enterrados numa vala comum em algum lugar da Serra do Junqueira, nos arredores da sede municipal, ao sul, não sabendo-se a localização precisa dessa vala. Relata-se que foi dessa época a realocação dos corpos do antigo cemitério, ao redor da Igreja de São João de Uruburetama, para o atual cemitério, após os moradores perceberem a necessidade de um novo cemitério. Recentemente várias aparições estranhas aconteceram no céu de Uruburetama como um clarão azul acima da Serra do Pau Alto até hoje inexplicado. O fenômeno foi visto por pessoas de várias partes da cidade o que aumentou ainda mais o mistério sobre o acontecido. As testemunhas afirmam que nunca haviam visto algo parecido e que não se tratava de avião, helicóptero ou coisa do gênero.

Referências

  1. «Prefeitos eleitos no Ceará - 2013 a 2016».  Página visitada em 05/01/2013.
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  4. «Estimativa populacional 2014 IBGE». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  7. FERREIRA, A. B. H. Método Moderno de Tupi Antigo. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 1 743
  8. «Perfil Básico Municipal 2012 - Uruburetama» (PDF). Perfil Básico Municipal 2012. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Consultado em 30 de dezembro de 2012. 
  9. [1]
  10. [2]
  11. «Temperatura Média Compensada (°C)». Instituto Nacional de Meteorologia. 1961-1990. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  12. «Temperatura Máxima (°C)». Instituto Nacional de Meteorologia. 1961-1990. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  13. «Temperatura Mínima (°C)». Instituto Nacional de Meteorologia. 1961-1990. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  14. «Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm)». Instituto Nacional de Meteorologia. 1961-1990. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  15. «Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias)». Instituto Nacional de Meteorologia. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  16. «Insolação Total (horas)». Instituto Nacional de Meteorologia. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  17. «Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%)». Instituto Nacional de Meteorologia. Arquivado desde o original em 4 de maio de 2014. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  18. «BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (°C) - Fortaleza». Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2014. 
  19. «Temperatura Máxima Absoluta (°C)». Instituto Nacional de Meteorologia. 1961-1990. Arquivado desde o original em 8 de maio de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2014. 
  20. «BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (°C) - Fortaleza». Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2014. 
  21. a b c [3]
  22. «Produto Interno Bruto dos Municipios 1999-2002» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2005. Consultado em 14 dez. 2015. 
  23. «Produto Interno Bruto dos Municipios 2002-2007» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2009. Consultado em 14 dez. 2015. 
  24. «Produto Interno Bruto dos Municipios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2011. Consultado em 14 dez. 2015. 
  25. «Contas Regionais 2009 - Ceará» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2011. Consultado em 14 dez. 2015. 
  26. a b «Perfil Básico Municipal 2011 - Uruburetama» (PDF). Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. 2011. Consultado em 14 dez. 2015. 
  27. a b «Perfil Básico Municipal 2013 - Uruburetama» (PDF). Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. 2013. Consultado em 14 dez. 2015. 
  28. a b «Perfil Básico Municipal 2014 - Uruburetama» (PDF). Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. 2014. Consultado em 14 dez. 2015. 
  29. a b «Perfil Básico Municipal 2015 - Uruburetama» (PDF). Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. 2015. Consultado em 14 dez. 2015. 
  30. [4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]