Usina Hidrelétrica Estreito (Maranhão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Usina Hidrelétrica de Estreito fica localizada na cidade de Estreito, no Maranhão, aproveitando o potencial hidroenergético do rio Tocantins.

Usina Hidrelétrica de Estreito e Ferrovia Norte-Sul

A usina é capaz de gerar até 1.087 MW de potência,[1] suficiente para atender a demanda de uma cidade com 4 milhões de habitantes, mas a energia média gerada é de 641,1 MW. [2]

A obra foi iniciada em 2007 e inaugurada em 17 de outubro de 2012, a um custo de 5 bilhões de reais.[2]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Plano Decenal de Expansão da oferta de energia elétrica (2000/2009), elaborado pelo Grupo Coordenador do Planejamento dos Sistemas Elétricos (GCPS – Eletrobrás), relaciona a UHE Estreito como um empreendimento de geração de energia elétrica necessário para atender ao aumento da demanda nacional.[3]

Em janeiro de 2001, Eletronorte e Themag realizam estudo de revisão das características técnicas da UHE Estreito, definindo localização, quedas e arranjos gerais do empreendimento.[3][3]

Em julho de 2002, as empresas Suez Energy South America Participações Ltda., BHP Billiton Metais, Vale, Alcoa Alumínio S.A. e Camargo Corrêa Energia vencem o leilão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL para a implantação da Usina Hidrelétrica Estreito – UHE Estreito.[3]

Realização de audiências públicas nas Cidades de Carolina e Estreito, no Maranhão, e Babaçulândia, Filadélfia e Aguiarnópolis, no Tocantins. As audiências tiveram uma média de participação superior a 300 pessoas.[3]

É iniciado o Programa de Comunicação Social junto às comunidades da área de abrangência da UHE Estreito. As ações incluem a criação de Centros de Informação, a divulgação de ações em rádios e TVs regionais, a distribuição de material impresso sobre o empreendimento e a realização de reuniões com a comunidade e suas associações organizadas.[3]

Em abril de 2005, o IBAMA emite a Licença Ambiental Prévia atestando a viabilidade técnica e ambiental da UHE Estreito. Em dezembro de 2006,o IBAMA emite a Licença de Instalação, autorizando o início da construção da UHE Estreito.[3]

Em fevereiro de 2007, é assinado o Contrato de Fornecimento de Equipamentos e iniciada a implantação do Canteiro de Obras da UHE Estreito.[3]

Em novembro de 2010, IBAMA emite a Licença de operação, autorizando o início do enchimento do reservatório da UHE Estreito. O então presidente da República do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, aciona o fechamento da primeira comporta do vertedouro, simbolizando o início do enchimento do reservatório.[3]

Em 17 de outubro de 2012, ocorre a inauguração da UHE Estreito. A presidenta da República, Dilma Rousseff, aciona simbolicamente a oitava unidade geradora. Assim, a UHE Estreito passa a oferecer ao Brasil, em sua capacidade total, 1.087 MW de energia limpa e renovável.[3]

Em novembro de 2012, a SEMA - MA emite a Renovação da Licença de Operação da Linha de Transmissão, LT 500 kV SE – ESTREITO / SE IMPERATRIZ, com extensão de 140,4 km e 1 (uma) Subestação de Energia de 500 kV, na área da Usina Hidrelétrica de Estreito.[3]

Proprietários[editar | editar código-fonte]

Tem como proprietários: Estreito Energia S.A (25.49 %); Companhia Energética Estreito S.A.(40.07 %); Vale S/A (30 %) ESTREITO PARTICIPACOES S.A(4.44%).[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A área do reservatório é de 555 quilômetros quadrados, com uma queda nominal de 18,94 metros. envolvendo parte de 12 municípios nos Estados do Maranhão e Tocantins. Seu reservatório poderá acumular um volume de água de até 5,4 bilhões de metros cúbicos [2]

Os municípios interferidos são: Estreito e Carolina (MA), Aguiarnópolis, Babaçulândia, Barra do Ouro, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratins, Palmeirante, Palmeiras do Tocantins, Tupiratins (TO).

Na margem direita, em Estreito, no Maranhão, a geração possui oito turbinas. Na esquerda, em Aguiarnópolis e Palmeiras, no Tocantins, foi construído ao mesmo tempo o vertedouro com 14 comportas. A energia gerada em Estreito é levada para Imperatriz, no Maranhão, por uma linha de transmissão, de onde é distribuída para outras regiões do País[2]

A Barragem conta com:[3]

  • Tipo de estrutura / Material: Terra / Enrocamento
  • Comprimento total da crista: 534,13 m
  • Altura máxima: 57 m
  • Comprimento da barragem (sem vertedouro e casa de força): 480 m
  • Elevação da crista da barragem: 159,0 m

Referências

  1. a b «ANEEL» 
  2. a b c d «Estreito só no nome - ISTOÉ DINHEIRO». ISTOÉ DINHEIRO. 31 de dezembro de 2008 
  3. a b c d e f g h i j k l «Histórico | CESTE». CESTE - Consórcio Estreito Energia | Usina Hidrelétrica Estreito. Consultado em 18 de março de 2018.