Usina Hidrelétrica de Xingó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Usina Hidrelétrica de Xingó
Comportas da Usina Hidrelétrica de Xingó.jpg
Usina de Xingó
Localização
Localização Piranhas e Canindé de São Francisco, Alagoas e Sergipe, Brasil Editar isso no Wikidata
Rio Rio São Francisco
Coordenadas -9.620891,-37.79108
Dados gerais
Empresa geradora CHESF
Operador CHESF
Obras 1987-?
Data de inauguração 1994
Características
Tipo barragem, usina hidrelétrica
Altura 141 (150?) m
Reservatório
Área alagada 60 km² km²
Capacidade de geração 3162 MW
Unidades geradoras 6
Website
http://www.chesf.gov.br

A Usina Hidrelétrica de Xingó está localizada no Rio São Francisco, na divisa de Alagoas e Sergipe, próximo a Piranhas, Brasil. A barragem foi construída para navegação, abastecimento de água e geração de energia hidrelétrica, uma vez que suporta uma estação de energia de 3.162 megawatts. Foi construída entre 1987 e 1994 e o último de seus geradores foi comissionado em 1997.

Construção[editar | editar código-fonte]

Os estudos para a Barragem de Xingó foram feitos na década de 1950 e os contratos de construção só foram concedidos em 1982. A construção da barragem começou em março de 1987, mas foi interrompida em setembro de 1988 porque uma crise de dívida paralisou o financiamento. A construção foi reiniciada em 1990 e, em 1994, a barragem foi concluída.[1] Em 10 de junho de 1994, a barragem começou a represar o rio quando seu reservatório começou a encher. Em 15 de novembro daquele ano, o reservatório atingiu seu nível máximo de 130 metros.[2] O primeiro gerador da usina foi comissionado em dezembro de 1994, os dois seguintes em 1995, mais dois em 1996 e o gerador final em agosto de 1997.[3]

Barragem[editar | editar código-fonte]

O Xingó é uma barragem de enrocamento de face de concreto com 830 metros de comprimento e 140 metros de altura. Ele contém cinco zonas de 12.900.000 metros cúbicos de enchimento, principalmente de granito. Quatro represas (diques) também são usadas para apoiar o reservatório. Diretamente a nordeste da barragem está seu vertedouro com 12 comportas e uma capacidade máxima de 33.000 m³/s. A barragem suporta um reservatório com capacidade de 3,8 km³, área de superfície de 60 km² e área de captação de 630.000 km².[2][3] Parte do reservatório e os cânions a montante do Complexo Hidrelétrico Paulo Afonso são protegidos pelo Monumento Natural do Rio São Francisco de 26.736 hectares.[4][5]

Usina[editar | editar código-fonte]

A usina hidrelétrica de Xingó está diretamente a sudoeste da barragem e tem 240,75 metros de comprimento, 59 m de altura e 27 metros de largura. Ela foi projetada pela Promon e contém turbinas Francis de 6 x 527 megawatts fabricadas pela Siemens. A planta também foi projetada para acomodar outros quatro geradores idênticos que, se instalados, trariam sua capacidade instalada para 5.270 megawatts.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  1. «Hydroelectric Plants in Brazil - Alagoas». IndustCards. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  2. a b Ricardo José Barbosa de SOUZA, Aurélio Alves de VASCONCELOS, Alberto Jorge C CAVALCANTI (2007). «Displacements OF THE XINGÓ Concrete Face Rockfill Dam». Companhia Hidro Elétrica do São Francisco – CHESF. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  3. a b c «Description Harnessing Xingó». CHESF. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  4. Mapa Interativo, ICMBio, consultado em 21 de maio de 2016 
  5. Unidade de Conservação: Monumento Natural do Rio São Francisco, MMA: Ministério do Meio Ambiente, consultado em 21 de maio de 2016