Usuário(a):Tetraktys/Banindo os IPs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Crystal Clear mimetype txt.png Este ensaio contém conselhos ou opiniões de um ou mais contribuidores da Wikipédia. Ensaios não são políticas nem recomendações, mas podem representar práticas já bem difundidas na comunidade ou ainda pontos de vista de minorias. Sinta-se livre e até encorajado para melhorar a página ou discutir na página de discussão, mas tenha prudência ao considerar esses pontos de vista já previamente trabalhados.

IP é o nome corrente na Wikipédia do usuário não-cadastrado, que edita de forma anônima. Um dos cinco pilares da Wikipédia reza: A Wikipédia é uma enciclopédia de conteúdo livre que qualquer pessoa pode editar,... Como nenhum artigo possui dono e ninguém tem o controle de um artigo em particular, todo o conteúdo inserido na Wikipédia pode ser modificado e redistribuído sem aviso prévio por qualquer pessoa, inclusive de forma comercial.

Parte da filosofia essencial da Wiki é essa liberdade de edição, baseada na suposição de que qualquer pessoa pode contribuir de maneira válida para o melhoramento de qualquer artigo, sem ter de passar pela burocracia de se cadastrar formalmente. Sem dúvida, a ideia é bela. Então, por que banir os IPs?

Principalmente porque na prática essa liberdade permite que uma multidão de IPs mal-intencionados ou simplesmente ignorantes vandalize o conteúdo da enciclopédia, seja apagando o texto, seja substituindo informações corretas por outras incorretas, seja acrescentando absurdos ou interferindo de várias maneiras destrutivas nas páginas, arruinando o árduo trabalho de editores cadastrados que dão seu tempo e esforço, de forma inteiramente gratuita, para a construção de conteúdo válido e útil para todos.

Assim cabe perguntar: vale a pena se preservar uma liberdade que na prática não tem se revelado tão vantajosa quanto o idealismo dos fundadores supunha? Não é tempo de rever este princípio e adequá-lo à realidade dos fatos?

Já foram feitas algumas pesquisas sobre vandalismo na Wiki, com resultados desanimadores. Páginas de grande afluência, visitadas por milhares de pessoas ao mês, são constantemente vandalizadas, muitas vezes mais de uma vez por dia, mas isso pode ocorrer com qualquer página. Uma estatística sobre a página de Barack Obama na Wikipédia em inglês, ainda não concluída, já revelou altas taxas de vandalismo por IPs, muito mais altas que edições errôneas de usuários cadastrados. Outro estudo, observando um grupo de artigos aleatoriamente selecionados, concluiu que 97% do vandalismo era realizado por IPs. Apenas 25% desse vandalismo foi revertido por IPs, mas o restante teve de ser revertido por usuários cadastrados.

Um levantamento das atividades editoriais nas 100 edições entre as 20h26min de 2 de fevereiro de 2010 e as 19h07min de 3 de março de 2010, no histórico da página Luiz Inácio Lula da Silva revelou o seguinte:

59 edições de IPs
  • 24 edições claramente de vandalismo
  • 9 edições possivelmente válidas, mas removendo texto também possivelmente válido
  • 8 edições possivelmente válidas, mas acrescentando conteúdo sem fornecer referenciação
  • 8 edições válidas, mas pouco relevantes, somente acrescentando espaçamento entre seções, fazendo correção em algum erro gramatical ou em alguma ligação interna.
  • 2 edições de reversão de vandalismo pelo próprio vândalo
  • 8 edições válidas
41 edições de usuários cadastrados
  • 12 edições válidas
  • 20 edições de reversão de vandalismo por usuários
  • 4 edições de reversão de vandalismo por robots
  • 1 edição com vandalismo
  • 1 edição de reversão de vandalismo pelo próprio usuário
  • 1 reversão de valor duvidoso, reinserindo trechos sem fontes
  • 1 edição de robots de interwikis
  • 1 edição de proteção de página contra guerra de edições de IPs

Em resumo, das 59 edições de IPs, apenas 8 acrescentaram conteúdo referenciado, enquanto o restante foi vandalismo claro ou edições de valor duvidoso, além de 8 negligenciáveis, de importância mínima. Das 41 edições de usuários cadastrados, apenas 1 foi um vandalismo, e outra de valor questionável. 12 acrescentaram conteúdo, mas 25 edições estiveram envolvidas no combate ao vandalismo. Mais da metade do esforço dos usuários cadastrados foi perdido no combate ao vandalismo, e apenas cerca de 1/6 das edições de IPs foram claramente úteis, e o restante condenável ou questionável. Edições claramente vandalizadoras ficaram na proporção de 24:1, IPs:usuários cadastrados. Edições de valor questionável ficaram na proporção de 17:1, IPs:usuários cadastrados.

É fato que grande número de artigos estão em listas de páginas vigiadas de usuários cadastrados, que podem detectar ações irregulares e revertê-las. Também existem robots que fazem isso automaticamente. Mas a solução desse problema não é conseguida de forma tão simples, pois muitos casos não são detectados e permanecem nas páginas por um tempo indefinido, oferecendo informação desqualificada para seus leitores. Outras vezes um vandalismo é obscurecido por uma outra edição válida logo em seguida, e quando os vigilantes vão checar, podem não perceber a ação anterior e considerar apenas o último movimento, sem conferir a integridade de todo o texto. Assim o vandalismo pode permanecer no texto por longos períodos até ser identificado e removido. Muitas vezes uma revisão e conserto de um artigo longo através da checagem do seu histórico pode tomar horas de trabalho, que poderia ser aplicado para fins mais construtivos, além de criar grandes aborrecimentos para os revisores. Ademais, não são todos os usuários que têm a paciência necessária para isso. Um vandalismo extenso no artigo Mobile phone na Wiki-en levou 20 dias para ser detectado. Enquanto isso, cerca de 4 mil pessoas diariamente leram um texto adulterado. Considerando que muitas pessoas que consultam os verbetes da Wiki vão em busca de informação de que não dispõem, e não têm preparo para detectar incongruências ou erros no texto que leem, é claro que este público, lendo um texto vandalizado sem o saber, toma alhos por bugalhos e sai da Wikipédia mais ignorante do que quando entrou. As consequências disso são potencialmente graves. Se a consulta foi feita para realizar um trabalho escolar, por exemplo, o aluno que usou a Wikipédia como fonte terá recebido uma nota mais baixa que outro que fez sua pesquisa em uma fonte estável e fiável, ou pode ter sido reprovado em alguma prova importante. Não é à toa que muitas escolas e professores não aceitem a Wiki como fonte de consulta, considerando entre outros fatores a instabilidade do conteúdo e sua confiabilidade duvidosa.

Levando isso tudo em conta, parece contraproducente perseverar no projeto, lutar pela sua qualificação no trabalho editorial, tentar melhorar sua imagem pública de várias formas, inclusive se propondo oferecer versões impressas do conteúdo, enquanto um problema tão importante permanece irresolvido, e pior, erigido em política oficial. Já é um problema sério o fato de a Wiki em português não ter um corpo de peer reviewers, e ter de confiar na boa disposição e seriedade de editores que apesar disso em boa parte dos casos não são especialistas nas áreas em que editam, mas apenas idealistas bem intencionados que desejam contribuir para a educação do público e a disseminação do conhecimento. É fato também que a despeito dessa ausência de um corpo editorial profissional já se tenha conseguido excelentes resultados em muitos artigos. Mas um bom artigo pode levar semanas para ser confeccionado, há artigos que vêm sendo construídos há meses, anos, enquanto que um vandalismo radical - ou pior ainda, o vandalismo sutil e pseudo-válido, aquele que não é imediatamente perceptível como disruptivo ou mal-intencionado - leva menos de um minuto para ser feito, mas pode exigir horas e horas de trabalho para ser revertido, sem falar que pode permanecer ignorado por dias, meses ou indefinidamente, para prejuízo tanto de quem consulta a enciclopédia como de sua imagem pública.

Se você não tem más intenções, não precisa do anonimato na Wikipédia. E se as tem boas, por que se esconder?

Permitir a edição anônima é puro proselitismo. Quem seria tão ocupado, tão privado e inviolável, tão sacrossanto, distante e intocável, que não poderia perder cinco minutos do seu tempo ultraprecioso para fazer um cadastro, editar visivelmente e assumir responsabilidades? É um argumento fraquíssimo. Isso é mimar o público da maneira mais perversa e cínica possível. Perversa porque não educa (ainda estamos trabalhando em uma enciclopédia?), antes se rende à libertinagem como uma prostituta que aceita maus tratos e ultrajes repetitivos porque o gigolô mandou e acha que isso é bom pros negócios, e cínica porque sabemos de antemão que suas edições vão ser anuladas em sua vasta maioria. Outra coisa espantosa é ainda haver quem ache que termos 10 ou 20% de edições válidas nos IPs compensa os 80% de aborrecimentos de controle e reversão, o descrédito público que isso gera para nós, o rebaixamento da qualidade do conteúdo, todo o trabalho válido - este sim precioso - posto fora ou posto voluntária e gratuitamente sob ameaça constante de depredação que nem sempre é detectada e consertada, as disputas internas que desencadeia... é nonsense na mais perfeita definição da palavra. Admira também que se aplique tanto tempo e esforço na elaboração de vários robots e ferramentas para detectar e reverter o vandalismo dos IPs, mas se falamos em atacar diretamente a raiz de todo esse problema, banindo os IPs para sempre, as pessoas quase chegam a rasgar as vestes biblicamente de ultraje pela afronta aos princípios de liberdade do projeto. Mas num lugar onde o esporte preferido é o enxugamento de gelo, nada devia admirar...

Além disso, exigirmos o cadastramento só poderia incentivar a qualificação do conteúdo. Não vivemos choramingando que temos um conteúdo altamente irregular em qualidade, com amplo predomínio de coisas apenas aceitáveis quando não positivamente ruins? Exigir o cadastro é investir em nosso próprio corpo de colaboradores, incentivando atitudes responsáveis. Isso é formar capital humano! Credibilidade é capital também, assim como a fama! Esse capital é simplesmente desprezado pela nossa política atual de edição anônima, e depois sai a Fundação Wikimedia pelas ruas se fazendo de louca com suas tranças ao vento e um megafone na boca angariando doações para sobreviver, assombrada porque os editores declinam e ela diz não saber o motivo! Como assim???.... Jogando tanto capital e recursos e trabalho e energia pela janela para ganhos tão desprezíveis, as coisas só podem acabar indo cedo ou tarde pro buraco! E quem aguenta ser mula de carga para sempre só dizendo amém? Daí o pessoal cedo ou tarde se cansa do absurdo, vai embora, e as coisas ficam sempre aos pedaços, e dia após dia repetimos o triste e inútil exemplo de Sísifo... Não precisamos carregar essa cruz, realmente. Evidências de que a relação custo-benefício é negativa já foram trazidas e amplamente comentadas em nossos debates, e todos, mesmo os que defendem a permanência dos IPs, reconhecem que ela gera grandes problemas. Mas quais benefícios ela gera, exatamente, além de apenas dar fogo para publicidade? Será que é tão bom assim pros negócios? Não merecem um alívio os que carregam as pedras todo dia pelas madrugadas adentro como formiguinhas enquanto o sinhozinho brilha nas manchetes pelo mega sucesso popular que somos? Tenham dó..... o cadastro não impede a liberdade, ele só a disciplina.

O bloqueio definitivo dos IPs não vai resolver todos os problemas da Wiki, mas certamente viria a facilitar a vida de muitos editores cadastrados que perdem tempo precioso buscando e corrigindo a atividade dos vândalos, melhoraria a qualidade geral do conteúdo e até da imagem pública da Wiki. Não parece nada proveitoso, em face da realidade, que os IPs devam continuar a ter acesso livre à Wikipédia. Já existe boa quantidade de problemas advindos de usuários cadastrados! Além do mais, se um editor anônimo é bem intencionado e deseja colaborar, é impossível crer que se negasse ao microscópico incômodo de se cadastrar, entrando na comunidade de forma digna, visível e responsável. Se a Wikipédia pretende ser o que diz, uma enciclopédia merecedora de respeito, e não um clubinho de diletantes a brincar de professores, é imperativo que se revise sua doutrina e se seja humilde o bastante para reconhecer que nem todos os ideais dão certo e, reconhecendo, seja corajosa o bastante para reformá-los, por seu próprio bem e de todos para quem ela é uma referência. De que adianta oferecermos a proteção do anonimato para quem a usa para nosso próprio prejuízo? E não somente nosso, mas de todo o público leitor, que é vasto e muitas vezes ingênuo, lendo a Wiki como se tudo aqui fosse correto e verdadeiro.

Não é apenas de liberdade que vive a Wiki, mas principalmente de seriedade, disciplina e trabalho honesto, que por si mesmos se opõem à liberdade total. Mesmo assim, com toda essa seriedade, disciplina e trabalho honesto, ainda estamos longe de ser uma enciclopédia como ela poderia e deveria ser. Não basta o oceano de erros e imprecisões que existem em nossos artigos? Quantos deles sem qualquer referência e cheios de rematados absurdos, estando assim por obra de usuários cadastrados! Por que temos de suportar além de todos esses dramas internos o terrorismo dos IPs como se a bandeira da liberdade fosse mais valiosa do que todo o resto? É preciso colocar a questão na devida proporção. Basta ver que a liberdade proposta é ela mesma enganosa, pois não nos pautamos somente pelos cinco pilares, mas por um enorme cabedal de outras regulamentações e políticas oficiais que foram estabelecidas a posteriori, cerceando a mesma liberdade que está declarada como cláusula pétrea. Há uma enorme contradição interna no funcionamento da Wiki, e a cada dia que passa a liberdade é mais cerceada por novas regras e requisitos, todos aprovados em consenso. E por que se cerceia a liberdade? Para que o produto final seja mais qualificado, e não menos. O mais irônico de tudo isso é que as regras valem apenas para quem dá duro aqui dentro, enquanto que os anônimos desocupados vêm, pintam e bordam à vontade, deixando ainda mais trabalho para quem está aqui. Não se pode imaginar um projeto essencialmente dinâmico como este dentro de um arcabouço doutrinal cristalizado e imutável. É o mesmo que dizer que os fundadores eram profetas infalíveis, e que suas ideias não podem jamais ser submetidas a questionamento ou revisão porque eram desde sempre absolutamente corretas, e assim permanecerão até o fim dos tempos, imunes às mudanças em todo o resto do universo. Descarta-se assim todo o teste de realidade, toda a experiência prática. Ora, isso não é, então, um projeto cultural, mas uma religião ou uma ditadura... pra não dizer burrice... Todas as instituições e organizações evoluem com o tempo, mudam seus estatutos para atender a demandas legítimas que surgem. Por que a Wikipédia não pode mudar sua estrutura? Não há, ao que parece, nenhuma justificativa consistente para negar a mudança, se ela se revela útil ou necessária. O preço do dogmatismo, como a história atesta, é a decadência, a perda de contato com a vida que pulsa e muda, com o mundo lá fora, é a progressiva ineficiência, a fossilização e por fim a extinção. Não creio que ninguém aqui deseje isso para a Wiki. Mas é bem provável que os IPs desejem.

Em vista do que se encontra no cotidiano da Wiki, dizer orgulhosamente que a Wikipédia é uma enciclopédia que qualquer pessoa pode editar já se tornou apenas uma frase de efeito, um chavão desgastado pelo confronto com a realidade, de escasso significado prático válido, fazendo ouvidos de mercador ao fato gritante de que um enorme número de IPs não tem a menor das boas intenções; é antes uma forma de nos mantermos iludidos no sonho de uma utopia e continuarmos a iludir nosso público.


___________

Nota ao leitor: Este ensaio foi escrito em suas linhas gerais no início de 2010. Como a Wikipédia está em estado de fluxo permanente, é possível que ao longo do tempo as políticas mudem e as ideias aqui apresentadas se tornem ultrapassadas.

___________

Atualização: Uma pesquisa recente avaliou os artigos criados e eliminados por IPs e registrados, e penso que no geral confirma tudo o que eu disse:
Criadas por
registrados
Criadas
por IPs
Total
Criadas e mantidas 43020 4960 47980
Criadas e eliminadas 14706 22633 37339
Total de criadas 57726 27593 85319

Os IPs realmente deram substancial contribuição, mas a maioria de suas contribuições foi eliminada, enquanto que a maioria das contribuições de registrados permaneceu. Lógico que haveria uma redução na criação de novos artigos válidos se os IPs fossem proibidos de editar, e isso é de lamentar sinceramente, mas o trabalho que dá organizar a bagunça que causam os mais de 80% eliminados é muito maior e mais estressante para todos, basta conhecer o dia a dia e ver como os conflitos são frequentes por causa disso, e as páginas de discussões são quilométricas. Sem falar no fato de que boa parte desses artigos "válidos", que passaram pelo crivo mais elementar, têm vários problemas, como um tamanho excessivamente reduzido, redação pobre ou ausência de fontes, como mostrou outra pesquisa [1] [2], fragilizando ainda mais os argumentos dos inclusionistas de que essa "contribuição" anônima é assim tão valiosa e indispensável. Os fatos provam que mesmo os que permanecem são em geral artigos muito fracos. Podemos muito bem viver sem eles, mesmo que percamos alguns bons no total, mas afinal, não estabelecemos nenhuma meta definida de crescimento, e podemos desviar esforços para colocar mais ordem na casa, a qual, graças em boa parte a esses IPs tão mimados, continua numa enorme bagunça.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]