Usuário:Alberto79/Testes/Roraima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Federação Roraimense de Futebol
Federação Roraimense de Futebol logo.png
FRF
Tipo Desportiva
Fundação 23 de julho de 1974 (44 anos)[1]
Sede Boa Vista, Roraima RR, Brasil Brasil
Presidente Zeca Xaud

O futebol de Roraima é dirigido pela Federação Roraimense de Futebol. A sua principal competição profissional é o Campeonato Roriamense de Futebol.

Os maiores clubes de futebol de Roraima reconhecidos nacionalmente são: Atlético Roraima Clube, Baré Esporte Clube, São Raimundo Esporte Clube e Náutico Futebol Clube, sendo os três primeiros da capital Boa Vista e o outro de Caracaraí. A competição entre eles também desencadeia os maiores clássicos do estado, sendo Baré e Atlético Roraima responsáveis pelo clássico de maior rivalidade, também conhecido como Clássico Bareima[2]. Ambos já conquistaram juntos o Campeonato Roraimense 43 vezes, sendo 13 títulos profissionais. Sendo assim, foi contabilizado 23 e 20 títulos para cada equipe, respectivamente. São Raimundo e Náutico também são responsáveis por outro grande clássico, chamado de Clássico Raimundáutico.

Escudos dos principais clubes de Roraima: Atlético Roraima, Baré, Náutico e São Raimundo, respectivamente

A Federação Roraimense de Futebol é a entidade responsável por administrar o futebol no estado e representa os clubes roraimenses na CBF. Seu atual presidente é Zeca Xaud, o presidente de federação estadual há mais tempo no cargo.[3] [4]

História[editar | editar código-fonte]

Surgimento dos primeiros clubes[editar | editar código-fonte]

Após a criação do Território Federal do Rio Branco, posteriormente Território de Roraima, em 1 de outubro de 1944, ocorreu a fundação do primeiro clube de futebol roraimense: o Atlético Roraima. Fundado por Adolfo Brasil, contou com a ajuda de diversos amigos como Peri e Dorval Magalhães, Ibrahim e Felipe Xaud, com o objetivo de alavancar o futebol no território roraimense. O Atlético Roraima era chamado de Clube dos Milionários porque todos os seus sócios proprietários eram fazendeiros e comerciantes de renome da cidade de Boa Vista. Tal alcunha gerou dissidências entre os sócios do Atlético Roraima. E estes foram responsáveis pelo surgimento do segundo clube de futebol do estado: o Baré, fundado em 26 de outubro de 1946 por Aquilino Mota Duarte, Aristante Gonçalves Leite, Carmélio, Jorge Fraxe, Mário Abdala e Roberto Aiad, que posteriormente ganhou a alcunha de mais querido de Roraima.[5][6]

Criação de federações[editar | editar código-fonte]

A partir da criação de novos clubes, a criação de uma entidade para coordenar e representar essas agremiações em âmbito nacional e organizar as competições locais fez-se necessária. Assim, a primeira federação de futebol do estado, fundada a 23 de julho de 1948, foi a Federação Riobranquense de Desportos, renomeada posteriormente Federação Roraimense de Desportos, e recebendo a denominação atual em 1974.

Estádios[editar | editar código-fonte]

O primeiro campo de futebol foi feito nas proximidades onde hoje se encontra o Hotel Aipana no Centro Cívico, além de Atlético Roraima, Parima e Baré, o campo era constantemente utilizado pelos moradores que geralmente jogavam pelos clubes. Outros campos vieram depois. O campo localizado onde hoje funciona o Colégio Oswaldo Cruz era palco, principalmente, para clubes hoje extintos como Rio Branco, Bangu, Flamengo e Operário.

João Mineiro, foi o mestre de obras que trabalhou de graça e fez o primeiro estádio por sua conta e o esforço de seus funcionários, principalmente, jogadores de seu clube o “Operário”. Depois, ganhou o nome do estádio, que existiu onde hoje fica a Maternidade Nossa Senhora de Nazaré.

O mestre de obras João Mineiro é considerado por muitos como um dos maiores desportistas que Roraima, pois não só construiu um estádio e montou um time de operários, como também mandava buscar operários bons que jogavam futebol para reforçar os outros times.[7][8][9][10]

Campeonatos e ligas[editar | editar código-fonte]

O primeiro Campeonato Roraimense de Futebol realizou-se em 1950, sob a chancela da Federação Riobranquense de Desportos, ainda em caráter amador. O primeiro torneio organizado pela Federação Roraimense de Futebol foi feito em 1974, ganho pelo Baré. O profissionalismo ainda era um sonho distante e todos os clubes eram amadores.[11]

Profissionalismo[editar | editar código-fonte]

O primeiro campeonato profissional de Roraima aconteceu em 1995. Apenas três clubes participaram dessa primeira edição profissional, sendo:

A primeira partida profissional foi realizada em 28 de maio de 1995, entre Baré e Progresso, e o resultado foi Baré 4 x 0 Progresso. O campeonato foi dividido em três turnos, dois vencidos pelo Atlético Roraima e um pelo Baré. Na final, realizada em 30 de julho de 1995, o Atlético Roraima sagrou-se campeão estadual ao derrotar o Baré pelo placar de 2 a 0. O profissionalismo no estado foi o mais tardio do Brasil, começou somente em 1995 e reflete e muito na situação do futebol do estado, o Campeonato Estadual é conhecido nacionalmente como o de pior qualidade técnica e por contar sempre com poucos clubes, sendo que a primeira competição profissional contou com apenas três clubes.

O estado, por falta do profissionalismo não disputou as primeiras edições do Campeonato Brasileiro de Futebol e Copa do Brasil, sendo que mesmo na atualidade os clubes têm dificuldades de disputar as competições.

O Campeonato Roraimente de Futebol é o único que nunca teve uma segunda divisão ou um sistema de ascenso e descenso. [12][13]

Posição dos clubes no ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado e divulgado em 12 de dezembro de 2016[14]

Pos. Clube Pontos
83° Bandeira Caracarai.jpg Náutico 812
138º Bandeira de Boa Vista.svg São Raimundo 303
148º Bandeira de Boa Vista.svg Baré 255
217º Bandeira Sao Luiz.jpg Real 50
217º Bandeira de Boa Vista.svg Atlético Roraima 50

Clubes[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Bola n@ Área
  2. Lucas Luckezie (1 de abril de 2016). «Clássico Bareima abre o estdaual». Folha de Boa Vista  Texto "urlhttp://www.folhabv.com.br/noticia/Classico--Bareima--abre-o-Estadual/15213 " ignorado (ajuda);
  3. Sergio Rangel (15 de abril de 2014). «Estadual de Roraima tem atletas com jornada dupla e estádios vazios». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de abril de 2014 
  4. Zeca Xaud: presidente há 41 anos em Roraima aceita fim de reeleições
  5. [1]
  6. Baré completa 67 anos de história
  7. [2]
  8. O Estádio João Mineiro
  9. «João Mineiro:palco de grandes craques do futebol roraimense». Roraima Notícias. 1. Consultado em 11 de janeiro de 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. MEMÓRIA E SOCIABILIDADE:O Estádio João Mineiro como espaço de integração social na década de 1960PDFlink sem parâmetros PDF - Universidade Federal de Roraima
  11. História do Futebol de Roraima
  12. A Federação Roraimense e sua história
  13. O pior time de futebol do Brasil em 2015 é de Roraima. Alguma surpresa?
  14. «Ranking da CBF» (PDF). CBF. Consultado em 11 de janeiro de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O futebol de Sergipe é dirigido pela Federação Sergipana de Futebol. A sua principal competição profissional é o Campeonato Sergipano de Futebol.

Os maiores clubes de futebol de Sergipe reconhecidos nacionalmente são o Club Sportivo Sergipe e a Associação Desportiva Confiança, ambos times de Aracaju. A competição entre eles também se forma o maior clássico do Estado de Sergipe, também conhecido como Derby Sergipano. Ambos já conquistaram o Campeonato Sergipano 50 vezes das 90 edições realizadas. Sendo assim, foi contabilizado 32 e 18 títulos para cada equipe, respectivamente.

O terceiro grande clube de tradição em Sergipe é a Associação Olímpica de Itabaiana que já conquistou o Campeonato Sergipano por 10 vezes (contando com o título de 2012), despontando assim como a maior força do interior do Estado. Ademais, é o time que conquistou o maior título da história do futebol sergipano: o Campeonato do Nordeste de 1971

Dentre os times com grande tradição e história que hoje tentam novamente, sem sucesso até o momento, retornar à elite do futebol sergipano estão: o Esporte Clube Propriá, o Cotinguiba Esporte Clube e o Centro Sportivo Maruinense.

Atualmente, o futebol de Sergipe passa por processo de renovação, mediante a ascensão de times que não tinham até então nenhuma tradição. Trata-se das recentes conquistas de títulos e bons resultados do São Domingos Futebol Clube e principalmente da Sociedade Esportiva River Plate não só a nível local mas também ganhando visibilidade a nível nacional.

Os maiores ídolos sergipanos constando em atividade no futebol profissional são:

História[editar | editar código-fonte]

Assim como em vários outros estados brasileiros, os primeiros clubes de futebol de Sergipe foram, inicialmente, dedicados a esportes náuticos como o Remo. O Cotinguiba Esporte Clube e o Club Sportivo Sergipe foram os pioneiros.

Os Pioneiros[editar | editar código-fonte]

Oficialmente tudo começou em 1918 com a fundação da primeira entidade organizada. Antes, nas inúmeras tentativos para a difusão do futebol em Sergipe, muitos pioneiros idealistas perpetuaram seus nomes na história do futebol sergipano, fruto da abnegação pela causa que abraçaram.

Há um século esses heróis suportaram o descrédito e a ignorância de uma época em que as pessoas viviam arraigadas de preconceitos. Muitos sucumbiram no meio do caminho, vencidos pelos inúmeros obstáculos na implantação do futebol, esporte considerado "para vagabundos"! Um desses pioneiros foi o major Crispim Ferreira, do 26° Batalhão de Infantaria, sediada em Aracaju. Foi ele quem organizou a primeira demonstração pública do futebol em Aracaju, em setembro de 1907, na praça General Valadão. Incansável na sua luta para difundir o "esporte bretão" na capital sergipana, Crispim Ferreira continuou por algum temo arregimentando soldados e recrutas daquela guarnição militar para praticar o futebol no improvisado campo da praça Valadão - que ficava defronte do Quartel.

O primeiro clube[editar | editar código-fonte]

Mas, em 1909, um moço nascido em Lagarto, que residiu durante três anos em Salvador, voltava para Aracaju com a firme ideia de fundar um clube para a prática do futebol. Era Mario Lins de Carvalho, um garoto de 17 anos de idade. Convidou para a "árdua missão" o amigo Carlos Baptista Bittencourt e, ambos passaram a procurar adeptos para a fundação do primeiro clube de futebol em Aracaju.

Após meses, uns grupos de rapazes reuniram-se na casa de Bittencourt - na rua de Maruim - e fundavam o "Sport Club Lux", cujo nome foi logo mudado para "Club do Football Sergipano". Suas cores eram vermelha e branca. Para a sede foi escolhida a residência de um dos fundadores, João Rocha, situada à rua Laranjeiras 123. O local escolhido para os treinos, foi a Praça do Palácio (atual Fausto Cardoso).

A Federação[editar | editar código-fonte]

A Federação Sergipana de Futebol foi fundada em 10(dez) de novembro de 1926, com a denominação de Liga Sergipana de Esportes Atléticos. A partir de 10 de novembro de 1941 denominada Federação Sergipana de Desportos, e por decisão da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 20 de janeiro de 1976, Federação Sergipana de Futebol.

Campeonatos e Ligas[editar | editar código-fonte]

O primeiro campeonato de futebol em Sergipe foi realizado em 1918. A disputa, organizada pela "Liga Desportiva Sergipana", teve 4 equipes: Cotinguiba, 41° Batalhão FC, Sergipe e Industrial. O Continguiba sagrou-se campeão, vencendo o Sergipe por 2x0 no jogo final. Em 1919 não houve campeonato.

De 1920 a 1948 os jogos tiveram como palco o "Adolpho Rolemberg", considerado um dos melhores estádios do norte nordeste, segundo os jornais da época. Em 1927 foi organizada uma nova entidade, a "Liga Sergipana de Esportes Atléticos", com apenas 3 clubes filiados: Associação Atlética, América e Palmeiras, enquanto a Liga Desportiva Sergipana tinha 4 clubes filiados: Sergipe, Brasil, Cotinguiba e Aracaju. Em 1928 a Liga Sergipana de Esportes Atléticos passou a comandar completamente o futebol sergipano, com a dissolução da Liga Desportiva Sergipana, e a consequente filiação de seus clubes à Liga recém-criada.

E em 1931 mais 8 clubes filiaram-se à LSEA (Vasco, Guarani, Paulistano, Palestra, Vitório, Siqueira Campos, 13 de Julho e ETEA).

A partir de 1936, o campeonato sergipano passou a contar com clubes do interior, sendo o primeiro o Ipiranga, da cidade de Maruim. Em 1939 foi organizado o campeonato com a "Divisão do Interior", composta por 4 clubes filiados (Ipiranga, Riachuelo, Socialista e Laranjeiras), e a "Divisão da Capital". O Ipiranga foi o campeão do interior e o Sergipe foi o campeão da capital. Na disputa em "melhor de 3 partidas" entre os dois, o Sergipe sagrou-se campeão absoluto de 1939, com dois gols na prorrogação do jogo decisivo. Entretanto o Ipiranga entrou com recurso na Liga contra o Sergipe, que incluiu o jogador Renato Vieira, inscrito na Liga Paulista. Consultada, esta confirmou por ofício a denúncia do clube maruinense. Desta forma, a LSEA proclamou o Ipiranga "Campeão do Estado de Sergipe" de 1939. Esta forma de disputa perdurou até 1958.

Em 1959 o campeonato foi realizado por zonas: Leste (capital), Norte, Sul e Centro. Os cinco melhores da capital juntaram-se aos campeões das zonas do interior e realizaram, em 2 turnos, o Campeonato Sergipano. Em 1960 foi instituído o regime misto-profissional, sendo realizado o primeiro campeonato de profissionais naquele ano.

Em 1970 começou a "Era do Batistão", inaugurado em Junho de 1969, com capacidade para 25.000 pessoas. Na década de 70 a média de púbico pagante no Batistão era de 8.000 pessoas.

No campeonato de 1980 foi instituído o Acesso e Descenso.

Posição dos clubes no ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em 8 de dezembro e divulgado em 8 de dezembro de 2014 [1]