Uturuncu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Uturuncu
Vulcão Uturuncu
Uturuncu está localizado em: Bolívia
Uturuncu
Localização na Bolívia
Coordenadas 22° 16' S 67° 11' O
Altitude 6.008 m
Localização  Bolívia
Cordilheira Andes

O Uturuncu é um dos 198 vulcões identificados da Bolívia. É considerado semi-inativo, já que apresenta fumarolas ativas, e certas medidas dão um informe que a altitude da montanha se eleva de 1 a 2 cm por ano. Com seus 6008 m, é o mais elevado da zona sul da Bolívia e do departamento de Potosí. Fica próximo das lagoas de cores como a lagoa Celeste, lagoa Colorada e a lagoa Verde, assim como o salar de Uyuni.

Supervulcão[editar | editar código-fonte]

Ocupando uma área de 65 km de extensão, em 2012 estudos de imagens por satélite indicaram que o Uturuncu acelerara seu crescimento para uma taxa de 1,3 cm ao ano nos últimos vinte anos; isto poderia ser um indicador de que poderia entrar em erupção; a última vez que isto ocorrera é estimada em 300 mil anos atrás.[1]

A presença de fumarolas em seu topo (com 2.400 m de altura na paisagem local), que datam de cerca de dez mil anos, indicam a presença de fonte de calor e potencial atividade; o solo do topo assume cor branca o que dá a falsa impressão, à distância, de ser neve.[1]

Naquele ano o geógrafo da Universidade de Alberta, Martyn Unsworth, revelou que prospecções com ondas eletromagnéticas revelaram a provável presença de uma câmara magmática bem próxima da superfície, o que foi corroborado por geofísicos da Universidade do Alasca, que detectaram uma região onde as ondas sonoras sofrem uma redução de velocidade, o que caracteriza rocha parcialmente derretida; o geomorfólogo Noah J. Finnegan, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, revelou que, embora não se sabendo qual seu real volume total, a câmara do Uturuncu está crescendo 1 m³ por segundo.[1]

O esforço internacional para se estudar o Uturuncu se deve ao fato de ele ser considerado um dos seis supervulcões existentes na área que compreende, além da Bolívia, a Argentina e o Chile; este projeto de estudos identificou que as rochas oriundas do vulcão são similares às dos supervulcões do que dos vulcões comuns na área.[1]

Presença de "volume extraordinário" de água no magma[editar | editar código-fonte]

Em 2016 estudos revelaram a presença, em sua câmara magmática, de uma quantidade de água equivalente à do maior lago da América do Norte, o Lago Superior.[2]

Localizado a 15 km de profundidade, sua presença indica que as teorias que dizem ser a água da Terra oriunda de cometas e asteroides estão erradas, pois a água pode estar presente no planeta desde as suas origens; os estudos foram realizados por cientistas da Alemanha, França, Canadá e Inglaterra, estes últimos chefiados por Jon Blundy, da Universidade de Bristol.[2]

A descoberta veio se somar aos resultados encontrados em 2014 pela equipe de Steve Jacobsen, da Universidade do Noroeste (situada em Illinois), segundo os quais há presente a 700 km de profundidade um reservatório de água em proporção três vezes superior à encontrada nos oceanos.[2]

A água do Uturuncu se acha misturada com a lava, sob fortes pressões (cerca de trinta vezes a pressão atmosférica), e a temperaturas entre 950 a 1000 graus centígrados; sua presença em meio à rocha meio derretida seria a responsável, ainda, pela formação de rochas como a andesina, típica dos Andes.[2]

Referências

  1. a b c d «Cientistas: novo supervulcão pode se desenvolver na Bolívia». Portal Terra. 21 de fevereiro de 2012. Consultado em 30 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2018 
  2. a b c d «O misterioso lago gigante escondido embaixo de vulcão no Andes». BBC em português. 10 de novembro de 2016. Consultado em 30 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Bolívia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.