V. M. Rabolú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de V. M. Rabolu)
Ir para: navegação, pesquisa
Antistub.png
Este artigo está em manutenção emergencial a fim de evitar uma futura eliminação. Ajude a corrigir imprecisões no texto e colocar fontes que atestem sua relevância. Caso precise de ajuda para corrigi-lo, proponha a manutenção emergencial do artigo, seguindo as instruções na página.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Joaquín Enrique Amórtegui Valbuena
Nascimento 11 de outubro de 1926
Tolima,
Colômbia
Morte 8 de janeiro de 2000 (73 anos).
cidade de Bogotá,
Colômbia
Cônjuge Olga Gordillo
Cargo Coordenador Geral Internacional
Religião Gnosticismo

Venerable Mestre Rabolú, pseudônimo de Joaquín Amórtegui-Valbuena (11 de outubro de 19268 de janeiro de 2000), foi um ocultista colombiano[1]

Camponês,[2] vivia na Sierra Nevada de Santa Marta na Colômbia quando o Mestre Samael lá se estabeleceu em 1952. Aproximou-se do Mestre Samael com muita desconfiança, quando verificou a seriedade de seu trabalho e o resultado das práticas em sua vida, tornou-se discípulo do gnóstico colombiano Samael Aun Weor, fundador do Movimento Gnóstico Cristão Universal.[2] Foi parte do grupo "proletário", formado quando Samael abandonou os círculos rosacruzes para buscar novos seguidores nas populações rurais do interior da Colômbia. Ganhou a consideração do mestre, que lhe dedicou todo um capítulo de seu livro As Três Montanhas[3][4]

Em 1978, após a morte de «Venerable Mestre Samael Aun Weor», Venerable Mestre Rabolú passou a comandar a organização. Iniciou então um expurgo da obra do fundador, desautorizando a maior parte dos seus livros.[5]

Em confronto aberto com a viúva e o filho de Samael, Rabolú expulsou da ordem os missionários internacionais e pregou um aprofundamento do caráter revolucionário da organização. Já com a saúde debilitada, recusou-se a nomear um sucessor, rebaixando todos os demais membros à categoria de "estudantes".[6] Em 1998 escreveu o livro Hercolubus ou Planeta Vermelho, no qual sintetiza suas idéas.[7] Publicado em 40 países, o livro anuncia a iminente destruição da Terra pelo choque com o planeta fictício Hercólubus. Traz também descrições dos habitantes de Marte e de Vênus, que Rabolú afirma ter visitado em espírito.[8]

Outorgação de autoridade pelo V. M. Samael Aun Weor[editar | editar código-fonte]

O Venerable Mestre Samael Aun Weor então coordenador no Movimento Gnóstico Universal, outorgou plenos poderes ao seu discípulo Venerable Mestre Rabolú de reformar o Movimento.[9], este afirmou:

O V.M. Rabolú, como juiz do carma, tem poder absoluto para estabelecer a ordem onde quer que se faça necessário. Indubitavelmente o V. M. Rabolú deve derrubar muitos ídolos de argila e corrigir muitos erros.
Samael Aun Weor, Extraído do Grande Manifesto Gnóstico Internacional de 1976
O Mestre Rabolú é um Mestre do Carma reencarnado e devidamente reconhecido pela Sede Patriarcal do Movimento Gnóstico Cristão Universal na cidade capital de México, DF.
Samael Aun Weor, Extraído da Carta de Autorização do VM Samael Aun Weor em 15 de Outrubro de 1975, da Sede Patriarcal do México.
A sede Patriarcal do México, considerando indispensável a lei e a ordem no Movimento Gnóstico Cristão Universal, autoriza o Venerável Mestre Rabolú (Joaquin Amortegui Valbuena) para legislar transformar, julgar e resolver problemas relacionados com Movimento Gnóstico Cristão Universal em geral.
Samael Aun Weor, Extraído da Carta de Autorização do VM Samael Aun Weor em 15 de Outrubro de 1975, da Sede Patriarcal do México.

Uso de Mantra[editar | editar código-fonte]

O V.M. Rabolú incentivou o uso dos mantras indicados V.M. Samael Aun Weor para diversos fins(desdobramento astral, concentração, pedidos de força, saúde ou proteção) com o intuito destes auxiliar os estudantes na obtenção de resultados em suas práticas, para tanto salientou a importância de pronuncia-los corretamente.[10] Os mantras «larras» e «farraón», usados para propiciar o desdobramento astral, foram detalhados em seu livro Hercólubus ou planeta vermelho.[11]

Obras[editar | editar código-fonte]

Escreveu diversas obras, todas focadas no gnosticismo para orientar os estudantes a seguir o caminho da revolução da consciência.

Referências

  1. Wulfhorst, Ingo (1995): «Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil na Nova Ordem: Um Grupo da Nova Era», artigo na revista Estudos Teológicos, 35 (2): págs. 189-210, 1995. página 188
  2. a b Rabolú, Venerable Mestre (1991). 2 Congresso Gnóstico Mundial 1989. São Paulo: Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil Na Nova Ordem. p. Contra capa. ISBN 85-85353-04-X 
  3. SILVA, Ana Cloclet da;. CAMPOS, Marcelo Leandro de (2017): «Entre contextos e discursos: a biografia de Samael Aun Weor e o gnosticismo colombiano», artigo na Revista Brasileira de História das Religiões, volume 9, nº 27, janeiro/abril de 2017, páginas 108-110.
  4. Samael Aun Weor (1994). As Três Montanhas 2a ed. São Paulo: Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil na Nova Ordem. p. 228. ISBN 85-85353-13-9 
  5. CAMPOS, Marcelo Leandro de. Disseminação de idéias no milieu esotérico: notas sobre a influência de Gurdjieff no Movimento Gnóstico de Samael Aun Weor. PUC-Campinas, junho de 2013. Página 15
  6. CAMPOS, Marcelo Leandro de. http://www.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/tde_arquivos/12/TDE-2016-02-24T072023Z-1962/Publico/Marcelo%20Leandro%20de%20Campos.pdf. Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião. PUC-Campinas, 2015. Páginas 143-144
  7. MELTON, J. Gordon; BAUMANN, Martin. Religions of the World: A Comprehensive Encyclopedia of Beliefs and Practices, 2nd Edition (6 volumes): A Comprehensive Encyclopedia of Beliefs and Practice. ABC-CLIO, 2010. Página 1229 (em inglês)
  8. CARLOS, Daniel Pícaro. Extraterrestres: Ciência e Pensamento Mítico no Mundo Moderno. Dissertação de Mestrado em Antropologia. UFSCar, 2007. Páginas 92-95
  9. Rabolú, Venerable Mestre. Do ponto final ao ponto seguinte. São Paulo: Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil na Nova Ordem 
  10. Rabolú, V.M. (1991). «4». 2 Congresso Gnóstico Mundial, 1989, SP, Brasil. São Paulo, SP: Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil na Nova Ordem (publicado em março de 1991). p. 38. ISBN 858535304X. ... porque os mantrans atuam ou servem de acordo com o tom de voz que alguém lhes dê. Se alguém vai cantá-los desatentamente, por aí, ou com outro tom, não lhe servem. 
  11. Rabolú, V.M. (2000). «O desdobramento astral». Hercólubus ou Planeta Vermelho. São Paulo, SP: Milenium Edições do Brasil. p. 45-46. ISBN 8577660206 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre esoterismo ou ocultismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.