V842 Centauri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
V842 Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 14h 35m 52,55s[1]
Declinação -57° 37′ 35,3″[1]
Magnitude aparente 18,5 (antes da nova)[2]
4,6 (durante nova)[3]
16,5 (2010)[2]
Características
Variabilidade nova[3]
Astrometria
Mov. próprio (AR) -13,96 mas/a[4]
Mov. próprio (DEC) -6,39 mas/a[4]
Paralaxe 0,7305 ± 0,0503 mas[4]
Distância 4460 ± 310 anos-luz
1370 ± 90 pc
Magnitude absoluta -7,5 (durante nova)[3]
Detalhes
Massa 0,88[5] M
Outras denominações
Nova Centauri 1986, V842 Centauri, 2MASS J14355255-5737352.[1]
V842 Centauri
Centaurus constellation map.png

V842 Centauri (Nova Centauri 1986) é uma estrela binária variável cataclísmica que gerou uma nova em novembro de 1986, alcançando uma magnitude aparente máxima de 4,6. É considerada uma nova moderadamente rápida, tendo demorado 48 dias para diminuir seu brilho em 3 magnitudes.[3] Em 2010, sua magnitude aparente já tinha caído para 16,5, mas sendo ainda 2 magnitudes mais brilhante que seu brilho anterior à nova.[2] Localiza-se na constelação de Centaurus e está a uma distância de aproximadamente 1370 parsecs (4460 anos-luz) da Terra, determinada diretamente a partir de medições de paralaxe pelo satélite Gaia.[4] Esse valor é próximo das estimativas indiretas anteriores, baseadas na taxa de expansão do material ejetado na nova e na taxa de extinção do sistema, que forneciam distâncias de 1,5 ± 0,2 e 1,65 ± 0,54 kpc.[6][7]

Variáveis cataclísmicas são sistemas binários em que uma anã branca recebe material de uma estrela secundária, formando um disco de acreção ao redor da anã branca. As novas ocorrem quando esse material instável acumulado sofre uma reação de fuga termonuclear, aumentando tremendamente o brilho do sistema. A massa da anã branca de V842 Centauri é estimada em 0,88 massas solares. O sistema é provavelmente visto de uma inclinação baixa.[5] Uma nebulosa em expansão foi detectada ao redor de V842 Centauri, formada por material ejetado durante a nova. Ela consiste de dois componentes, com diâmetros de 3,6 e 10,6 segundos de arco, que correspondem a materiais com diferentes densidades e velocidades de expansão.[6]

Em 2009, um estudo fotométrico de V842 Centauri encontrou um possível período de 57 segundos na curva de luz do sistema, o que foi interpretado como o período de rotação da anã branca. Além disso, um período orbital de 3,94 horas foi calculado a partir de variações nesse período. Com base nesses dados, V842 Centauri foi classificada como uma polar intermediária, possuindo a terceira mais rápida rotação para uma variável cataclísmica.[8] No entanto, outros dois estudos mais recentes revelaram problemas com essa classificação.[5][2]

Referências

  1. a b c «V* V842 Cen -- Nova». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  2. a b c d Sion, Edward M.; et al. (agosto de 2013). «Multiwavelength Photometry and Hubble Space Telescope Spectroscopy of the Old Nova V842 Centaurus». The Astrophysical Journal. 772 (2): artigo 116, 7. Bibcode:2013ApJ...772..116S. doi:10.1088/0004-637X/772/2/116 
  3. a b c d Whitelock, P. A. (1987). «Nova Cen 1986». Monthly Notes of the Astron. Soc. Southern Africa. 46: 72. Bibcode:1987MNSSA..46...72W 
  4. a b c d Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  5. a b c Luna, G. J. M.; Diaz, M. P.; Brickhouse, N. S.; Moraes, M. (junho de 2012). «XMM-Newton EPIC and OM observation of Nova Centauri 1986 (V842 Cen)». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters. 423 (1): L75-L78. Bibcode:2012MNRAS.423L..75L. doi:10.1111/j.1745-3933.2012.01260.x 
  6. a b Tomov, T.; Swierczynski, E.; Mikolajewski, M.; Ilkiewicz, K. (abril de 2015). «SALT observations of southern post-novae». Astronomy & Astrophysics. 576: A119, 24. Bibcode:2015A&A...576A.119T. doi:10.1051/0004-6361/201424709 
  7. Özdönmez, Aykut; Güver, Tolga; Cabrera-Lavers, Antonio; Ak, Tansel (setembro de 2016). «The distances of the Galactic novae». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 461 (2): 1177-1201. Bibcode:2016MNRAS.461.1177O. doi:10.1093/mnras/stw1362 
  8. Woudt, Patrick A.; Warner, Brian; Osborne, Julian; Page, Kim (junho de 2009). «57-second oscillations in Nova Centauri 1986 (V842 Cen)». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 395 (4): 2177-2182. Bibcode:2009MNRAS.395.2177W. doi:10.1111/j.1365-2966.2009.14668.x