Vacagano III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vacagano III
Rei da Albânia
Reinado 487-510
Antecessor(a) Vache II
 
Descendência Pantaleão
Canchique
Dinastia arsácida
Morte 510
Pai Arsuageno
Religião Cristianismo

Vacagano III (em latim: Vachaganus; em armênio/arménio: Վաչագան; transl.: Vach’agan), chamado o Pio, foi o último rei do Reino da Albânia da dinastia arsácida que reinou de 487 até 510.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Dracma de Cavades I (r. 488–496; 499–531)

Vacagano era irmão de Vache II (r. 444–463) e parente do Isdigerdes II (r. 438–457). Aparece em 470, quando evidências indicam que converteu-se ao zoroastrismo e foi nomeado governador de Arcaque. Em 487, foi nomeado rei por Balas (r. 484–488), marcando a restauração da monarquia albanesa, abolida desde 463 com a saíde de Vache da vida pública. Ao tornar-se rei, declara que ainda era cristão e adotou uma política favorável aos nobres locais, devolvendo seus antigos privilégios, diminuindo impostos, etc.[1]

Cristão zeloso, leva nobres que apostataram a retornar à fé e guerrear contra magos e práticas pagãs, idolatria e feitiçaria, em especial as seitas dos cortadores de dedos (matnahatkʿ) e envenenadores.[2] Abriu escolas religiosas no país e recuperou relíquias dos santos Grigoris e Pantaleão e enterra-as em tumba dentro do Mosteiro de Amaras com ajuda de seu tio Cocorique.[3] Também toma a frente e convenia o Concílio de Alueno (Aluen), ocorrido em 488 (em 498[4]), no qual os cânones foram endossados por altos oficiais civis e certo número de nobres.[2]

Em 489, o marzobam da Armênia Baanes I aproximou de Vacagano[5] e repeliu uma incursão heftalita no início do século VI na Transcaucásia.[6] Próximo do fim de seu reinado, em 504, os sabires invadiram a Albânia e sob seu rei Ambazuces tomam controle das Portas Cáspias (passo de Darial) entregues ao imperador Anastácio I (r. 491–518) à revelia do xá Cavades I.[7] Nesse período, Cavades refundou a fortaleza de Derbente, o limite mais setentrional do Império Sassânida na Albânia e que controlava os passos montanhosos.[8]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Chaumont, M. L. (1985). «Albania». Enciclopédia Irânica 
  • Greatrex, Geoffrey; Lieu, Samuel N. C. (2002). The Roman Eastern Frontier and the Persian Wars (Part II, 363–630 AD). Londres: Routledge. ISBN 0-415-14687-9 
  • Mahé, Jean-Pierre (2013). «Vač'agan III le Pieux et le culte des reliques». Revue des Études Arméniennes. 35: 113-29 
  • Zardabli, Ismail bey (2014). The History of Azerbaijan - from ancient times to the present day. Londres: Rossendale Books