Valéria Maximila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Valéria Maximila
Imperatriz-consorte romana do oriente
Reinado 28 de outubro de 306-28 de outubro de 312
Consorte Magêncio
Antecessor(a) Galéria Valéria
Sucessor(a) Fausta
Floruit c. 293-312
Pai Galério
Filho(s) Valério Rômulo
Aurélio Valério?

Valéria Maximila foi uma imperatriz-consorte romana, esposa do imperador Magêncio.

História[editar | editar código-fonte]

Valéria era filha do imperador Galério com sua primeira esposa cujo nome não sabemos. Ela se casou com Magêncio por volta de 293 (também não se sabe a data exata) no que foi, provavelmente, uma tentativa de reforçar a aliança entre as famílias de Galério e do pai de Magêncio, Maximiano, ele também um imperador no ocidente. Ela deu-lhe dois filhos: o mais velho, Valério Rômulo, nasceu em 294 e o outro, cujo nome se perdeu, mas que pode ser Aurélio Valério, foi executado em 312. Como filha de um imperador, ela tinha o título de nobilíssima (em latim: nobilissima femina).

Magêncio foi aclamado imperador em outubro de 306 contra a vontade do pai de Valéria, que tentou derrotá-lo no ano seguinte, mas sem sucesso. Magêncio conseguiu manter o controle de Roma, da Itália e da África até 312, quando Constantino I invadiu a Itália. Valério Rômulo já havia morrido em 309 e Valéria estava junto com o marido antes da famosa Batalha da Ponte Mílvia, mas ela desaparece completamente do registro histórico depois disso.

O retrato de Valéria Maximila não aparece em nenhuma das moedas cunhadas por Magêncio, mas pode ser ela a pessoa representada num busto que foi desfigurado e que está atualmente nos Museus Capitolinos de Roma. Se for, o vandalismo ocorreu provavelmente depois da queda do marido, quando as imagens dele também foram destruídas.

Maximila pode também ser a rainha sem nome que aparece na hagiografia de Santa Catarina de Alexandria de Jacobus de Voragine (na fantasiosa "Lenda Dourada"). Na história, a "rainha" se converteu ao cristianismo depois de se encontrar com Catarina e ambas foram então tortudas e executadas por Magêncio, que aparece ali como um perseguidor de cristãos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Títulos reais
Precedido por:
Galéria Valéria
Imperatriz-consorte romana
306–312
com Galéria Valéria (307–311)
Fausta (309–312)
Sucedido por:
Fausta

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • DiMaio, Jr., Michael. Magêncio (306-312 A.D.). De Imperatoribus Romanis: An Online Encyclopedia of Roman Rulers and Their Families (em inglês). [S.l.: s.n.] Consultado em 20 de julho de 2013 
  • «A Vida de Santa Catarina». The Golden Legend or Lives of the Saints compiled by Jacobus de Voragine (em inglês). Consultado em 20 de julho de 2013. Arquivado do original em 6 de setembro de 2011 
  • Varner, Eric R. (2004). Mutilation and Transformation (Damnatio Memoriae and Roman Imperial Portraiture) (em inglês). Leiden, The Netherlands: Koninklijke Brill NV. pp. 219–220. ISBN 90-04-13577-4