Valéria Pires Franco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Valéria Pires Franco
Nascimento Belém
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista, escritora, política

Valéria Vinagre Pires Franco (Belém, PA, 9 de setembro de 1969) é uma jornalista e política brasileira com base no Pará. É casada com o também político Vic Pires Franco.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Apresentou os telejornais da TV Liberal durante a década de 80 ao lado de seu marido. Filiada ao então PFL, foi eleita vice-Governadora do Pará em 2002 na chapa de Simão Jatene. Em 2006 formou novamente a chapa de vice governadora junto a Almir Gabriel, já estando filiada ao PSDB. A chapa porém foi derrotada em segundo turno.

Regressou em 2007 a seu partido original (agora com o novo nome, DEM): candidatado-se à Prefeitura de Bélem no ano seguinte, chegando a aparecer em segundo lugar em todas as pesquisas e em primeiro em algumas, mas por fim acabou sendo ultrapassada por José Priante (PMDB) e Mário Cardoso (PT), terminando em quarto lugar na disputa com 13,34% dos votos válidos.

Eleição 2008[editar | editar código-fonte]

Em coligação apenas com o PSDB, os dois partidos lançaram seu nome para prefeita, o de Paulo Chaves Fernandes para vice e uma chapa propocional una para a Câmara Municipal. Sua campanha em 2008 teve traços fortes e, talvez por isso mesmo, difilmente conseguiria intercambiar (receber ou oferecer) apoio eleitoral com outros candidatos em um provável segundo turno: pregava uma dura oposição tanto ao governo petista da governadora Ana Júlia Carepa, como sempre pregou contra o PT, quanto ao governo petebista do então prefeito, Duciomar Gomes da Costa - havendo ajudado a eleger este último, quatro anos antes.

Valéria e Duciomar, saídos das mesmas coligações até a eleição anterior, passaram a protagonizar uma situação matematicamente interessante: ao longo das pesquisas de opinião, os percentuais de ambos somavam, aproximadamente, 50% das intenções de voto: quando um subia um pouco, outro descia um valor quase igual. Chegaram a ter percentuais bem parecidos, havendo ela ultrapassado-o em poucas, até que, próximo do fim, o prefeito foi abrindo maiores vantagens. Duciomar encerrou o primeiro turno com com 35,15% dos votos e Valéria com 13,34%, somando 48,49%: denotando, portanto, que o nicho eleitoral de ambos era parecido e que teria sido pouco cabível Valéria haver figurado como oposição.

No segundo turno, o DEM ficou oficialmente fora dos campos de apoio: O PSDB também, com o diferencial de haver parcialmente apoiado a reeleição de Duciomar - candidato que teve sua vitória definida justamente em função do apoio tucano quatro anos antes, quando os peessedebistas detinham grande estrutura política, frente à administração estadual.

Precedido por
Hildegardo Nunes
Vice-governadora do Pará
20032007
Sucedido por
Odair Santos Correia