Valério (cônsul em 432)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Valério
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Oficial
Religião Catolicismo
Soldo de ouro de Teodósio II (r. 408–450)

Valério (fl. 421 - 455) foi um político do Império Bizantino, irmão da imperatriz-consorte bizantina Élia Eudócia (r. 421–450). Sob influência de sua irmã, foi nomeado para uma série de ofícios proeminentes, como cônsul e mestre dos ofícios. Em 455, quando esteve em Jerusalém, enviou uma carta a sua irmã.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido em Atenas era filho do filósofo sofista pagão Leôncio e irmão de Géssio e Atenais (Élia Eudócia) (originalmente chamada Atenais). Em 421, Atenais casa-se com o imperador bizantino Teodósio II (r. 408–450) e muda sem nome para Élia Eudócia; na ocasião Valério e Géssio recebem diversas homenagens.[1]

Após o casamento de sua irmão, Valério foi nomeado para vários postos: conde da fortuna privada (425); conde dos tesouros sagrados (427), cônsul (432) e mestre dos ofícios (435). Em 455, Valério escreveu para sua irmã, de Jerusalém, tentando convencê-la a abandonar as ideias cristológicas de Eutiques para assim esta retornar à fé nicena, a qual Valério evidentemente pertencia.[1]

Referências

  1. a b Martindale 1980, p. 1145.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). The prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press