Valões (povo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Valões
Walons
Peter Minuit
Peter Minuit
População total

3.5 milhões

Regiões com população significativa
Valônia
Suécia
Bruxelas
Flandres
Ardenas (departamento)
Wisconsin
Brasil
Argentina
Línguas
Francês, Valão, Picardo, Alemão
Religiões
Catolicismo, Ateísmo

Valões (em valão: Walons; em francês: Wallons) são um povo de origem latina e céltica[1][2] que habita a região da Valônia, na atual Bélgica. Falam idiomas românicos, como o valão, o francês e o picardo.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo Wallon é derivado de 'Walh', uma palavra germânica muito antiga usada pelos germanos para se referir às populações Celtófonas ou Românicas.

De acordo com as regiões, 'Wahl' se transformou, principalmente através de empréstimos de outras línguas, e o seu sentido foi reduzido. Este é o caso de Wallon, que foi criado no românico com outros termos relacionados mas que foram rapidamente suplantados.
O escopo semântico será reduzido um pouco mais sob o regime francês, então na época do Reino Unido dos Países Baixos e da independência belga para designar apenas os Belgas de língua românica.
A clivagem linguística na política belga e a aparição do movimento valão adicionaram um conteúdo conceitual e afetivo à palavra Wallon, que designa atualmente os habitantes da Valônia - terra unilíngue francófona - em oposição direta à palavra Flamand (qui designa atualmente os Flamengos - terra unilíngue de língua holandesa).

Aspecto institucional[editar | editar código-fonte]

Como resultado da federalização de Bélgica, entidades federadas foram criadas, tanto Comunidades como Regiões. Uma delas é chamada de Região Valona e seus habitantes são chamados de Valões.

Havia 3 435 879 Valões na Região Valona[3]. A maioria deles são Belgas de língua francesa, mas a população também inclui Belgas de língua alemã no leste do país, Belgas de língua holandesa, principalmente nas comunas das facilidades ao longo da fronteira linguística, bem como nacionais de diferentes países europeus e imigrantes de diversas origens, incluindo uma grande comunidade italiana.

Referências

  1. Rousseau, Félix. La Wallonie, Terre romane, Charleroi, 1993, p.60 : brassage humain ... creuset où sont venus se fondre des éléments ethniques surgis de tous les points de l'horizon. P. 112: os povos germânicos deram o nome de Wahla a todos os seus vizinhos do sul (...) de onde o nosso "valão" (Walloon) é derivado (...) significa o Estrangeiro, o Celta, o Romano, em relação ao Germânico.
  2. Henry, Albert. Histoire des mots Wallons et Wallonie, Institut Jules Destrée, Coll. «Notre histoire», Mont-sur-Marchienne, 1990, 3rd ed. (1st ed. 1965), p. 20; Weinsberger, Leo, Die geschichtliche Leistung des Wortes welsch, in Rheinische Vierteljahrsblätter, t. XIII, 1948, pp. 87-146, escreveu sobre a pré-história germânica e céltica da palavra valão.
  3. fonte : Institut national de statistique

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.