Valaam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Predefinição:Infobox islands

Paisagem natural em Valaam
Spaso-Preobrazhensky Catedral do Mosteiro de Valaam

A ilha de Valaam (russo: Валаам or Валаамский архипелаг), também conhecida historicamente pelo nome finlandês de Valamo, é um arquipélago na porção norte do Lago Ladoga, dentro da República da Carélia, na Federação Russa. A área total das suas mais de 50 ilhas é de 36 km². A maior delas também é chamada de Valaam. É conhecida por ser o local do Mosteiro de Valaam que remonta ao século XIV, e por sua beleza natural.[1] No século XII, as ilhas formaram parte da República da Novogárdia. No século XVII, foram capturadas pela Suécia durante o Tempo de Dificuldades, mas a Rússia a reconquistou menos de um século depois. Quando o Grão-Ducado da Finlândia foi estabelecido, no princípio do século XIX, como parte integrante do Império Russo, Alexandre I da Rússia fez Valaam parte da Finlândia. Em 1917, Valaam se tornou parte da Finlândia independente, mas foi readquirida pela União Soviética durante a Guerra de Inverno e a Guerra de Continuação.

O nome da ilha vem da palavra ugro-fínica valamo, que quer dizer lugar alto, montanha. O clima e a história natural da ilha são únicos devido à sua posição no lago Ladoga. A primavera começa no começo de março e um verão típico em Valaam consiste em 30-35 dias ensolarados, o que já é mais do que em terra firme. A temperatura média em julho é de 17 °C. O inverno e a neve chegam no começo de dezembro. No começo de fevereiro a estrada de gelo para a cidade mais próxima, Sortavala (42 km) fica transitável. A temperatura média em fevereiro é menos 8 °C.

Mais de 480 espécies de plantas crescem na ilha, muitas das quais cultivadas pelos monges. A ilha é coberta por árvores coníferas, cerca de 65% das quais são pinheiros. A ilha foi visitada repetidamente pelos imperadores Alexandre I, Alexandre II, e outros membros da família imperial. Outros visitantes famosos incluem Tchaikovsky e Dmitri Mendeleiev.

A ilha é permanentemente habitada por monges e famílias. Em 1999, havia cerca de 600 residentes na ilha principal; inclusive pessoal do Exército, trabalhadores de restauração, guias turísticos e monges.[2] Há um jardim da infância, um ginásia de artes e esportes, uma escola e um centro médico. A comunidade de Valaam, no momento, não apresenta qualquer status administrativo.

Durante o verão, a ilha principal pode ser alcançada por barcos de passeio que deixam S. Petersburgo à noite, e chegam na ilha na manhã seguinte.[3]

O presidente da Rússia tem uma dacha em uma das ilhas do arquipélago, mas a sua localização precisa não é oficialmente divulgada.[4]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Selby, N. St. Petersburg, 2nd. edition, 1999, Lonely Planet Publications ISBN 0-86442-657-7

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Selby p. 175
  2. Selby p. 175
  3. Selby p. 175
  4. Paananen, Arja (28 de abril de 2014). «Tässä on Putinin vaiettu huvila Valamon saaressa ('Here is Putin's secret dacha in Valaam')». Iltasanomat. Sanoma Oyj. Consultado em 2 de maio de 2014 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:
  • Russia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Valaam