Valdir Cobalchini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Valdir Vital Cobalchini
Valdir Cobalchini
Nascimento 7 de setembro de 1963 (57 anos)
São Lourenço do Oeste, SC
Nacionalidade brasileiro
Cidadania Brasil
Cônjuge Lívia Frâncio Rocha Cobalchini
Filho(s) João Luiz Cobalchini
Ocupação político
Profissão político
Religião católico romano
Página oficial
www.cobalchini.org
Assinatura
Signature of Valdir Cobalchini.svg

Valdir Vital Cobalchini (São Lourenço do Oeste, 7 de setembro de 1963) é um político brasileiro, filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). É deputado estadual da 19ª Legislatura, cumprindo seu quarto mandato. Já exerceu os cargos de Diretor Geral da Secretaria de Negócios do Oeste, Chefe de Gabinete do Governador Paulo Afonso Evangelista Vieira, Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional de Caçador, Secretário de Estado da Casa Civil e Secretário de Estado da Infraestrutura.

Cobalchini, como é conhecido, tomou posse de seu primeiro mandato parlamentar em 2009, na 16ª Legislatura da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Foi reeleito como o mais votado Deputado Estadual do PMDB em 2010, com 62.465 votos. Reeleito em 2014, para a 17ª Legislatura, com 62.865 votos. E em 2018, mais uma vez, tornou a ser eleito, desta vez para a 19ª Legislatura, com 49.355 votos.

Cobalchini tem como principais pautas a descentralização política e administrativa do Governo do Estado, a interiorização do desenvolvimento, a saúde, a educação e a infraestrutura. Por iniciativa de Cobalchini, a Assembleia Legislativa do Estado, em votação unânime e após sanção do Governador do Estado, Carlos Moisés da Silva, aprovou a criação da Política de Proteção aos Direitos da Pessoa com Câncer, através da Lei 17.928/2020[1]. Esta Lei garante aos pacientes o início do tratamento em no máximo 30 dias após o diagnóstico do câncer, além de obrigar o Estado a oferecer apoio jurídico, social e psicológico aos pacientes e seus familiares.  

Atualmente, Cobalchini é o líder da bancada do MDB[2] na Assembleia Legislativa de Santa Catarina[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

Valdir Vital Cobalchini nasceu no Distrito de Presidente Juscelino, no interior do município de São Lourenço do Oeste. É o 12º e último filho de uma grande família. Filho dos agricultores João Cobalchini e Oliva Menin Cobalchini.

Educação e trabalho[editar | editar código-fonte]

Aprendeu as primeiras letras na escola multiseriada na própria Linha Presidente Juscelino e em seguida passou a estudar no Seminário Católico Comboniano de Campo Erê - SC.

Mudança para Brasília[editar | editar código-fonte]

Aos 18 anos, momento de prestar o Serviço Militar Obrigatório, Valdir Cobalchini acabou selecionado para servir em Brasília, capital da República, cidade para onde acabou se mudando.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Assessor Parlamentar do Deputado Federal Casildo Maldaner[editar | editar código-fonte]

Em 1983, logo após dar baixa de seu Serviço Militar, Valdir Cobalchini passou a trabalhar como garçom em Brasília. Em busca de melhores oportunidades, procurou o então Deputado Federal Casildo Maldaner em busca de um novo emprego. Para sua surpresa, Casildo, que tinha base política também em São Lourenço do Oeste, terra natal de Cobalchini, logo o contratou como assessor.

Nos anos seguintes, os caminhos de Valdir Cobalchini e Casildo Maldaner seguiriam praticamente juntos na política estadual.

Retorno à Santa Catarina nas eleições de 1986[editar | editar código-fonte]

Em 1986, Casildo Maldaner é o escolhido pelo PMDB para compor como vice a chapa que disputaria o Governo do Estado, encabeçada pelo ex-Prefeito de Joinville, Pedro Ivo Campos. Valdir Cobalchini participou das atividades de coordenação da campanha, que resultou vitoriosa por ampla margem.

Diretor Geral da Secretaria de Negócios do Oeste[editar | editar código-fonte]

No início do Governo de Pedro Ivo, Valdir Cobalchini foi nomeado como Diretor Geral da Secretaria de Negócios do Oeste, um embrião de um modelo de governança descentralizado. Para exercer as atividades inerentes ao cargo, mais uma vez mudou-se, desta vez para Chapecó, maior município do Oeste catarinense e sede da referida Secretaria.

Secretário Executivo do PMDB de Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

Com a morte de Pedro Ivo Campos no exercício do cargo de Governador e ascensão de Casildo Maldaner ao cargo, em uma época em que não existia a reeleição, o PMDB, sem nomes imediatamente competitivos acaba sofrendo um grande revés nas urnas.

Ato contínuo, Casildo Maldaner assume a Presidência Estadual do Partido, em um esforço de reconstrução. Ao seu lado, atuando como Secretário Executivo Estadual do PMDB, Valdir Cobalchini lidera a chamada Jornada pela Unidade, que mobiliza os diretórios municipais do partido em todo o estado.

Os resultados positivos do trabalho já se veem em uma boa eleição para o PMDB de Santa Catarina em 1992, mas vão aparecer principalmente na eleição de 1994, com a chegada do jovem Paulo Afonso Evangelista Vieira ao Governo de Santa Catarina.

Coordenador da campanha ao Governo do Estado de Paulo Afonso Evangelista Vieira[editar | editar código-fonte]

Paulo Afonso Evangelista Vieira havia sido o candidato do PMDB ao Governo do Estado em 1990. Em 1994, mais uma vez o PMDB resolveu apostar em seu nome. Na coordenação da campanha, Valdir Cobalchini atuou mobilizando as bases, organizando a agenda do candidato e a logística e infraestrutura para que a campanha chegasse em todos os municípios do estado. A campanha resultou vitoriosa, com Paulo Afonso derrotando a candidata Ângela Amin no 2º turno por estreita margem de votos.

Chefe de Gabinete do Governador Paulo Afonso Evangelista Vieira[editar | editar código-fonte]

Na chefia de Gabinete de Paulo Afonso, Valdir Cobalchini atuou principalmente como um interlocutor dos municípios junto ao Governo do Estado. Com atuação firme, buscando colocar em prática o Plano de Governo municipalista, a gestão de Paulo Afonso ficou marcada por levar obras e recursos para todo o estado.

Assessor do Senador Casildo Maldaner[editar | editar código-fonte]

Com a derrota do PMDB nas eleições de 1998 para o Governo do Estado, Valdir Cobalchini foi convidado e aceitou atuar mais uma vez ao lado de Casildo Maldaner, desta vez no Senado Federal.

Chefe de Gabinete do Prefeito Onélio Menta em Caçador - SC[editar | editar código-fonte]

Em 2000, convidado pelo então prefeito de Caçador, Onélio Francisco Menta, Valdir Cobalchini assumiu a Chefia de Gabinete da Prefeitura. No cargo, suas atribuições envolviam o relacionamento institucional  com Legislativo e Judiciário, a articulação política do Governo e a coordenação das atividades administrativas entre as Secretarias Municipais.

Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional de Caçador[editar | editar código-fonte]

Com a vitória de Luiz Henrique da Silveira para o Governo do Estado em 2002, Valdir Cobalchini foi escolhido como o primeiro Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional de Caçador. A criação das chamadas Secretarias Regionais cumpria promessa de campanha do candidato Luiz Henrique de descentralizar a estrutura administrativa do Governo do Estado.

No comando da SDR de Caçador, Cobalchini comandou o maior programa de obras, ações e investimentos do Governo do Estado na história da região e, proporcionalmente, o maior investimento per capita realizado pelas SDRs em todo o Estado.[4]

Ao final de sua gestão nesta pasta, todos os municípios da região contavam com acesso pavimentado, dezenas de escolas haviam sido reformadas, dezenas de ginásios poliesportivos inaugurados, além de investimentos no setor da cultura, com destaque para a realização da peça teatral ao ar livre "Contestado: a Fúria Cabocla".[5]

Secretário de Estado da Casa Civil[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Valdir Cobalchini foi chamado pelo Governador Luiz Henrique da Silveira para assumir o comando da Secretaria de Estado da Casa Civil, principal peça da estrutura administrativa do Governo do Estado.

Segundo a Lei Complementar 741 de 12 de junho de 2019, compete à Casa Civil do Governo do Estado:

I – assistir o Governador do Estado:

a) no desempenho de suas atribuições constitucionais e legais e, especialmente, nos assuntos referentes à administração pública estadual;

b) no relacionamento do Poder Executivo com os outros Poderes do Estado;

c) no relacionamento do Poder Executivo com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC) e a Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina (DPE/SC);

d) no relacionamento do Poder Executivo com as autoridades superiores da União, de outros Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e com as entidades representativas da sociedade civil; e

e) no encaminhamento de mensagens à Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC);

II – transmitir as instruções emanadas pelo Governador do Estado, controlando-as administrativamente;

III – elaborar decretos, projetos de lei, medidas provisórias e demais atos do processo legislativo;

IV – acompanhar a tramitação de proposições na ALESC;

V – controlar os prazos constitucionais, legais e regimentais relativos aos atos oriundos da ALESC;

VI – expedir e encaminhar para publicação decretos, leis, medidas provisórias e demais atos do processo legislativo emanados pelo Governador do Estado;

VII – orientar e coordenar:

a) por meio da Diretoria de Assuntos Legislativos, o estudo, a produção formal e as adequações jurídicas e técnicas dos atos do processo legislativo a serem submetidos ao Governador do Estado, em articulação com os órgãos e as entidades da Administração Pública Estadual;

b) a integração das ações governamentais e o levantamento e o monitoramento de informações setoriais do governo, as quais serão submetidas ao conhecimento e à permanente avaliação do Governador do Estado; e

c) as atividades desempenhadas pelas Secretarias Executivas a ela vinculadas;

VIII – encarregar-se:

a) da representação civil do Governador do Estado;

b) da administração geral das residências oficiais do Governador do Estado e do Vice-Governador do Estado;

c) da execução orçamentária e financeira do Gabinete do Governador do Estado, das Secretarias Executivas vinculadas a ele, do EPROJ e do GVG; e

d) do apoio jurídico e operacional das Secretarias Executivas vinculadas a ele, do EPROJ e do GVG;

IX – acompanhar as atividades desenvolvidas pelos fundos estaduais, à exceção do Fundo do Plano de Saúde dos Servidores Públicos Estaduais e daqueles cujos recursos sejam originários e vinculados à União e aos Municípios; e

X – administrar a Central de Atendimento aos Municípios (CAM).

§ 1º Os anteprojetos de leis, decretos, medidas provisórias e demais atos do processo legislativo propostos por Secretários de Estado ao Governador do Estado deverão ser previamente submetidos à CC.

§ 2º Cabe à CAM, entre outras ações que propiciem o estreitamento do relacionamento entre Administração Pública Estadual e Municípios, nortear, propor e encaminhar assuntos relacionados à gestão de convênios e demais instrumentos congêneres firmados entre a Administração Pública Estadual e os Municípios do Estado, que será operacionalizada por núcleos de gestão de convênios, conforme regulamento.

§ 3º Os convênios e instrumentos congêneres de que trata o § 2º deste artigo serão executados pelas Secretarias de Estado que tenham competências compatíveis com o objeto do instrumento.

§ 4º Fica excetuado do disposto na alínea “c” do inciso VIII do caput deste artigo a PGE, a CGE, a DC, o DETRAN, a FCC, a FESPORTE e a SANTUR.[6]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre políticos ou política de Santa Catarina é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.