Vale da Morte (Cubatão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Vale da Morte (desambiguação).

Vale da Morte foi o termo pelo qual ficou conhecida a cidade brasileira de Cubatão em função da poluição ambiental que ganhou repercussão nos anos 1980.

Panorama da poluição do ar em Cubatão

Origem do termo[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1980, Cubatão ficou conhecida mundialmente pelos problemas de saúde da população relacionados à poluição, sendo apontada pela ONU como o município mais poluído do mundo.[1]

O termo foi criado pelo jornalista brasileiro Randau Marques para chamar a atenção da opinião pública para os problemas de saúde e o alto índice de mortalidade que a cidade de Cubatão, localizada dentro de um vale, sofria em decorrência da poluição ambiental.[2]

O fato é que no início da década de 1980 a poluição atmosférica ocasionou aumento de doenças pulmonares e foi associada ao aumento do número de casos de crianças recém-nascidas com anencefalia (sem cérebro), de acordo com as pesquisas de Paulo César Naoum.[3]

Repercussão internacional[editar | editar código-fonte]

Em inglês, o termo "Vale da Morte" foi traduzido para "Valley of Death", tendo sido utilizado em diversas reportagens sobre os problemas ambientais em Cubatão que foram publicadas em jornais e revistas como The New York Times[4], Los Angeles Times[5] e The Baltimore Sun[6].

Por exemplo, no The Washington Post[7] foi publicado em 1984 que Cubatão seria a cidade mais poluída do mundo e que os seus 80 mil residentes estavam expostos a sérios riscos à saúde:

The town's reputation as the world's dirtiest city has earned it the title "valley of death," and its 80,000 residents are exposed to serious health risks. A project funded by the National Scientific Research Council found that 12 in every 10,000 babies were born without brains--three times the national average.
 
HOUSE, Robert. Industrial Accidents Rock Brazil. The Washington Post, 01/04/1984.

Recuperação ambiental[editar | editar código-fonte]

Anos 1990[editar | editar código-fonte]

A partir dos anos 1990, e passados alguns anos desde os problemas ambientais relatados nos anos 1970 e 1980, a cidade passou a ser chamada de Vale da Vida, como se pode ler na reportagem do The New York Times:[4]

Out of place in this tableau was the background: metal chimneys and ducts of a riverside styrene plant. Even more out of place was a label that Brazilian environmentalists long ago gave to this industrial city: the Valley of Death. [...] Cubatao appeared to have hit bottom in 1981, the year Mr. Serra and a group of fellow thinkers formed a group called Valley of Life.
 
BROOKE, James. Cubatao Journal; Signs of Life in Brazil's Industrial Valley of Death. The New York Times, 15/06/1991.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Entretanto, levantamentos recentes apontam que Cubatão, mesmo depois de três décadas ainda pode ser chamada de "Vale da Morte"[8]:

Em 1977, a emissão de componentes químicos tóxicos como monóxido de carbono, benzeno, óxidos de enxofre e nitrogênio, hidrocarbonetos e material particulado liberados em Cubatão ultrapassava mil toneladas por dia. [...] Em 2013, um estudo de pesquisadores da USP concluiu que, mesmo em níveis aceitáveis, a poluição do ar em Cubatão ainda tem sérios efeitos na saúde da população.
 
COSTA, Camilla. Mais de 3 décadas após ‘Vale da Morte’, Cubatão volta a lutar contra alta na poluição. BBC Brasil, 10/03/2017.

Referências

  1. «A história da poluição em Cubatão e como a cidade deixou de ser o "Vale da Morte"». Pensamento Verde. 29 de janeiro de 2014. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  2. TRIGUEIRO, André (2005). Mundo sustentável: abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação. Rio de Janeiro: Globo Livros. p. 297. 302 páginas 
  3. PIRES, Fernanda (15 de março de 2012). «"Vale da Morte" foi o símbolo de Cubatão». Valor Econômico. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  4. a b BROOKE, James (15 de junho de 1991). «Cubatao Journal; Signs of Life in Brazil's Industrial Valley of Death». The New York Times (em inglês). Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  5. LEHMAN, Stan (30 de agosto de 1987). «Citizens of Brazil's Valley of Death Breathing Easier After Two Years of Cleanup». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  6. New York Times News Service (23 de junho de 1991). «Brazilian 'Valley of Death' cleans up industrial pollution, turns ecological model». The Baltimore Sun. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  7. HOUSE, Robert (1 de abril de 1984). «Industrial Accidents Rock Brazil». The Washington Post. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  8. COSTA, Camilla (10 de março de 2017). «Mais de 3 décadas após 'Vale da Morte', Cubatão volta a lutar contra alta na poluição». BBC Brasil. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]