Vale de M'Zab

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Janeiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pix.gif Vale de M'Zab *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Ghardaia.jpg
Vista panorámica de Ghardaia
País  Argélia
Critérios C(ii) (iii) (v)
Referência 188 en fr es
Coordenadas 32º28'N 3º40'E
Histórico de inscrição
Inscrição 1982  (6.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

A paisagem do Vale de M'Zab, criada no século X pelos Ibaditas em torno de suas cinco ksour ou cidades fortificadas, aparenta estar intacto. Simples, prático e perfeitamente adaptado ao ambiente, a arquitetura do M'Zab foi concebida para a vida em comunidade, respeitando as estruturas familiares. É uma fonte de inspiração para os urbanistas de hoje.

As cinco cidades fortificadas são: Ghardaia, Mélika, Atteuf, Bou Nioura e Isguen. Cada cidade tem sua própria mesquita e o seu minarete tem função de uma torre de observação. A mesquita, na verdade, foi construída como uma fortaleza, último lugar de resistência em caso de invasão; comporta também um arsenal e um silo de grãos. Em volta da mesquita organizam-se as casas em círculos concêntricos. Cada casa, uma célula padronizada, representa uma organização social igualitária fundada sob o respeito à estrutura familiar, cuja intimidade e automia devem ser respeitadas. Fora dos muros a igualdade continua. As sepulturas dos cemitérios não se distinguem.

O modo de vida da população incluía a migração sazonal. Durante o verão as populações se mudavam para cidades onde a organização do habitat era menos formal, mas não menos segura.

Em 1982 o Vale de M'zab foi inscrito como Património mundial pela UNESCO.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]