Vamp (estereótipo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Theda Bara, uma das primeiras vamps da história do cinema, no filme Cleopatra, de 1917.

Uma vamp ou vampe[1] é um arquétipo de mulher sedutora, atraente, e geralmente também perversa e cruel. No entanto, distintamente da mulher fatal, a vamp não é necessariamente uma criminosa ou assassina, mas tem caraterísticas de frieza e sadismo. Também se descreve a vamp como uma mulher misteriosa e glamorosa de maneira exótica e estilizada. Na cultura pop vamp está também está associado ao sadomasoquismo[carece de fontes?].

A vamp convencional veste roupas escuras, tem cabelo escuro, usa cosméticos contrastantes que aumentam sua palidez e acentuam os olhos e lábios, dando-lhe aspecto dark, gótico[carece de fontes?]. Nos filmes de Hollywood, as vamps muitas vezes eram estrangeiras, tendo origem no Leste Europeu ou na Ásia[carece de fontes?]. sendo por vezes consideradas o oposto das gamines[carece de fontes?]. Entre vamps famosas do cinema mudo, houve Theda Bara, Louise Glaum, Musidora, Nita Naldi, Pola Negri e Myrna Loy (no início da carreira).

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Algumas personagens vamp da cultura pop ocidental são:

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]