Van Halen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Van Allen.
Van Halen
Van Halen em concerto em 2008. Da esquerda para direita: David Lee Roth, Eddie Van Halen, Alex Van Halen, e Wolfgang Van Halen
Informação geral
Origem Pasadena, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Hard rock, heavy metal, glam metal
Período em atividade 1974 - atualmente[1]
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Interscope Records
Integrantes Eddie Van Halen
Alex Van Halen
David Lee Roth
Wolfgang Van Halen
Ex-integrantes Sammy Hagar
Gary Cherone
Michael Anthony
Página oficial www.van-halen.com

Van Halen é uma banda de hard rock norte-americana formada em 1974.[1] Foi fundada pelos irmãos Eddie Van Halen e Alex Van Halen, que mais tarde juntou o cantor David Lee Roth e o baixista Michael Anthony. Van Halen rapidamente chegou à fama com seu primeiro álbum de mesmo nome em 1978, e é amplamente considerada como um marco nas vendas de rock nos EUA, ocupando a 19ª posição na lista dos maiores vendedores de discos nos Estados Unidos, com 56 milhões e meio de vendas.[2] É a banda de heavy rock detentora de mais singles a chegarem ao topo do Hot Mainstream Rock Tracks, sendo 13 no total. É também uma das cinco bandas de rock a ter dois de seus discos certificados com o Disco de Diamante nos Estados Unidos (Van Halen e 1984, respectivamente). Até o momento, vendeu mais de 90 milhões de cópias de discos mundialmente.[3]

Além de ser reconhecida pelo sucesso, a banda é conhecida pelo drama que cerca a saída de antigos membros. As saídas múltiplas dos vocalistas David Lee Roth, Sammy Hagar e Gary Cherone foram cercadas de controvérsia e cobertura da imprensa, incluindo numerosas declarações conflitantes entre os cantores e a banda. Depois da turnê de 2004 com Hagar, a banda entrou em um hiato do público até Setembro de 2007, quando o baixista Wolfgang Van Halen (filho de Eddie) foi confirmado e rumores de que Roth voltaria a banda, ambos os eventos coincidindo com a indução ao Rock and Roll Hall of Fame em 12 de março de 2007. Após anos de especulações, Van Halen voltou a uma turnê com Roth na América do Norte em 2007 e em 2008.

Em 2012, a banda iniciou nova turnê e lançou seu primeiro disco em 14 anos, (e primeiro com o vocalista Lee Roth desde 1984) A Different Kind of Truth.[4][5] O canal VH1 colocou-os no 7º lugar em sua lista dos 100 maiores artistas de hard rock de todos os tempos. Em 1992 eles venceram o prêmio Grammy na categoria "Best Hard Rock Performance" com o álbum For Unlawful Carnal Knowledge.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Nascidos em Nijmegen, Holanda, Eddie Van Halen e Alex Van Halen são os filhos do músico Jan van Halen, que fez com que eles tivessem aulas de música. Os irmãos Van Halen começaram a tocar juntos na década de 1960, quando Eddie tocava piano clássico e, posteriormente, bateria, e Alex tocava violão. Enquanto Eddie entregava jornais, Alex tocava a bateria de Eddie às escondidas. Posteriormente, Eddie descobriu que Alex estava tocando seu instrumento e ficou tão frustrado que disse a Alex, "OK, eu vou tocar sua guitarra".[6]

As origens remotas da banda em 1972, quando os irmãos Van Halen formaram uma banda com o baixista Mark Stone que teve diversos nomes como The Trojan Rubber Company, The Broken Combs, Rat Salad, e finalmente, Genesis. Eddie também fazia os vocais na banda.

Em 1976, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons, líder da banda Kiss os descobriu e decidiu fazer uma demo com a banda. A demo, que continha a primeira versão de Runnin' with the Devil (cantada por Eddie Van Halen, que na época era o vocalista), não deu muito certo, e acabou não sendo aceita por nenhuma gravadora.

Em 1977, antes mesmo de o grupo lançar seu disco de estreia, a banda estava a procura de um vocalista. David Lee Roth foi um dos que enviaram uma demo, mas o produtor Ted Templeman não gostou muito. Segundo relatos de Greg Renoff, autor do livro "Van Halen Rising", que conta a história do grupo, dos que participaram dos testes, Sammy Hagar foi o que mais impressionou, e chegou a ser cogitado para o vocal da banda.[7]

Como David Lee Roth era um "amigo" dos irmãos Van Halen, e por eles eventualmente alugarem um sistema de som com o David, para economizar dinheiro, eles decidiram colocar o David como vocalista.[8] Em 1974 a banda decidiu substituir Stone por Michael Anthony, o baixista e vocalista da banda local "Snake". Após uma jam session que durou toda a noite, ele foi contratado para baixo e backing vocals.[8]

Neste período, descobriram que havia outra banda chamada Genesis, o que os obrigou a mudar rapidamente para Mammoth. Finalmente acabaram optando pelo sobrenome dos irmãos, Van Halen, que Roth acreditava ter a mesma potência de Santana.[9] Sendo assim, a banda Van Halen ficou constituída por David Lee Roth (vocal), Edward Lodewijk Van Halen (guitarra e teclado), Alex Arthur Van Halen (bateria) e Michael Anthony (baixo). A banda começou tocando somente covers e em pouco tempo tornou-se muito conhecida em todos os bares de Los Angeles.

Era David Lee Roth (1974-1985)[editar | editar código-fonte]

Em 1976, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons (baixista/vocalista do Kiss) os descobriu e decidiu fazer uma demo com a banda (cujo equipamento era todo emprestado). Esta demo, que continha a primeira versão de "Runnin' With The Devil", não deu muito certo e não foi aceita pelas gravadoras.[10] No ano seguinte, em 1977, o produtor Ted Templeman, da Warner Bros. Records, conheceu a banda no mesmo bar em que Gene os encontrou e os contratou.[11] Em 1978 foi lançado o primeiro álbum, também chamado Van Halen. O disco foi muito aclamado, especialmente o solo de guitarra "Eruption".

Nos cinco anos decorrentes, a banda lançou mais 5 álbuns, mantendo sua formação original. Em Janeiro de 1983 a banda se apresentou no Brasil (e também na Argentina, Uruguai e Venezuela). A banda não voltou à América do Sul desde então.

Em 1983, Eddie Van Halen construiu seu estúdio caseiro, 5150 Studios - o nome faz referência ao código policial de prisão por insanidade - e participou como convidado da canção "Beat It" ,de Michael Jackson, o que não teria agradado muito o vocalista David Lee Roth. No entanto a canção tornou-se um marco na história da música, onde as barreiras entre a música negra e branca começaram finalmente a ser quebradas. O solo é provavelmente o mais conhecido da década de 80. Michael e Eddie apresentaram a canção ao vivo na turnê dos Jacksons de 1984.

Em sua autobiografia (Crazy From The Heat), Roth conta que ele aprovou sim a participação de Eddie em "Beat It", pois ele acreditava que a faixa seria um excelente veículo para Eddie mostrar os seus talentos. Roth afirma ainda que o seu problema com a participação de Eddie na música era que Eddie não quis receber pelo trabalho, recebendo apenas uma nota de agradecimento.[12]

Em 1984, a banda lançou seu álbum mais bem-sucedido,1984, que chegou ao segundo lugar da Billboard 200, a parada de discos norte-americana - atrás do disco que continha "Beat It", Thriller. 1984 também continha o single mais vendido da banda, "Jump", que ficou em primeiro lugar nos Estados Unidos, segundo na Austrália, e sétimo no Reino Unido.

A formação original durou até 1985, quando, por motivos de desentendimento com Edward Van Halen, David Lee Roth decidiu partir para a carreira solo.

Segundo Gene Simmons, vocalista e líder da banda Kiss, em 1982 (três anos antes de David sair da banda), Eddie o procurou para saber da possibilidade de participar do Kiss. Conforme relatos de Simmons, Eddie lhe contou que “estava tão infeliz com a forma como ele e Roth estavam – ou não estavam – se entendendo. Eles não se suportavam. E o uso de drogas era excessivo”.[13]

Era "Van Hagar" (1985-1996)[editar | editar código-fonte]

Em meados de 1985, enquanto Eddie buscava um novo cantor, seu mecânico passou-lhe o contato de outro de seus clientes, Sammy Hagar, que nos anos 70 liderara a banda Montrose e estava tendo bem-sucedida carreira solo.[14] Iniciava-se, assim, a Era Sammy Hagar, que ficou conhecida carinhosamente pelos fãs como Van Hagar.

Logo no primeiro encontro no estúdio foi composta "Summer Nights"'. Em 1986 lançaram o disco 5150, que se tornou o primeiro álbum de banda a se tornar o número #1 das paradas norte-americanas, e teve singles bem sucedidos como "Dreams" e "Why Can't This Be Love?", que atingiu a 3ª posição na Billboard Hot 100.

Foram lançados mais 4 discos, todos atingindo as primeiras posições nas paradas norte-americanas. Em 1996, em meio a turbulentas gravações de "Humans Being", para o filme Twister, e Hagar não concordar com a banda fazer uma coletânea, o cantor acabou saindo do Van Halen.

Curta reunião com Roth (1996)[editar | editar código-fonte]

Enquanto a banda planejava uma coletânea, David Lee Roth ligou para Eddie perguntando as canções que seriam incluídas. A discussão amigável levou a um convite para Roth visitar o estúdio caseiro de Eddie. Eventualmente a banda gravou duas músicas, "Can't Get This Stuff No More" e "Me Wise Magic", que atingiram a décima segunda e primeira colocações no Hot Mainstream Rock Tracks, respectivamente, e que seriam incluídas na coletânea Best of Volume I (1996). Apesar de rumores sobre uma reunião, a volta de Roth se resumiu às duas canções, já que Roth e Eddie tiveram uma altercação verbal. Dias depois das gravações destas canções, a banda fez uma aparição no MTV Video Music Awards, e David Lee Roth foi preterido novamente (Gary Cherone foi o vocalista na apresentação).[15][16]

Era Gary Cherone (1996-1998)[editar | editar código-fonte]

Ray Danniels, empresário da banda, sugeriu o aclamado Gary Cherone, ex-Extreme, para a vaga de vocalista. Foi marcado um encontro no qual a banda o aceitou de imediato. No início de 1998, foi lançado o álbum Van Halen III que foi um fracasso comercial, sendo o primeiro (e por enquanto único) álbum da banda a não superar o milhão de cópias na América do Norte. Apesar do baixo índice de vendas o álbum atingiu a quarta colocação na Billboard 200 e teve um single, "Without You", a atingir o topo do Mainstresm Rock. Eddie chegou a tocar bateria e baixo em algumas músicas quando achou necessário e até mesmo a cantar em uma delas. Cherone não ficou muito tempo no novo emprego, deixando a banda logo após a turnê de divulgação do disco.

Eddie passa então por um momento turbulento, separa-se após anos de casamento e recebe o diagnóstico de câncer na língua. O grupo entra em um hiato e Michael Anthony acompanha Sammy Hagar em sua turnê solo.

Reuniões (2001-2006)[editar | editar código-fonte]

Michael Anthony, Sammy Hagar e Eddie Van Halen na turnê de 2005.

Em 26 de abril de 2001, Eddie anunciou no site oficial da banda que havia sido examinado por três oncologistas e três neurocirurgiões, que afirmaram que ele estava "mais saudável do que nunca e vencendo o câncer".

Em 2004, Sammy Hagar volta à banda e grava três faixas novas na coletânea The Best of Both Worlds. A banda se reúne para uma turnê pelos Estados Unidos, embora Michael Anthony só tenha se juntado pela insistência de Hagar. Após a turnê, todos voltam para seus próprios caminhos.[17]

Em 2006, a banda revelou que voltaria a tocar com o filho de Eddie, Wolfgang, no baixo.[18] Eventualmente se confirmou o retorno de Roth.[19]

Retorno de David Lee Roth (2007-presente)[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2007 a banda Van Halen convoca uma coletiva e anuncia uma turnê norte-americana, agora com a formação: David Lee Roth, Eddie Van Halen, Alex Van Halen e Wolfgang Van Halen, filho de Eddie que entrou no lugar de Michael Anthony para tocar baixo.[20] A turnê durou 74 shows de setembro de 2007 a março de 2008, e se tornou a mais lucrativa da banda com faturamento de US$93 milhões.[21]

Em 2010, o Van Halen foi ao estúdio de gravação para produzir um novo disco com o produtor John Shanks. Seu site oficial foi atualizado em 26 de dezembro de 2011, anunciando que os ingressos para sua turnê de 2012 estariam disponíveis a partir 10 de janeiro de 2012.

Em janeiro de 2012, após 14 anos sem lançar um álbum, a banda anuncia oficialmente o lançamento de A Different Kind of Truth, o primeiro com Roth desde 1984, e o primeiro com a gravadora Interscope Records. O anúncio do álbum foi feito em um show intimista no Cafe Wha, em Nova York. O vídeo clipe do primeiro single do novo álbum, "Tattoo", foi lançado ainda naquele mês e a canção foi vendida pelo i-Tunes. Foi ainda anunciada uma turnê norte-americana, englobando várias cidades dos Estados Unidos e do Canadá, e algumas datas no Japão.

O álbum recebeu boas críticas,[22] e chegou em segundo na Billboard 200, atrás apenas de 21, de Adele.[23]

A turnê esgotou a maioria de seus shows,[24] e rolou normalmente até maio, quando foi anunciado que os shows seriam adiados.[25] Eventualmente se revelou que a causa da pausa foi que Eddie faria operações para tratar uma diverticulite, e a banda só voltaria aos palcos em 2013.[26]

Em 31 de março de 2015, lançaram Tokyo Dome Live in Concert, primeiro disco ao vivo com Roth e o segundo da carreira da banda. O álbum foi gravado no dia 21 de junho de 2013 em um show no Japão, e foi disponibilizado em um CD duplo, uma edição de 4 LPs de 180 g, além de formato digital.[27]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

David Lee Roth x Van Halen[editar | editar código-fonte]

A conturbada (e até hoje mal explicada) saída de David Lee Roth da banda fez crescer uma rivalidade e as provocações de ambos os lados foram tão intensas que até hoje correm histórias a respeito das alfinetadas indiretas através dos álbuns lançados pelos mesmos. A “guerra” é pública, notória e irremediável — e o assunto domina 90% dos fóruns e sites relativos ao Van Halen na internet.[28]

O primeiro disco do Van Halen sem David saiu em março de 1986 e levou o nome de "5150". A explicação da banda é que 5150 seria o nome do estúdio do Eddie Van Halen. Porém, dizem as más línguas que 5150 é o código da polícia americana para situações onde existe um louco a solta. Além disso, a própria arte do álbum (capa e contra-capa) traz uma mensagem subliminar que induz a entender que o homem que ali aparece, não conseguindo segurar o logotipo da banda, seria o David.[29]

Em julho de 1986, David lança o primeiro álbum com o seu supergrupo (The David Lee Roth Band), que fora montado para concorrer com o Van Halen, com o curioso nome de Eat 'Em and Smile (em português, Coma-os e sorria).[29]

Ambas as bandas entraram em turnê e disputavam a preferência do público e o espaço na mídia.[29]

Em 1987, The David Lee Roth Band lança o seu segundo álbum, intitulado "Skyscraper" (em português, arranha-céu). Segundo os fãs do David, o nome seria novamente uma provocação, dizendo que ele e sua banda estariam no Topo.

Não obstante, em 1988, David Lee Roth receberia a resposta pelo seu "coma-os e sorria". Em outubro, o Van Halen lançou um novo álbum com o curioso título "OU812". Reza a lenda que o código seria um trocadilho e trazia a mensagem subliminar "Oh you ate one too" (em português, Oh você comeu um também).[29]

Uma possível resposta de David viria em abril de 1991 com "A Little Ain't Enough" (um pouco não é suficiente), e meses depois o Van Halen lançaria "F.U.C.K", que em inglês é um palavrão.[29]

Era David Lee Roth x Era Van Hagar[editar | editar código-fonte]

A guerra declarada entre David Lee Roth e Sammy Hagar criou uma rivalidade pouco saudável entre a legião de fãs de ambos, que ficou rachada entre “Redheads” (defensores do Hagar) e “Roth Army” (defensores do Roth).[30]

Apesar de os álbuns do Van Halen com Sammy Hagar terem sido os únicos da banda a alcançar o número 1 nas paradas americanas, as vendas, em comparação com os da Era David Lee Roth, ficam cerca de dez milhões de cópias abaixo, de acordo com os órgãos oficiais.[31]

O guitarrista Joe Satriani, defende ambos, dizendo que cada um alcançou o sucesso em suas respectivas eras. Ele os define como David Lee Roth “mais vaudeville” e Sammy Hagar “mais rock n roll”.[32]

Eddie Trunk, historiador musical e grande personalidade do rádio nos EUA, em seu livro "Eddie Trunk's Essential Hard Rock and Heavy Metal", faz uma comparação entre as duas fases da banda:

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de membros de Van Halen

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Van Halen

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Van Halen - Biography, Stephen Thomas Erlewine, allmusic.
  2. RIAA. «RIAA - Gold & Platinum - Februrary 20, 2011» (em inglês). Consultado em 20 de fevereiro de 2011. 
  3. «Van Halen at In Demand Talent». In Demand Talent (em inglês). Consultado em 2 de março de 2011. 
  4. Van Halen anuncia novo álbum e turnê com Dave Lee Roth, Folha Uol, 26/12/2011.
  5. DAVID LEE ROTH CONFIRMS NEW VAN HALEN ALBUM TITLE + NEW YORK DATES, Matthew Wilkening, ultimateclassicrock, 5 de janeiro de 2012. Acesso em 5 de janeiro de 2012.
  6. Everybody Wants Some: The Van Halen Saga by Ian Christie, ISBN 9780470039106
  7. guitarplayer.uol.com.br/ Van Halen: Sammy Hagar poderia ter sido o primeiro vocalista da banda
  8. a b «Eddie van Halen». Consultado em 13 de agosto de 2007. 
  9. Lee Roth, David. Crazy from the Heat (1997)
  10. Van Halen: The Early Years
  11. Obrecht, Jas. «A Legend is Born Eddie Van Halen's First Interview». Musician's Friend. Consultado em 23 de novembro de 2008. 
  12. vanhalenfaclube.com.br/ Biografia: David Lee Roth
  13. rollingstone.uol.com.br/ Gene Simmons teve que convencer Eddie Van Halen a não entrar para o Kiss
  14. Dodds, Kevin (2011). Edward Van Halen: A Definitive Biography. [S.l.]: iUniverse. p. 120. ISBN 1462054803 
  15. rockmasters.com.br/ Em 1996, David Lee Roth era demitido pela segunda vez do Van Halen
  16. Dodds (2011), pp. 204-215
  17. http://www.rollingstone.com/music/news/fired-van-halen-bassist-i-found-out-on-the-internet-20070904
  18. «Eddie Van Halen Taps Teenage Son As New Bassist» 
  19. «Exclusive: Van Halen Reuniting With Roth For Tour». Consultado em 14 de janeiro de 2008. 
  20. Reuters. «Van Halen e David Lee Roth se reúnem para turnê após 20 anos». Consultado em 10 de maio de 2008. 
  21. http://www.rollingstone.com/music/news/van-halen-reunion-tour-grosses-93-million-20080605
  22. http://www.metacritic.com/music/a-different-kind-of-truth/van-halen
  23. Up for Discussion (14 de setembro de 2009). «Adele's '21' Hits 20th Week at No. 1, Van Halen Debuts at No. 2». Billboard.com. Consultado em 3 de setembro de 2012. 
  24. «Van Halen Cancel Summer Tour Dates». Spinner. 18 de maio de 2012. Consultado em 3 de setembro de 2012. 
  25. Knopper, Steve. «Van Halen Postpone Summer Tour Dates». rollingstone.com. Consultado em 17 de maio de 2012. 
  26. «'No further surgeries are needed': New health scare for Eddie Van Halen, but it's not cancer». somethingelsereviews.com. 30 de agosto de 2012 
  27. musica.uol.com.br/ Após 40 anos, Van Halen lançará o 1º disco ao vivo com David Lee Roth
  28. geekmusical.com.br/ Em defesa de David Lee Roth, contra os Redheads.
  29. a b c d e whiplash.net/ Van Halen x David Lee Roth: troca de farpas nos anos oitenta
  30. geekmusical.com.br/
  31. vandohalen.com.br/ “Só vendeu metade da minha era”, diz David Lee Roth sobre o Van Hagar
  32. soundzonemagazine.com/ Sammy Hagar ou David Lee Roth? Joe Satriani escolhe o melhor
  33. vanhalenfaclube.com.br/ Eddie Trunk compara Dave x Sammy no Van Halen

Ligações externas[editar | editar código-fonte]