Van Halen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Van Allen.
Van Halen
Van Halen se apresentando, em 2007, no Canadá
Informação geral
Origem Pasadena, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Hard rock, heavy metal, glam metal
Período em atividade 1974 - atualmente[1]
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Interscope Records
Página oficial www.van-halen.com
Integrantes Eddie Van Halen
Alex Van Halen
David Lee Roth
Wolfgang Van Halen
Ex-integrantes Sammy Hagar
Gary Cherone
Michael Anthony

Van Halen é uma banda de hard rock norte-americana formada em 1974.[1] Foi fundada pelos irmãos Eddie Van Halen e Alex Van Halen, que mais tarde juntou o cantor David Lee Roth e o baixista Michael Anthony. Van Halen rapidamente chegou à fama com seu primeiro álbum de mesmo nome em 1978, e é amplamente considerada como um marco nas vendas de rock nos EUA, ocupando a 19ª posição na lista dos maiores vendedores de discos nos Estados Unidos, com 56 milhões e meio de vendas.[2] É a banda de heavy rock detentora de mais singles a chegarem ao topo do Hot Mainstream Rock Tracks, sendo 13 no total. É também uma das cinco bandas de rock a ter dois de seus discos certificados com o Disco de Diamante nos Estados Unidos (Van Halen e 1984, respectivamente). Até o momento, vendeu mais de 90 milhões de cópias de discos mundialmente.[3]

Além de ser reconhecida pelo sucesso, a banda é conhecida pelo drama que cerca a saída de antigos membros. As saídas múltiplas dos vocalistas David Lee Roth, Sammy Hagar e Gary Cherone foram cercadas de controvérsia e cobertura da imprensa, incluindo numerosas declarações conflitantes entre os cantores e a banda. Depois da turnê de 2004 com Hagar, a banda entrou em um hiato do público até Setembro de 2007, quando o baixista Wolfgang Van Halen (filho de Eddie) foi confirmado e rumores de que Roth voltaria a banda, ambos os eventos coincidindo com a indução ao Rock and Roll Hall of Fame em 12 de março de 2007. Após anos de especulações, Van Halen voltou a uma turnê com Roth na América do Norte em 2007 e em 2008.

Em 2012, a banda iniciou nova turnê e lançou seu primeiro disco em 14 anos, (e primeiro com o vocalista Lee Roth desde 1984) A Different Kind of Truth.[4] [5] O canal VH1 colocou-os no 7º lugar em sua lista dos 100 maiores artistas de hard rock de todos os tempos.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Nascidos em Nijmegen, Holanda, Eddie Van Halen e Alex Van Halen são os filhos do músico Jan van Halen, que fez com que eles tivessem aulas de música. Os irmãos Van Halen começaram a tocar juntos na década de 1960, quando Eddie tocava piano clássico e, posteriormente, bateria, e Alex tocava violão. Enquanto Eddie entregava jornais, Alex tocava a bateria de Eddie às escondidas. Posteriormente, Eddie descobriu que Alex estava tocando seu instrumento e ficou tão frustrado que disse a Alex, "OK, eu vou tocar sua guitarra".[6]

As origens remotas da banda em 1972, quando os irmãos Van Halen formaram uma banda com o baixista Mark Stone que teve diversos nomes como The Trojan Rubber Company, The Broken Combs, Rat Salad, e eventualmente, Genesis. Eddie também fazia os vocais na banda.

Em 1976, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons, líder da banda Kiss os descobriu e decidiu fazer uma demo com a banda. A demo, que continha a primeira versão de Runnin' with the Devil (cantada por Eddie Van Halen, que na época era o vocalista), não deu muito certo, e acabou não sendo aceita por nenhuma gravadora.

Em 1977, antes mesmo de o grupo lançar seu disco de estreia, a banda estava a procura de um vocalista. David Lee Roth foi um dos que enviaram uma demo, mas o produtor Ted Templeman não gostou muito. Segundo relatos de Greg Renoff, autor do livro "Van Halen Rising", que conta a história do grupo, dos que participaram dos testes, Sammy Hagar foi o que mais impressionou, e chegou a ser cogitado para o vocal da banda.[7]

Como David Lee Roth era um "amigo" dos irmãos Van Halen, e por eles eventualmente alugarem um sistema de som com o David, para economizar dinheiro, eles decidiram colocar o David como vocalista.[8] Em 1974 a banda decidiu substituir Stone por Michael Anthony, o baixista e vocalista da banda local "Snake". Após uma jam session que durou toda a noite, ele foi contratado para baixo e backing vocals.[8]

Neste período, descobriram que havia outra banda chamada Genesis, o que os obrigou a mudar rapidamente para Mammoth. Eventualmente acabaram optando pelo sobrenome dos irmãos, Van Halen, que Roth acreditava ter a mesma potência de Santana.[9] Sendo assim, a banda Van Halen ficou constituída por David Lee Roth (vocal), Edward Lodewijk Van Halen (guitarra e teclado), Alex Arthur Van Halen (bateria) e Michael Anthony (baixo). A banda começou tocando somente covers e em pouco tempo tornou-se muito conhecida em todos os bares de Los Angeles.

Era David Lee Roth (1974-1985)[editar | editar código-fonte]

Em 1976, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons (baixista/vocalista do Kiss) os descobriu e decidiu fazer uma demo com a banda (cujo equipamento era todo emprestado). Esta demo, que continha a primeira versão de "Runnin' With The Devil", não deu muito certo e não foi aceita pelas gravadoras.[10] No ano seguinte, em 1977, o produtor Ted Templeman, da Warner Bros. Records, conheceu a banda no mesmo bar em que Gene os encontrou e os contratou.[11] Em 1978 foi lançado o primeiro álbum, também chamado Van Halen. O disco foi muito aclamado, especialmente o solo de guitarra "Eruption".

Nos cinco anos decorrentes, a banda lançou mais 5 álbuns, mantendo sua formação original. Em Janeiro de 1983 a banda se apresentou no Brasil (e também na Argentina, Uruguai e Venezuela). A banda não voltou à América do Sul desde então.

Em 1983, Eddie Van Halen construiu seu estúdio caseiro, 5150 Studios - o nome faz referência ao código policial de prisão por insanidade - e participou como convidado da canção "Beat It" ,de Michael Jackson, o que não teria agradado muito o vocalista David Lee Roth. No entanto a canção tornou-se um marco na história da música, onde as barreiras entre a música negra e branca começaram finalmente a ser quebradas. O solo é provavelmente o mais conhecido da década de 80. Michael e Eddie apresentaram a canção ao vivo na turnê dos Jacksons de 1984.

Em sua autobiografia (Crazy From The Heat), Roth conta que ele aprovou sim a participação de Eddie em "Beat It", pois ele acreditava que a faixa seria um excelente veículo para Eddie mostrar os seus talentos. Roth afirma ainda que o seu problema com a participação de Eddie na música era que Eddie não quis receber pelo trabalho, recebendo apenas uma nota de agradecimento.[12]

Em 1984, a banda lançou seu álbum mais bem-sucedido,1984, que chegou ao segundo lugar da Billboard 200, a parada de discos norte-americana - atrás do disco que continha "Beat It", Thriller. 1984 também continha o single mais vendido da banda, "Jump", que ficou em primeiro lugar nos Estados Unidos, segundo na Austrália, e sétimo no Reino Unido.

A formação original durou até 1985, quando, por motivos de desentendimento com Edward Van Halen, David Lee Roth decidiu partir para a carreira solo.

Segundo Gene Simmons, vocalista e líder da banda Kiss, em 1982 (três anos antes de David sair da banda), Eddie o procurou para saber da possibilidade de participar do Kiss. Conforme relatos de Simmons, Eddie lhe contou que “estava tão infeliz com a forma como ele e Roth estavam – ou não estavam – se entendendo. Eles não se suportavam. E o uso de drogas era excessivo”.[13]

Era "Van Hagar" (1985-1996)[editar | editar código-fonte]

Em meados de 1985, enquanto Eddie buscava um novo cantor, seu mecânico passou-lhe o contato de outro de seus clientes, Sammy Hagar, que nos anos 70 liderara a banda Montrose e estava tendo bem-sucedida carreira solo.[14] Iniciava-se, assim, a Era Sammy Hagar, que ficou conhecida carinhosamente pelos fãs como Van Hagar.

Logo no primeiro encontro no estúdio foi composta "Summer Nights"'. Em 1986 lançaram o disco 5150, que se tornou o primeiro álbum de banda a se tornar o número #1 das paradas norte-americanas, e teve singles bem sucedidos como "Dreams" e "Why Can't This Be Love?", que atingiu a 3ª posição na Billboard Hot 100.

Foram lançados mais 4 discos, todos atingindo as primeiras posições nas paradas norte-americanas. Em 1996, em meio a turbulentas gravações de "Humans Being", para o filme Twister, e Hagar não concordar com a banda fazer uma coletânea, o cantor acabou saindo do Van Halen.

Curta reunião com Roth (1996)[editar | editar código-fonte]

Enquanto a banda planejava uma coletânea, David Lee Roth ligou para Eddie perguntando as canções que seriam incluídas. A discussão amigável levou a um convite para Roth visitar o estúdio caseiro de Eddie. Eventualmente a banda gravou duas músicas, "Can't Get This Stuff No More" e "Me Wise Magic", que atingiram a décima segunda e primeira colocações no Hot Mainstream Rock Tracks, respectivamente, e que seriam incluídas na coletânea Best of Volume I (1996). Apesar de rumores sobre uma reunião, a volta de Roth se resumiu às duas canções, já que Roth e Eddie tiveram uma altercação verbal. Dias depois das gravações destas canções, a banda fez uma aparição no MTV Video Music Awards, e David Lee Roth foi preterido novamente (Gary Cherone foi o vocalista na apresentação).[15] [16]

Era Gary Cherone (1996-1998)[editar | editar código-fonte]

Ray Danniels, empresário da banda, sugeriu o aclamado Gary Cherone, ex-Extreme, para a vaga de vocalista. Foi marcado um encontro no qual a banda o aceitou de imediato. No início de 1998, foi lançado o álbum Van Halen III que foi um fracasso comercial, sendo o primeiro (e por enquanto único) álbum da banda a não superar o milhão de cópias na América do Norte. Apesar do baixo índice de vendas o álbum atingiu a quarta colocação na Billboard 200 e teve um single, "Without You", a atingir o topo do Mainstresm Rock. Eddie chegou a tocar bateria e baixo em algumas músicas quando achou necessário e até mesmo a cantar em uma delas. Cherone não ficou muito tempo no novo emprego, deixando a banda logo após a turnê de divulgação do disco.

Eddie passa então por um momento turbulento, separa-se após anos de casamento e recebe o diagnóstico de câncer na língua. O grupo entra em um hiato e Michael Anthony acompanha Sammy Hagar em sua turnê solo.

Reuniões (2001-2006)[editar | editar código-fonte]

Michael Anthony, Sammy Hagar e Eddie Van Halen na turnê de 2005.

Em 26 de abril de 2001, Eddie anunciou no site oficial da banda que havia sido examinado por três oncologistas e três neurocirurgiões, que afirmaram que ele estava "mais saudável do que nunca e vencendo o câncer".

Em 2004, Sammy Hagar volta à banda e grava três faixas novas na coletânea The Best of Both Worlds. A banda se reúne para uma turnê pelos Estados Unidos, embora Michael Anthony só tenha se juntado pela insistência de Hagar. Após a turnê, todos voltam para seus próprios caminhos.[17]

Em 2006, a banda revelou que voltaria a tocar com o filho de Eddie, Wolfgang, no baixo.[18] Eventualmente se confirmou o retorno de Roth.[19]

Retorno de David Lee Roth (2007-presente)[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2007 a banda Van Halen convoca uma coletiva e anuncia uma turnê norte-americana, agora com a formação: David Lee Roth, Eddie Van Halen, Alex Van Halen e Wolfgang Van Halen, filho de Eddie que entrou no lugar de Michael Anthony para tocar baixo.[20] A turnê durou 74 shows de setembro de 2007 a março de 2008, e se tornou a mais lucrativa da banda com faturamento de US$93 milhões.[21]

Em 2010, o Van Halen foi ao estúdio de gravação para produzir um novo disco com o produtor John Shanks. Seu site oficial foi atualizado em 26 de dezembro de 2011, anunciando que os ingressos para sua turnê de 2012 estariam disponíveis a partir 10 de janeiro de 2012.

Em janeiro de 2012, após 14 anos sem lançar um álbum, a banda anuncia oficialmente o lançamento de A Different Kind of Truth, o primeiro com Roth desde 1984, e o primeiro com a gravadora Interscope Records. O anúncio do álbum foi feito em um show intimista no Cafe Wha, em Nova York. O vídeo clipe do primeiro single do novo álbum, "Tattoo", foi lançado ainda naquele mês e a canção foi vendida pelo i-Tunes. Foi ainda anunciada uma turnê norte-americana, englobando várias cidades dos Estados Unidos e do Canadá, e algumas datas no Japão.

O álbum recebeu boas críticas,[22] e chegou em segundo na Billboard 200, atrás apenas de 21, de Adele.[23]

A turnê esgotou a maioria de seus shows,[24] e rolou normalmente até maio, quando foi anunciado que os shows seriam adiados.[25] Eventualmente se revelou que a causa da pausa foi que Eddie faria operações para tratar uma diverticulite, e a banda só voltaria aos palcos em 2013.[26]

Em 31 de março de 2015, lançaram Tokyo Dome Live in Concert, primeiro disco ao vivo com Roth e o segundo da carreira da banda. O álbum foi gravado no dia 21 de junho de 2013 em um show no Japão, e foi disponibilizado em um CD duplo, uma edição de 4 LPs de 180 g, além de formato digital.[27]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

David Lee Roth x Van Halen[editar | editar código-fonte]

A conturbada (e até hoje mal explicada) saída de David Lee Roth da banda fez crescer uma rivalidade e as provocações de ambos os lados foram tão intensas que até hoje correm histórias a respeito das alfinetadas indiretas através dos álbuns lançados pelos mesmos. A “guerra” é pública, notória e irremediável — e o assunto domina 90% dos fóruns e sites relativos ao Van Halen na internet.[28]

O primeiro disco do Van Halen sem David saiu em março de 1986 e levou o nome de "5150". A explicação da banda é que 5150 seria o nome do estúdio do Eddie Van Halen. Porém, dizem as más línguas que 5150 é o código da polícia americana para situações onde existe um louco a solta. Além disso, a própria arte do álbum (capa e contra-capa) traz uma mensagem subliminar que induz a entender que o homem que ali aparece, não conseguindo segurar o logotipo da banda, seria o David.[29]

Em julho de 1986, David lança o primeiro álbum com o seu supergrupo (The David Lee Roth Band), que fora montado para concorrer com o Van Halen, com o curioso nome de Eat 'Em and Smile (em português, Coma-os e sorria).[29]

Ambas as bandas entraram em turnê e disputavam a preferência do público e o espaço na mídia.[29]

Em 1987, The David Lee Roth Band lança o seu segundo álbum, intitulado "Skyscraper" (em português, arranha-céu). Segundo os fãs do David, o nome seria novamente uma provocação, dizendo que ele e sua banda estariam no Topo.

Não obstante, em 1988, David Lee Roth receberia a resposta pelo seu "coma-os e sorria". Em outubro, o Van Halen lançou um novo álbum com o curioso título "OU812". Reza a lenda que o código seria um trocadilho e trazia a mensagem subliminar "Oh you ate one too" (em português, Oh você comeu um também).[29]

Uma possível resposta de David viria em abril de 1991 com "A Little Ain't Enough" (um pouco não é suficiente), e meses depois o Van Halen lançaria "F.U.C.K", que em inglês é um palavrão.[29]

Era David Lee Roth x Era Van Hagar[editar | editar código-fonte]

A guerra declarada entre David Lee Roth e Sammy Hagar criou uma rivalidade pouco saudável entre a legião de fãs de ambos, que ficou rachada entre “Redheads” (defensores do Hagar) e “Roth Army” (defensores do Roth).[30]

Apesar de os álbuns do Van Halen com Sammy Hagar terem sido os únicos da banda a alcançar o número 1 nas paradas americanas, as vendas, em comparação com os da Era David Lee Roth, ficam cerca de dez milhões de cópias abaixo, de acordo com os órgãos oficiais.[31]

O guitarrista Joe Satriani, defende ambos, dizendo que cada um alcançou o sucesso em suas respectivas eras. Ele os define como David Lee Roth “mais vaudeville” e Sammy Hagar “mais rock n roll”.[32]

Eddie Trunk, historiador musical e grande personalidade do rádio nos EUA, em seu livro "Eddie Trunk's Essential Hard Rock and Heavy Metal", faz uma comparação entre as duas fases da banda:

Cquote1.svg "David Lee Roth era um grande Frontman com certeza, porém ninguém certamente o chamaria de um grande cantor ao vivo. Sammy, por outro lado, era um poderoso vocalista, abrindo as possibilidades musicais do Van Halen, deixando Eddie apto a entrar em caminhos musicais que não poderia com as limitações vocais de Roth."[33] Cquote2.svg

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de membros de Van Halen

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Van Halen

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Van Halen - Biography, Stephen Thomas Erlewine, allmusic.
  2. RIAA. «RIAA - Gold & Platinum - Februrary 20, 2011» (em inglês). Consultado em 20/02/2011. 
  3. «Van Halen at In Demand Talent». In Demand Talent (em inglês). Consultado em 02/03/2011. 
  4. Van Halen anuncia novo álbum e turnê com Dave Lee Roth, Folha Uol, 26/12/2011.
  5. DAVID LEE ROTH CONFIRMS NEW VAN HALEN ALBUM TITLE + NEW YORK DATES, Matthew Wilkening, ultimateclassicrock, 5 de janeiro de 2012. Acesso em 5 de janeiro de 2012.
  6. Everybody Wants Some: The Van Halen Saga by Ian Christie, ISBN 9780470039106
  7. guitarplayer.uol.com.br/ Van Halen: Sammy Hagar poderia ter sido o primeiro vocalista da banda
  8. a b «Eddie van Halen». Consultado em August 13, 2007. 
  9. Lee Roth, David. Crazy from the Heat (1997)
  10. Van Halen: The Early Years
  11. Obrecht, Jas. «A Legend is Born Eddie Van Halen's First Interview» Musician's Friend [S.l.] Consultado em November 23, 2008. 
  12. vanhalenfaclube.com.br/ Biografia: David Lee Roth
  13. rollingstone.uol.com.br/ Gene Simmons teve que convencer Eddie Van Halen a não entrar para o Kiss
  14. Dodds, Kevin (2011). Edward Van Halen: A Definitive Biography iUniverse [S.l.] p. 120. ISBN 1462054803. 
  15. rockmasters.com.br/ Em 1996, David Lee Roth era demitido pela segunda vez do Van Halen
  16. Dodds (2011), pp. 204-215
  17. http://www.rollingstone.com/music/news/fired-van-halen-bassist-i-found-out-on-the-internet-20070904
  18. «Eddie Van Halen Taps Teenage Son As New Bassist». 
  19. «Exclusive: Van Halen Reuniting With Roth For Tour». Consultado em 1-14 2008. 
  20. Reuters. «Van Halen e David Lee Roth se reúnem para turnê após 20 anos». Consultado em 10/05/2008. 
  21. http://www.rollingstone.com/music/news/van-halen-reunion-tour-grosses-93-million-20080605
  22. http://www.metacritic.com/music/a-different-kind-of-truth/van-halen
  23. Up for Discussion (2009-09-14). «Adele's '21' Hits 20th Week at No. 1, Van Halen Debuts at No. 2». Billboard.com. Consultado em 2012-09-03. 
  24. «Van Halen Cancel Summer Tour Dates». Spinner. 2012-05-18. Consultado em 2012-09-03. 
  25. Knopper, Steve. «Van Halen Postpone Summer Tour Dates». rollingstone.com. Consultado em 17 May 2012. 
  26. «‘No further surgeries are needed’: New health scare for Eddie Van Halen, but it’s not cancer». somethingelsereviews.com. 30 August 2012. 
  27. musica.uol.com.br/ Após 40 anos, Van Halen lançará o 1º disco ao vivo com David Lee Roth
  28. geekmusical.com.br/ Em defesa de David Lee Roth, contra os Redheads.
  29. a b c d e whiplash.net/ Van Halen x David Lee Roth: troca de farpas nos anos oitenta
  30. geekmusical.com.br/
  31. vandohalen.com.br/ “Só vendeu metade da minha era”, diz David Lee Roth sobre o Van Hagar
  32. soundzonemagazine.com/ Sammy Hagar ou David Lee Roth? Joe Satriani escolhe o melhor
  33. vanhalenfaclube.com.br/ Eddie Trunk compara Dave x Sammy no Van Halen

Ligações externas[editar | editar código-fonte]