Vasco Azevedo Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Vasco Azevedo Neto
Deputado federal pela Bahia
Período 1 de fevereiro de 1971 a agosto de 1979, setembro de 1979 a março de 1982,
outubro de 1982 a 31 de janeiro de 1983, janeiro de 1986 a 31 de janeiro de 1987
e setembro e novembro de 1989
Dados pessoais
Nome completo Vasco Azevedo Neto
Nascimento 25 de fevereiro de 1916
Guaxupé, MG
Morte 30 de setembro de 2010 (94 anos)
Salvador, BA
Progenitores Mãe: Josefina Costa Azevedo
Pai: Vasco Azevedo Filho
Alma mater Escola Politécnica da Universidade da Bahia
Cônjuge Carmem Regina de Araújo Figueiredo de Azevedo
Partido ARENA, PDS, PFL, PSC, PSN
Profissão Político, engenheiro civil e professor catedrático

Vasco Azevedo Neto (Guaxupé, 25 de fevereiro de 1916Salvador, 30 de setembro de 2010) foi um engenheiro, professor catedrático e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do ex-deputado federal Vasco Azevedo Filho e de Josefina Costa Azevedo, formou-se em engenharia pela Escola Politécnica da Universidade da Bahia em 1939. Entre 1941 e 1942, trabalhou como engenheiro de projetos no DNER, além de integrar o Conselho Rodoviário do Estado da Bahia, onde permaneceu por 14 anos.

Professor emérito da Escola Politécnica da UFBA, elegeu-se deputado federal em novembro de 1970, pela ARENA. Reelegeu-se em 1974, apoiou a candidatura do general Sylvio Frota na eleição presidencial de 1978, que no entanto, não saiu do papel. Na eleição estadual do mesmo ano, ficou apenas como suplente, mas o titular João Durval Carneiro se afastou e ele assumiu a vaga em setembro de 1979. 2 meses depois, o bipartidarismo seria eliminado e Vasco Neto filiou-se ao PDS. Com a volta de João Durval, voltou para a suplência, mas o falecimento do também pedessista Henrique Brito num acidente aéreo, reassumiu o mandato em outubro de 1982. 1 mês antes, Vasco Neto não conseguiu se reeleger, ficando outra vez como suplente.

Voltou à Câmara dos Deputados em outras 2 oportunidades: entre janeiro e novembro de 1986, e por 2 meses em 1989. Neste ano, chegou a se candidatar à presidência do Brasil pelo PSC, inclusive com presença de líderes políticos da América Latina, como Vinicio Cerezo (presidente da Guatemala) e Patricio Aylwin (presidente do Chile), na solenidade de apresentação da candidatura. Porém, Vitor Nósseis, então presidente do PSC, negociou o apoio da legenda a Fernando Collor de Mello, tornando a participação de Vasco Neto na disputa presidencial inviável.

Na eleição presidencial de 1998, foi candidato a presidente da república pelo antigo PSN (Partido da Solidariedade Nacional), atual PHS. Aos 82 anos de idade, foi o mais velho a disputar o cargo. Ficou em último lugar, com 109.003 votos. Logo após o pleito, encerrou sua carreira política.

Vasco de Azevedo Neto morreu em Salvador, aos 94 anos, após uma parada cardiorrespiratória.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]