Vasco Costa Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Vasco Costa Marques (Lisboa, 28 de Agosto de 1928 - São João do Peso, 18 de Julho de 2006) foi um poeta português. Colaborou nas revistas “Vértice” e “Seara Nova”.

Foi militante comunista, tendo, a partir dos meados dos anos 80, começado a afastar-se progressivamente do partido e da actividade política em geral. Esteve preso e escreveu o hino “Caxias” (letra e música), canção de resistência dirigida aos presos políticos.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • 1950 – “Trânsito Proibido”, Edição do Autor;
  • 1956 – “Poesia dos Dias Úteis”, Colecção Cancioneiro Geral, Publicações Europa-América;
  • 1961 – “O Mundo Possível”, Colecção âmbito (Edição colectiva), Distribuição Livros Horizonte;
  • 1970 – “Um Beco no Espaço”, Colecção Poesia e Ensaio, Ulisseia;
  • 2002 (?) – “Venham de Lá Esses Ossos”, Edição do Autor;
  • 2003 – “Algumas Trovas de Haver o Mar e um Post Scriptum”, Campo da Poesia, Campo Das letras Editores.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]