Venda Nova (Amadora)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para Vendas Novas no plural, veja Vendas Novas.
Portugal Venda Nova 
  Freguesia portuguesa extinta  
Símbolos
Bandeira de Venda Nova
Bandeira
Brasão de armas de Venda Nova
Brasão de armas
Localização
Localização no município da Amadora
Localização no município da Amadora
Venda Nova está localizado em: Portugal Continental
Venda Nova
Localização de Venda Nova em
Mapa de Venda Nova
Coordenadas 38° 45' 27" N 9° 12' 25" O
município primitivo Amadora
município (s) atual (is) Amadora
Freguesia (s) atual (is) Falagueira-Venda Nova
História
Extinção 2013
Fundador João Grilo
Características geográficas
Área total 1,26 km²
População total (2011) 8 359 hab.
Densidade 6 634,1 hab./km²
Outras informações
Orago Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Venda Nova foi uma freguesia portuguesa do município da Amadora, com 1,18 km² de área e 8 359 habitantes (2011). Densidade: 7 083,9 hab/km².

O território da Venda Nova pertenceu à freguesia de Benfica até esta ser amputada, em 1886, da parte exterior à nova Estrada da Circunvalação de Lisboa. A estrada passou a constituir o limite fiscal da capital, consubstanciado com a construção das Portas de Benfica, posto onde a guarda fiscal cobrava taxas pela entrada em Lisboa de mercadorias provenientes dos concelhos limítrofes.

A freguesia da Venda Nova foi criada em 12 de julho de 1997, por desanexação da então freguesia da Falagueira-Venda Nova, a qual foi renomeada na mesma altura para Falagueira.

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Falagueira, para recriar a freguesia denominada Falagueira-Venda Nova.[1]

Tem por orago Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Venda Nova [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
11 334 8 359

Criada pela Lei 37/97 [3], de 12 de Julho, com lugares desanexados da freguesia da Falagueira

História[editar | editar código-fonte]

Desde os anos 1930 a área da Venda Nova era a mais fortemente industrializada do concelho da Amadora, que se constituía ao longo da linha de comboio Lisboa-Sintra. Localizavam-se ali indústrias como a Electroarco, J.B.Corsino, Bertrand, Sigma, Le Petite, Laboratórios Andrade, Nobre e Silva, Titan, Marcel Bon, Móveis Sousa Braga, etc.

A união das empresas CEL–CAT, a Sorefame e a Electroarco deu origem ao Parque Industrial da Venda Nova.

A zona tornou-se uma área de dormitórios, com uma construção de casas sem qualidade, rápida e de rendas baratas, associadas ao construtor J. Pimenta[4].

Referências

  1. Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território Pronúncia da Assembleia Municipal da Amadora sobre a Reorganização Administrativa do Território. Acedido a 1 de julho de 2013.
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  3. Diário da República - https://dre.tretas.org/dre/83630/
  4. MIRANDA, Maria Madalena Túbal - Diário de turma [Em linha]. Lisboa: ISCTE, 2009. Tese de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/1690>.
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.