Verônica Sabino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Verônica Sabino
Informação geral
Nome completo Verônica Estill Sabino
Nascimento 04 de outubro de 1960 (61 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro
Gênero(s) MPB
Período em atividade 1984 - atualmente
Gravadora(s) Som Livre, Sony BMG Music, Warner, MP,B/Som Livre

Verônica Estill Sabino (Rio de Janeiro, 04 de outubro de 1960) é uma cantora e compositora brasileira.[1]. É filha de Fernando Sabino, escritor e jornalista brasileiro, mineiro radicado no Rio de Janeiro.

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira musical como integrante do grupo vocal Céu da Boca, onde gravou os discos "Céu da boca" (1981) e "Baratotal" (1982) e realizou shows por todo o Brasil.

Com direção artística de Roberto Menescal, grava  seu primeiro disco “Metamorphose”, com composições de João Bosco, Tom Jobim, Ivan Lins, entre outros.

O primeiro sucesso em 1986 com a canção "Demais" (versão feita por Zé Rodrix e Miguel Paiva de "Yes It Is" de Lennon/McCartney), um dos maiores sucessos daquele ano, trilha sonora da novela Selva de Pedra (TV Globo) Mais tarde, voltou às paradas de sucesso com a canção "Todo Sentimento" (de Chico Buarque e Cristóvão Bastos, gravada em 1988 para a novela Vale Tudo), assim como com o dueto com Emílio Santiago na canção "Tudo o Que Se Quer" (Versão de Nelson Motta para "All I Ask Of You", gravada em 1989 para a novela Tieta).

Lança os álbuns Verônica (1993), Vênus (1995) - que tem “Lua Branca” de Chiquinha Gonzaga incluída na trilha da novela “O Cravo e a Rosa” (TV Globo) - Novo Sentido (1997) , Passado a Limpo - uma espécie de biografia musical que tem sua versão de Lágrimas e Chuva incluida no seriado "Mulheres" (TV Globo). Em 2002 lança Agora mostrando pela primeira vez canções de sua autoria.

Em 2009 grava seu primeiro DVD Que Nega é Essa, canção de BenJor que dá nome ao show. (MP,B/Som Livre)

Seu mais recente trabalho, o CD e DVD Esse Meu Olhar (MP,B/Som Livre), aponta o radar musical para a década de 60. O show gravado ao vivo teve direção de Stella Miranda, tendo Roberto Menescal e Milton Nascimento como convidados, fazendo uma ponte entre suas raízes mineiras e sua origem carioca, em releituras de grande sensibilidade e leveza.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

  • Esse Meu Olhar (2015) - CD/DVD
  • Que Nega É Essa (2009) - CD/DVD
  • Agora (2002) - CD
  • Passado a Limpo - [Uma Biografia Musical] (1999) CD
  • Novo Sentido (1997) - CD
  • Vênus (1995) - CD
  • Verônica (1993) - CD
  • Como eu sei (1987) - LP
  • Demais (Yes, it is) (1986) - MIX
  • Metamorfose (1985) - LP

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • Romântico — Série Academia Brasileira de Música, Volume 2 (1991)

Referências

  1. «Verônica Sabino». Instituto Cultural Cravo Albin. Consultado em 22 de junho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.