Vera Lúcia Salgado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vera Lúcia
Dados pessoais
Nome completo Vera Lúcia Pereira da Silva Salgado
Nascimento 12 de setembro de 1967 (51 anos)
Inajá, Pernambuco
Nacionalidade brasileira
Alma mater Universidade Federal de Sergipe
Partido PSTU

Vera Lúcia Pereira da Silva Salgado (Inajá, 12 de setembro de 1967) é uma política brasileira, filiada ao Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU).[1] Foi candidata à presidência da República na eleição presidencial de 2018,[2] obtendo 55.762 votos, ou 0,05% dos votos válidos.[3] Foi também uma das fundadoras do PSTU,[4] e é a presidente do partido em Sergipe.[5]

Foi candidata do PSTU à prefeitura de Aracaju nas últimas quatro eleições, tendo o melhor resultado em 2012, com 20.241 votos, ou 6,6% dos votos válidos. Em 2006 e 2014, tentou uma vaga na Câmara Federal, e em 2010 saiu para governadora de Sergipe, também sem sucesso.[6]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em uma família pobre em Pernambuco,[7] graduou-se em ciências sociais pela Universidade Federal de Sergipe. Inicialmente filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT), deixou o partido em 1992,[1][7][8][nota 1] quando membros do partido foram expulsos por defender o impeachment de Fernando Collor, e filiou-se ao PSTU.[1] Vera se filiou ao novo partido em 1994.[9]

Quando completou 19 anos de idade, passou a trabalhar em uma indústria de calçados, período em que virou militante do movimento sindicalista. Foi candidata a deputada federal nas eleições de 2006 e também a prefeita de Aracaju por três vezes: em 2004, 2008 e 2012, sem nunca ter vencido uma eleição.[8] Ao longo da vida, trabalhou como garçonete, faxineira e até datilógrafa.[7]

Teve grande participação em sindicatos e chegou à diretoria da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Federação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Têxtil.[4]

Atualmente, faz críticas severas ao PT. Para Vera e o PSTU, o foco da esquerda não deveria ser a campanha pró-libertação de Lula, e sim "os mais de 20 milhões de desempregados, os 16 milhões que passam fome, os mais de 6 milhões que não têm uma casa para morar".[7]

Em 20 de julho de 2018, na convenção do partido, foi escolhida como candidata a presidente na eleição presidencial de 2018. O professor Hertz Dias, filiado ao mesmo partido, foi anunciado como vice.[10]

Campanha presidencial[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. O jornal Nexo aponta como 1993 o ano que Vera Lúcia saiu do Partido dos Trabalhadores (PT), enquanto Gazeta do Povo e BBC apontam como 1992.

Referências

  1. a b c «Vera 16 (PSTU)». Gazeta do Povo. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  2. «Acompanhe ao vivo entrevista da candidata Vera Lúcia à EBC». Agencia Brasil. EBC. 12 de setembro de 2018. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  3. «Resultado da eleição para Presidente no Brasil no 1º turno». especiais.gazetadopovo.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2018. 
  4. a b https://www.eleicoes2014.com.br/vera-lucia/
  5. «Propostas dos presidenciáveis». Valor. Consultado em 16 de setembro de 2018. 
  6. «Vera Lúcia: a líder sindical negra que prega a revolução socialista». www.vice.com. Consultado em 11 de outubro de 2018. 
  7. a b c d André Shalders (22 de maio de 2018). «'Lula está colhendo o que plantou', diz presidenciável do PSTU sobre prisão de petista». BBC. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  8. a b Ricardo Chapola. «A trajetória de Vera Lúcia, candidata do PSTU à Presidência». Nexo. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  9. «Vera Lúcia: a líder sindical negra que prega a revolução socialista». www.vice.com. Consultado em 11 de outubro de 2018. 
  10. «PSTU oficializa Vera Lúcia para disputa da Presidência da República». G1. Globo.com. 20 de julho de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.