Veronica Stigger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Veronica Stigger
Foto: Agência Brasil
Nascimento 1973 (46 anos)
Porto Alegre,  Brasil
Residência São Paulo
Prémios Prêmio Literário da Fundação Biblioteca Nacional (2013)

Prémio São Paulo de Literatura (2014)
Prêmio Açorianos de narrativa longa (2014)

Género literário Literatura experimental
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus Opsianie Swiata

Veronica Stigger (Porto Alegre, 1973) é uma escritora, jornalista, professora e crítica de arte brasileira.[1] Formou-se em Jornalismo, mas deixou as redações para dedicar-se à pesquisa universitária. É doutora em teoria e crítica da arte pela Universidade de São Paulo, com estudo sobre as relações entre arte, mito e rito na modernidade.

Panorama[editar | editar código-fonte]

Desde 2001 vive em São Paulo com o poeta, ensaísta e crítico Eduardo Sterzi. O trágico e outras comédias, seu livro de estréia, foi publicado primeiramente em Portugal, em 2003, pela editora Angelus Novus. Em abril de 2004 foi lançado em versão brasileira pela 7Letras. Em 2007, participou da V Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), ao lado de Cecília Giannetti e Fabrício Corsaletti, entre outros. Em novembro de 2010, montou a exposição, com cartazes afixados nos tapumes da obra do SESC 24 de Maio de São Paulo.[2]

Depois de três livros de contos, lançou em 2013 seu primeiro romance, Opisanie swiata ("Descrição do mundo', em polonês), que ganhou o Prêmio Machado de Assis (melhor romance) da Biblioteca Nacional de 2013, o Prêmio São Paulo de 2014, na categoria "melhor estreante acima de 40 anos", e o Prêmio Açorianos de narrativa longa, também em 2014[3][4][5]

Como curadora de artes plásticas, organizou em 2013, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), a exposição Maria Martins: Metamorfoses, que ganhou o Grande Prêmio da Crítica da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).[6] Em 2015, organizou, com Eduardo Sterzi, a exposição de fotografias do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro Variações do corpo selvagem, em São Paulo, no SESC Ipiranga.[7]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O trágico e outras comédias - Angelus Novus, 2003; 7Letras, 2004
  • Gran cabaret demenzial - Cosac Naify, 2007
  • Os anões - Cosac Naify, 2010
  • Opisanie swiata - Cosac Naify, 2013
  • Sul - Editora 34, 2016.
  • Sombrio ermo turvo - Todavia, 2019

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Domitila, conto do livro Gran Cabaret Demenzial
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.