Victory Through Air Power

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Victory Through Air Power
A Vitória pela Força Aérea[1] (BRA)
 Estados Unidos
1943 •  cor •  65 min 
Direção Perce Pearce
Sequências animadas:
James Algar
Clyde Geronimi
Jack Kinney
Produção Walt Disney
Roteiro Direção da história:
Perce Pearce
Adaptação da história:

T. Hee
Erdman Penner
William Cottrell
James Brodero
George Stallings
Jose Rodriguez

Baseado em Victory Through Air Power, de Maj. Alexander P. Seversky
Elenco Alexander de Seversky
Gênero live-action e animação
Música Edward H. Plumb
Paul J. Smith
Oliver Wallace
Cinematografia Ray Rennahan
Edição Jack Dennis
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Productions
Distribuição United Artists
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Victory Through Air Power é um filme que mistura live-action e animação, baseado no livro Victory Through Air Power de Alexander P. de Seversky, de 1942, que pediu para o governo americano mais recursos na aviação para a guerra. Edward H. Plumb, Paul J. Smith e Oliver Wallace foram nomeados ao Oscar de melhor trilha sonora original. [2]

Produção[editar | editar código-fonte]

Walt Disney leu o livro de Seversky, e sentiu que sua mensagem era tão importante que ele, pessoalmente, financiou a produção de Vitória pela Força Aérea. O filme foi criado principalmente para expressar as teorias de Seversky para o governo e público. Richard Schickel, crítico de cinema, disse que a Disney "realizou o filme com pressa, dado a necessidade de lança-lo logo, deixando de lado suas ressalvas com a técnica limitada de animação." Não foi até 1945, que a Disney foi capaz de pagar seu déficit pelo filme de 1,2 milhões de dólares.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Em 11 de julho de 1943, o New York Times dedicou meia página para Victory Through Air Power, através de imagens das cenas do filme com legendas. Este foi possivelmente a primeira vez que tal uso de descrição visual tinha sido colocada a serviço de um argumento político: "Uma coisa é ouvir alguém dizer que é contra os bombardeiros modernos, ou "aviões de combate", neste caso, cheios de armamento ... lutadores monolugares vão acha-lo inútil, pois suas armas não são manobráveis, elas são fixas e só podem disparar para a frente. Outra coisa é ter esta acompanhada de animações vívidas de soldados com suásticas, disputando a posição e sendo derrubados por com animadas explosões de fogo a partir de um bombardeiro cuja armas são sempre em posição de tiro."

Schickel cita o crítico de cinema James Agee na esperança de que:

"Seversky e Walt Disney sabem o que estão falando, porque eu suspeito que uma enorme quantidade de pessoas que vêem Victory Through Air Power vão pensar que eles sabem ... Eu tinha a sensação de que eu estava sendo bombardeado com altas pressões, não empolgantes, e estou desconcertado com a facilidade com que essa auto-confiança, sobre assuntos de tal importância, pode ressoar em todo o país, sem questionamento."

Impacto[editar | editar código-fonte]

Em 8 de dezembro de 1941, os estúdios Disney foram essencialmente convertido em uma máquina de propaganda para o governo dos Estados Unidos. Enquanto a maioria dos filmes da Segunda Guerra Mundial foram criados para fins de treinamento, filmes como A Vitória Pela Força Aérea foram criados para chamar a atenção do governo e para construir a moral pública, entre os Estados Unidos e seus aliados. Entre os notáveis que depois de verem o filme da Disney, apoiam a teoria de Seversky é Winston Churchill e Franklin D. Roosevelt. [3] [4]

O estúdio da Disney enviou uma cópia para eles quando estes estiveram participando da Conferência em Quebec. De acordo com Leonard Maltin, "que mudou a maneira de Roosevelt de pensar, ele concordou que Seversky estava certo." Maltin também acrescenta que "foi só depois de Roosevelt viu Victory Through Air Power' que o nosso país assumiu o compromisso de longo de bombardeio ao longo alcance." [4] Roosevelt reconheceu que o filme era uma forma eficaz de ensinar e a Disney poderia ajudar Washington a fornecer informação de alta qualidade. O povo americano estavam se tornando unido e Disney foi capaz de informá-los sobre a situação, sem apresentar de maneira caótica a guerra, como desenhos animados costumam fazer. A animação era popular entre os soldados e foi mais querida que outros filmes documentários na época. [5]

O filme teve um papel significativo para a Disney Corporation, pois foi o verdadeiro começo de filmes educativos. Os filmes educativos seria, e ainda são, continuamente produzido e utilizado por militares, escolas, e trabalhadores. [3] A empresa aprendeu a comunicar eficazmente as suas ideias e produzir eficientemente os filmes, enquanto apresentava os personagens da Disney para milhões de pessoas em todo o mundo. Durante todo o resto da guerra, os personagens da Disney efetivamente atuou como embaixadores pelo mundo. Além de A Vitoria pela Força Aérea, a Disney produziu Donald Gets Drafted, Education for Death, Der Fuehrer's Face e vários filmes de treinamento para os militares, reutilizando a animação de Vitória pela Força Aéra em alguns deles. [6]

Uma cena mostrou uma bomba de foguete ficcional destruindo uma caneta-submarino alemã fortificada. De acordo com a anedota, isto inspirou os britânicos desenvolverem uma bomba de foguete real para atacar alvos que foram fortemente protegidos com concreto. Devido a sua origem, a arma ficou conhecido como o da Bomba Disney, teve uso limitado antes do fim da guerra.[7] Em retrospecto, as propostas de algumas propostas de Seversky eram ridicularizadas como impraticável, como operar um longa campanha de bombardeio aéreo em Aleutians, uma série de ilhas no oeste do Alasca, que é uma área remota com um clima que faz as condições de vôos perigosas. [8]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. A Vitória pela Força Aérea no CinePlayers (Brasil)
  2. «Victory Through Air Power». Toonopedia. Consultado em 12 de Dezembro de 2014 
  3. a b «Disney goes to war» (em inglês). Sky Lighters 
  4. a b Gooch, John, ed. Airpower: Theory and Practice (Strategic Studies Series). London: Frank Cass and Co. Ltd., 1995. ISBN 978-0-7146-4657-2.
  5. Combs, James. Film Propaganda and American Politics: Analysis and Filmography. New York: Garland Publishing, 1994. ISBN 0-8153-1322-5.
  6. "Walt Disney Goes to War". Life magazine, August 1942, pp. 61–69.
  7. Spillman, Pat. 92nd Bomb Group (H): Fame's Favored Few. New York: Turner Publishing Company, 1997. ISBN 978-1-56311-241-6.
  8. Tillman, Barrett. Whirlwind: The Air War Against Japan 1942-1945. New York: Simon & Schuster, 2010. ISBN 978-1-4165-8440-7.
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.