Vila de pescador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma vila de pescadores em Paraty, Rio de Janeiro

Um vila de pescador é um vila, usualmente habitadas por pescadores que através da pesca artesanal tiram seus sustentos. Por vezes denominados caiçaras, seus habitantes podem atuar em litorais e águas doces. A economia principal dessas habitações é a pesca e comércio de derivados do mar, contudo atualmente também produzem artesanatos, canoas, redes e utensílios de pesca. As costa dos continentes e ilhas ao redor do mundo possuem cerca de 356.000 kilômetros (cerca de 221.000 milhas) uma parcela destes composta por vila de pescadores.1 Desde o período Neolítico, existem atividades que corroboram a existência destas habitações.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

As vilas de pescadores existem desde a invasão portuguesa no território brasileiro, geralmente formado por índios, e posteriormente por descendente conhecidos como caiçaras. Sofreram grandes pressões entre as décadas de 1960 e 1980 por especuladores imobiliários que tentaram de alguma forma eliminar essa atividade para dar lugar ao movimento turístico e imobiliário. Milhares de vilas de pescadores estão espalhadas pelo continente brasileiros e respondem por uma parcela notória dos derivados do mar que são consumidos no país. Entre as mais notórias estão Canoa Quebrada, Vila de Trindade, Barra do Ribeira, Praia Redonda, Praia do Galeão, Praia do Massaguaçu, Praia da Gamboa e Garça Torta.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (em inglês) CIA World Factbook Updated 9 April 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vila de pescador