Vilar de Maçada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Vilar de Maçada  
—  Freguesia  —
Vilar de Maçada está localizado em: Portugal Continental
Vilar de Maçada
Localização de Vilar de Maçada em Portugal
Coordenadas 41° 19' 35" N 7° 33' 31" O
País  Portugal
Concelho Brasão de armas - Alijó, Portugal.png Alijó
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 20,2 km²
População (2011)
 - Total 915
    • Densidade 45,3/km2 
Código postal 5070-576
Orago Nossa Senhora da Assunção[1]

Vilar de Maçada é uma freguesia portuguesa do concelho de Alijó, com 20,2 km² de área e 915 habitantes (2011). Densidade: 45,3 hab/km².

Pertencente a Vila Real até às Reformas Liberais, em 1834 foi desanexada daquele e elevada a vila e sede de concelho, estatuto que manteve até 1853. Era constituído pelas freguesias de Ribalonga, Vila Verde, Vilar de Maçada, Parada de Pinhão, São Lourenço de Ribapinhão e Torre do Pinhão. Em 1849 tinha 5669 habitantes. Com a extinção do concelho de Vilar de Maçada, as suas freguesias passaram para o concelho de Alijó; em 1855, três delas (as de Pinhão) foram transferidas para o concelho de Sabrosa.

Demografia[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

A Vila de Vilar de Maçada, situada na margem esquerda do rio Pinhão, era já propriedade da Coroa em 1198.

Sendo pela primeira vez mencionada num documento de 1189, a freguesia de Vilar de Maçada é, a partir das Inquirições de 1220, alvo de múltiplas referências documentais.[1]

0 foral de D. Afonso III data de 2 Maio de 1253. Em 1834 Vilar de Maçada torna-se sede de um pequeno concelho que seria extinto por decreto de 31 de Dezembro de 1853.[1]

Consta nesta povoação que antigamente, altura de prosperidade do rei, Vilar de Maçada tinha o nome de “Vilar de Nossa Senhora da Assunção” e num período em que Portugal andava em guerra com Castela, um fidalgo mouro, ao serviço de D. João I, armado de uma maça, matou um soldado castelhano que se preparava para assassinar traiçoeiramente o rei. Em recompensa por esse feito tão corajoso, o rei deu as terras ao mouro, passando estas a chamarem-se de Vilar de Maçada.

Porém, os vestígios pré-históricos, como um sarcófago, os castros que posteriormente foram romanizados, onde foram encontradas lápides consagradas aos deuses romanos, entre as quais uma muito importante, consagrada ao deus Júpiter, são indícios mais do que evidentes da sua humanização de longos séculos.

Figuras Ilustres[editar | editar código-fonte]

  • António de Cristo (1575—1653), frei franciscano.
  • Aurora Dubini (13.05.1897—1962), atriz de teatro com ligações à Companhia Palmira Bastos-Alexandre d'Azevedo[2] [3]
  • José Sócrates (1957—), Primeiro-Ministro de Portugal.
  • Manuel Pinto de Sousa (1860—1934), industrial, jornalista, político e filantropo, amigo de Camilo Castelo Branco.
  • Rodrigo Pinto Pizarro (1788—1841), 1.º Barão da Ribeira de Sabrosa, Primeiro-Ministro de Portugal.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A principal cultura produzida nos seus solos, é a vitivinicultura. Aqui são feitos e produzidos principalmente vinhos Tintos e também vinhos brancos de mesa de uma superior qualidade.

Religião[editar | editar código-fonte]

O orago desta Vila é Nossa Senhora da Assunção[1] e os padroeiros são o Senhor Jesus da Capelinha e Santa Bárbara cuja festa em sua honra se realiza anualmente no segundo domingo do mês de Julho.

No que respeita ao património religioso, existe a igreja matriz, do século XVII (1753), com uma só nave, um altar-mor e quatro altares laterais, todos em talha dourada. O tecto é em madeira, apainelado e com diversas pinturas sagradas a óleo.

Possui ainda um Santuário (de Santa Bárbara e do Senhor Jesus da Capelinha), várias capelas, castros de Vilar de Maçada e Francelos, casas brasonadas de antigas famílias fidalgas como são o caso dos Pizarro Portocarrero, dos Pinto Pizarro, Pinto de Mesquita e Pinto Pimentel, edifício do Centro de Dia, marco Pombalino, fonte pública e lavadouros, alminhas e várias quintas circundantes.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Cabrito assado com arroz de forno, tripas, raia frita ou cozida, favas estufadas com carne de porco, arroz de carne, linguiça, salpicão e vinhos finos e de mesa.

Artesanato[editar | editar código-fonte]

Rendas e bordados, ferrador.

Colectividades[editar | editar código-fonte]

Centro Social, Recreativo e Cultural de Vilar de Maçada; Grupo Artístico e Cultural de Vilar de Maçada; MARCHA VIVA - Associação; "OS CHARRUAS" - Grupo de Bombos; Associação Juvenil Sócio-Cultural de Cabeda; Fábrica da Igreja Paroquial de Vilar de Maçada; Associação para o Desenvolvimento Comunitário de Vilar de Maçada; Associação das Vindimadeiras do Douro;

Referências

  1. a b c d «Paróquia de Vilar de Maçada». Arquivo Distrital de Vila Real. Consultado em 2016-03-26. 
  2. Reis, Luciano (janeiro de 2005). Divas do Teatro português (Lisboa: Sete Caminhos). p. 24. ISBN 989-602-033-7. 
  3. Teatro Diogo Bernardes (PDF) (Ponte de Lima: Arquivo de Ponte de Lima e Câmara Municipal de Ponte de Lima). 1999-03-04. p. 12 (pdf p.14). 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.