Vilazodona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Vilazodona é um Antidepressivo que foi aprovado pela ANVISA para uso no Brasil, em 21/08/2017.[1]

A empresa Clinical data adquiriu os direitos do vilazodona da Merck KGaA em setembro de 2004. Em 2011, a Forest laboratorie comprou a Clinical data, para ficar com a vilazodona.[2]

A dona do registro do medicamento no Brasil e responsável pela comercialização é a empresa allergan farmaceutica.[3]

Vilazodona, que tem o mesmo potencial de antidepressivos como o PROZAC na inibição da recaptação da serotonina. Ou seja, impede que grande quantidade de serotonina seja reabsorvida pelo neurônio que a liberou.

O remédio também "mimetiza" a serotonina, encaixando-se no neurônio receptor 5-HT1a e provocando uma resposta mais rápida.

O medicamento não causa a redução da Libido.[4]

Indicações[editar | editar código-fonte]

Vilazodona é indicado para o tratamento do Transtorno depressivo maior (TDM) em adultos, doença mais conhecida como depressão.[5]

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Diarreia, náusea e sonolência.

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

Segundo o conhecimento médico atual, uma das causas da depressão seria a neurotransmissão deficiente nas sinapses centrais da serotonina (5-HT). Por isso, um agente que aumenta a transmissão de 5-HT seria um eficaz antidepressivo. A vilazodona é um inibidor seletivo da recaptação da serotonina (ISRS) e um agonista parcial dos receptores serotoninérgicos 5-HT1A, o que justifica o seu desenvolvimento para o tratamento do transtorno depressivo maior.[6]

Dose[editar | editar código-fonte]

Está disponível na forma de comprimidos, nas concentrações de 10mg, 20mg e 40mg.[7]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Depressão ganha tratamento novo no Brasil - Notícias». portal.anvisa.gov.br. Consultado em 4 de abril de 2018. 
  2. Editorial, Reuters. «Forest Labs to acquire Clinical Data for $1.2 billion». U.S. (em inglês) 
  3. «Depressão ganha tratamento novo no Brasil - Notícias». portal.anvisa.gov.br. Consultado em 4 de abril de 2018. 
  4. «Folha de S.Paulo - Novo antidepressivo promete não reduzir desejo sexual - 28/01/2011». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 4 de abril de 2018. 
  5. «Depressão ganha tratamento novo no Brasil - Notícias». portal.anvisa.gov.br. Consultado em 4 de abril de 2018. 
  6. «Depressão ganha tratamento novo no Brasil - Notícias». portal.anvisa.gov.br. Consultado em 4 de abril de 2018. 
  7. «Depressão ganha tratamento novo no Brasil - Notícias». portal.anvisa.gov.br. Consultado em 4 de abril de 2018.