Viloxazina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Viloxazina
Alerta sobre risco à saúde
Viloxazine.svg
(±)-Viloxazine Structural Formulae.png
Identificadores
Número CAS 46817-91-8,(viloxazina)
35604-67-2 (cloridrato de viloxazina)
PubChem 5666
Código ATC N06AX09
Propriedades
Fórmula química C13H19NO3
Massa molar 237.28 g mol-1
Ponto de fusão

185-186 °C (cloridrato de viloxazina) [1]

Farmacologia
Compostos relacionados
Compostos relacionados Teniloxazina (em vez do etoxi, um tiofen-2-il-metil)
Reboxetina (mais um fenil)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Viloxazina é um fármaco antidepressivo bicíclico.

A Viloxazina é um derivado da Morfolina e é um Inibidor seletivo da recaptação da norepnefrina. Foi utilizado como um antidepressivo em alguns países europeus, e produziu um efeito Estimulante que é semelhante às Anfetaminas, exceto sem quaisquer sinais de dependência. Foi descoberto e introduzido no mercado em 1976 pela Imperial Chemical Industries e foi retirado do mercado no início dos anos 2000 por razões comerciais.[2]

Farmacocinética[editar | editar código-fonte]

A meia-vida do Fármaco está na gama 2-5 h com níveis sanguíneos máximos ocorrendo em 1-4 h depois da dose oral. Os níveis sanguíneos máximos são proporcionais à dose oral. O fármaco é muito bem absorvido por via oral, aparecendo apenas 2% nas fezes. A dose repetida a intervalos de 4 horas conduz a níveis sanguíneos ligeiramente mais elevados após a segunda, mas não subsequentes doses. Nenhuma acumulação foi observada de semana para semana em pacientes deprimidos. Não se observou qualquer diferença de sexo nas características farmacocinéticas do cloridrato de viloxazina, mas em um estudo, duas fêmeas mostraram um nível sanguíneo máximo marcadamente superior e uma Meia-vida aparentemente mais longa do que nos machos. Viloxazina é rapidamente e quase que totalmente absorvida após uma dose oral e tem uma meia-vida mais curta do que os Antidepressivo tricíclicos.[3]

Usos[editar | editar código-fonte]

Viloxazina foi usado para tratar os sintomas do Transtorno depressivo maior. Atualmente, (2018) esta sendo estudada pelo laboratório americano Supernus Pharmaceuticals, para o tratamento do TDAH.[4]

Referências

  1. The Merck Index. An Encyclopaedia of Chemicals, Drugs and Biologicals. 14. Auflage, 2006, S. 1716, ISBN 978-0-911910-00-1.
  2. «Viloxazine». DrugBank. 8 de dezembro de 2016 
  3. Bayliss, PF; Case, DE (1 de junho de 1975). «Blood level studies with viloxazine hydrochloride in man.». British Journal of Clinical Pharmacology (em inglês). 2 (3): 209–214. ISSN 0306-5251. doi:10.1111/j.1365-2125.1975.tb01577.x 
  4. «Supernus readies Phase 3 after positive ADHD data». BioPharma Dive (em inglês)