Vimeca / Lisboa Transportes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vimeca
Lisboa Transportes
Privada
Slogan Transportamos pessoas
Fundação 1931
Sede Queluz de Baixo, Barcarena, Oeiras
Área(s) servida(s)
Empresa-mãe Grupo Guanabara
Website oficial vimeca.pt
Autocarros n.º 241 da LT e, atrás, n.º 290 da Vimeca, em 2020 em Algés.
Autocarro n.º 705 da LT em 2015, junto aos Jerónimos.
Autocarro n.º 315 da Vimeca em 2015, no Marquês de Pombal.

A Vimeca / Lisboa Transportes foi uma empresa portuguesa de transportes públicos coletivos que operava uma rede de autocarros nos concelhos de Oeiras, Amadora, Cascais e Sintra, com ligações a Lisboa (Marquês de Pombal, Colégio Militar, Belém e Praça de Espanha). Umas carreiras mantiveram-se identificadas comoVimeca e outras, nomeadamente as que passam por Lisboa, como Lisboa Transportes, por uma questões históricas,[carece de fontes?] muito depois da fusão das duas empresas.[quando?] A Vimeca / Lisboa Transportes fundir-se-á por sua vez com a Scotturb em 2023, dando origem à Viação Alvorada, uma das 4 operadoras concessionárias da Carris Metropolitana.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Vimeca foi fundada em 21 de Setembro de 1931[2], com o seu nome a significar Viação Mecânica de Carnaxide. Inicialmente fazia uma ligação entre Carnaxide e Algés usando um veículo de tracção animal. Adquiriu o seu primeiro veículo automóvel ainda na década de 1930 e desde então tem crescido no concelho de Oeiras.[carece de fontes?]

Na década de 1970 começa a fazer ligações directas a Lisboa. Devido à sua reduzida dimensão não foi, ao contrário de outras congéneres, nacionalizada em 1975 para a criação da Rodoviária Nacional.[carece de fontes?] Em 1995, no processo de privatização da Rodoviária de Lisboa (entratanto desmembrada da Rodoviária Nacional), a Vimeca adquire os antigos Centros Autónomos de Transportes 3 e 4 da R.N., tendo-se criado para a respetivas carreiras a designação adicional de Lisboa Transportes.[carece de fontes?]

Tanto a Scotturb como a Vimeca Transportes foram vendidas pelo grupo Imorey, em 2017, ao empresário brasileiro Francisco Feitosa, dono da empresa rodoviária Vega S/A Transporte Urbano.[3][4] Apesar de pertencerem ao mesmo grupo, tanto a Vimeca / Lisboa Transportes como a Scotturb operavam independentemente, sem qualquer integração horária ou tarifária específica.[carece de fontes?] Em finais da década de 2010, a empresa empregava 401 motoristas responsáveis por 225 autocarros, efectuando 79 carreiras[5] que transportavam diariamente 175 mil passageiros.[carece de fontes?]

A 1 de Janeiro de 2023, na sequência da implantação da Carris Metropolitana na Grande Lisboa, a Vimeca / Lisboa Transportes irá fundir-se com a Scotturb, ambas ainda propriedade do mesmo grupo, dando origem à Viação Alvorada.[1]

Operação[editar | editar código-fonte]

Autocarros da Scotturb e da Vimeca partilhando uma paragem na estação de Oeiras, em 2018.

A sede da Vimeca localiza-se em Queluz de Baixo, concelho de Oeiras, onde tem as suas instalações oficinais e estação de recolha.

No âmbito do serviço regular de passageiros, dada a área em que presta serviço, as carreiras da Vimeca permitem a realização de três funções ao longo dos concelhos que serve:

Ligações transversais[editar | editar código-fonte]

As ligações transversais são aquelas que permitem a ligação entre as linhas de Sintra e de Cascais. Com esta função, desde a linha de Cascais os autocarros partem de Belém, Algés, Cruz Quebrada, Caxias, Paço d’Arcos e Oeiras. Da linha de Sintra os autocarros partem de Santa Cruz-Damaia, Amadora, Queluz-Belas, Monte Abraão e Agualva-Cacém.

Postalete da 24F no terminal rodoviário da estação de Agualva-Cacém.

Carreiras[editar | editar código-fonte]

Vimeca[editar | editar código-fonte]

As designações de carreira da Vimeca, numericamente na gama 1-35, apresentam-se por vezes com zeros à esquerda a colmatar três algarismos — atingindo mesmo quatro posições nas carreiras com identificação literal adicional. Dada a sinalética disponível ao público[6] e a documentação interna,[7] porém, a posição da empresa parece ser a de não incluir estes zeros não-significativos.

Veículo Alegro Bus (n.º 720) em Belém com destino a Alcântara, em 2015.
Alegro Bus[editar | editar código-fonte]

O Alegro Bus foi um serviço gratuito que fazia a ligação de dois destinos, Alcântara (via Algés) e Amadora (via Estação Queluz-Belas), ao Centro Comercial Alegro Alfragide, sendo, nos percursos ascendentes, esta última paragem a única onde se permitia descida de passageiros, bem como, nos descendentes, a única onde de admitia entrada de passageiros. Criado antes de 2015,[quando?] contava com duas carreiras, ambas com oito circulações diárias em cada sentido:[8][9]

O serviço era operado pela Vimeca e foi suspenso a partir de 1 de julho de 2022 devido à mudança para a Carris Metropolitana.[10]

Lisboa Transportes[editar | editar código-fonte]

Autocarro n.º 685 da Vimeca em 2015, fazendo a carreira 149 em Belém.
Postaletes da 106 e 115 na Estação de Oeiras.

Referências

  1. a b «Novos autocarros da Grande Lisboa operados por quatro empresas». Dinheiro Vivo. 15 de setembro de 2020. Consultado em 30 de maio de 2022 
  2. «Transportes em Movimento. Vimeca.». Consultado em 9 de Maio de 2010 
  3. Leandro Ferreira: “VIMECA adquirida por Francisco FeitosaTransportes XXI (2017.04.20)
  4. Villalobos, Luís (20 de abril de 2017). «Transportes. Empresário brasileiro compra grupo de autocarros Vimeca». PÚBLICO 
  5. Lista oficial comunicada à A.M.L. e disponibilizada em TransporLis.pt, consultada em 2020.12.04
  6. File:Agualva-Cacém train station 7.jpg
  7. Horários em vigor: Vimeca.pt
  8. a b c «Alegro Bus: O Seu Transporte Gratuito | Alegro Alfragide». Alegro (arquivo). 3 de agosto de 2020. Consultado em 31 de agosto de 2022 
  9. «Alegro Bus - Horários e percursos» (PDF). Alegro. Consultado em 1 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2022 
  10. «Alegro Bus | Agenda». Alegro Alfragide. Consultado em 27 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2022 

Notas

  1. Por tempo indeterminado, a paragem terminal da 115 foi alterada[quando?] para o Marquês de Pombal, devido às obras na Praça de Espanha.[1][2] Foram adicionadas paragens novas em Lisboa: Viaduto Duarte Pacheco, Amoreiras, Campolide e Parque Eduardo VII (Estufa Fria) - Terminal: Marquês de Pombal.[3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]