Vinícius Cantuária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vinícius Cantuária
Informação geral
Nome completo Carlos Vinícius Silva Cantuária
Nascimento 29 de abril de 1951 (67 anos)
Origem Manaus
 Amazonas
País  Brasil
Gênero(s) Pop rock e MPB
Instrumento(s) vocal, bateria, violão e guitarra
Período em atividade década de 1970—presente
Outras ocupações Compositor e multi-instrumentista

Vinícius Cantuária (Manaus, 29 de abril de 1951) é um cantor, multi-instrumentista e compositor brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira profissional no início dos anos 1970, como baterista do grupo O Terço, com o qual atuou até 1972.

Nos anos de 1975 e 1976 integrou a Banda Atômica, que acompanhava Jorge Mautner em shows e gravações. Atuou, também, com Luiz Melodia, Gilberto Gil e Caetano Veloso.

Em 1981, teve seu primeiro grande sucesso como compositor, com a gravação de sua canção "Lua e estrela", incluída no repertório do disco de Caetano Veloso "Outras palavras", que atingiu a marca de 100 mil cópias vendidas.

No ano seguinte, gravou seu primeiro LP como artista solista, "Vinícius Cantuária", com destaque para sua composição "Coisa linda", música que viria a figurar nas paradas de sucesso.

Ainda na década de 1980, lançou os LPs "Gávea de manhã" (1983), "Sutis diferenças" (1984), "Siga-me" (1985) e "Nu Brasil". Atuou, nessa época, com Chico Buarque, com quem excursionou em turnê de shows do disco "Francisco".

Apresentou-se em Portugal durante o ano de 1989.

Lançou, em 1991, o CD "Rio Negro".

Fez parte, ao lado de Ritchie, Cláudio Zoli, Dadi e Mu Carvalho, do grupo Tigres de Bengala, com o qual lançou um CD, em 1993.

Em seguida, mudou-se para os Estados Unidos, onde gravou os CDs "Sol na cara" (1996), produzido por Arto Lindsay, e "Tucumã" (1999). Em 2001, participou do disco "Look Into The Eyeball", de David Byrne.

Em 2011, lançou o CD “Samba carioca”, contendo suas canções “Praia Grande” (c/ Marcos Valle), “Orla” (c/ Liminha, Marcos Valle e Dadi), “Fugiu” (c/ Arto Lindsay), “Só ficou saudade (c/ Paulo Sergio Valle), “Berlim”, “Julinha de Botas” e “Conversa fiada”, além de “Vagamente” (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli) e “Inútil paisagem” (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira).

Em 2013, formou, com Dadi e o compositor e guitarrista norte-americano Jesse Harris (autor de “Don’t know why”, sucesso na voz da cantora Norah Jones) o Trio Estrangeiros, com o qual fez uma turnê de shows pelo Japão. Antes de seguir viagem, estreou o show no espaço Vizta (RJ), pelo projeto “Bossa, jazz e muito mais”

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 2015 - Vinicius canta Antonio Carlos Jobim
  • 2013 - Índio de Apartamento - (E1 Music/Naive)
  • 2012 - Ricardo Silveira & Vinicius Cantuária
  • 2011 - Lágrimas Mexicanas - (E1 Music/Naive)
  • 2009 - Samba Carioca - (Naive)
  • 2007 - Cymbals - (Naive)
  • 2005 - Silva - (Hannibal/Rykodisc)
  • 2004 - Horse and Fish - (Bar None/Rykodisc)
  • 2003 - Live: Skirball Center - (Kufala)
  • 2001 - Vinícius - (Transparent Music)
  • 1999 - Tucumã - (Verve/Polygram)
  • 1998 - Amor Brasileiro - (For Life - apenas no Japão)
  • 1996 - Sol Na Cara - (For Life/Gramavision)
  • 1993 - Tigres de Bengala - (com Ritchie e Cláudio Zoli)
  • 1991 - Rio Negro - (Chorus/Som Livre)
  • 1986 - Nu Brazil - (EMI/Brazil)
  • 1985 - Siga-me - (EMI/Brazil)
  • 1984 - Sutis Diferenças - (EMI/Brazil)
  • 1983 - Gávea de Manhã - (BMG/Ariola)
  • 1982 - Vinícius Cantuária - (BMG/Ariola)

Referências

  1. Da redação (29 de agosto de 2008). «Por onde anda Vinícius Cantuária, autor do hit 'Só Você'». Ego – Globo.com. Consultado em 19 de agosto de 2014. 

http://dicionariompb.com.br/vinicius-cantuaria/dados-artisticos