Vincente Minnelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Vincente Minnelli, pseudônimo de Lester Ant

Vincente Minnelli
Informação geral
Nome completo Lester Anthony Minelli
Nascimento 28 de fevereiro de 1903
Chicago, Illinois, EUA
País  Estados Unidos
Data de morte 25 de julho de 1986 (83 anos)
Local de morte Beverly Hills, Califórnia,
 Estados Unidos
Ocupação(ões) Cineasta
Cônjuge Judy Garland (1945-1951)

hony Minelli, (Chicago, 28 de fevereiro de 1903Beverly Hills, 25 de julho de 1986) foi um cineasta norte-americano e considerado um dos criadores do moderno musical.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era o filho mais novo de Mina Le Beau (uma franco-americana) e de Vincent Charles Minnelli (um ítalo-americano), condutor musical do Minnelli Brothers´ Tent Theater. Começou sua carreira com os pais como ator de espetáculos itinerantes e depois trabalhou como cenarista em Chicago e figurinista em Nova York.

Em 1936 estreou na direção teatral, fazendo na Broadway, "All home abroad". Em Hollywood, assinou contrato com a Metro Goldwyn Mayer e entre 1942 e 1962 dirigiu 29 filmes.

Ele dirigiu Meet Me in St. Louis (1944), quando namorou a estrela Judy Garland. Eles se casaram no ano seguinte tiveram sua filha única, Liza Minnelli, que cresceu e tornou-se uma estrela do cinema e dos palcos como cantora e atriz, inclusive vencedora do Óscar pelo filme "Cabaret".

Diretor de mais de 30 filmes, ele era considerado um renovador dos musicais norte-americanos e um grande vencedor de Óscares com filmes como "Um Americano em Paris" e "Gigi".

Ele se divorciou de Judy Garland em 1951 e quando morreu, em casa, dormindo, aos 83 anos, estava casado com Lee Minnelli. Encontra-se sepultado no Forest Lawn Memorial Park (Glendale), Glendale, Los Angeles, nos Estados Unidos.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Indicado ao Oscar de melhor diretor em 1952 por Sinfonia de Paris, e em 1959 por Gigi; venceu por este último.
  • Indicado ao Bafta em 1960 pelo filme Gigi.
  • Indicado no Festival de Cannes ao Grande Prêmio do Festival em 1952, por Sinfonia de Paris, e em 1960 indicado à Palma de Ouro por Gigi.
  • Indicado ao Globo de Ouro de melhor diretor em 1952 por Sinfonia em Paris; em 1957 por Sede de Viver; e em 1959 por Gigi; ganhou por este último.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]