Vinicius Farah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vinicius Farah
Vinicius Farah discursando em evento do SEBRAE.
Deputado federal pelo Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2019[1]
até a atualidade
Prefeito de Três Rios
Período 1º de janeiro de 2009
até 31 de dezembro de 2016
Antecessor Celso Jacob
Sucessor Josimar Salles
Vice-prefeito de Três Rios
Período 1º de janeiro de 2005
até 31 de dezembro de 2008
Prefeito Celso Jacob
Antecessor Waldeth Brasiel
Sucessor Ze Ricardo
Dados pessoais
Nome completo Vinicius Medeiros Farah
Nascimento 21 de junho de 1965 (54 anos)
Três Rios, RJ
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Pai: José Michel Farah
Alma mater Centro Universitário Carioca
Partido MDB
Profissão Empresário
Político
Website [1]

Vinicius Medeiros Farah (Três Rios, 21 de junho de 1965) é um empresário e político brasileiro. Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Vinicius Farah foi prefeito de Três Rios entre 2009 e 2016 e vice-prefeito do município entre 2005 e 2008. Desde fevereiro de 2019 é deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro na 56ª Legislatura da Câmara dos Deputados do Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vinicius Farah é formado em marketing pelo Centro Universitário Carioca. Iniciou sua carreira na política aos 23 anos, quando foi o quarto vereador mais votado de Três Rios em 1988. Foi prefeito do município de Três Rios de 2009 a 2016, tendo sido anteriormente vice-prefeito entre 2005 e 2008. Por ocasião de sua gestão na prefeitura trirriense, Vinicius foi o vencedor das edições de 2012 e de 2014 do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, tanto no âmbito estadual quanto no federal, na categoria Melhor Projeto.[2]

De fevereiro de 2017 a abril de 2018, foi presidente do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ).[3][4] Nas eleições de 2018, Vinicius Farah foi candidato a deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro, ocasião em que foi eleito para a 56ª legislatura (2019–2023) da Câmara dos Deputados do Brasil. No pleito, como candidato do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Farah obteve 57.707 votos.[5][6]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Apreensão de veículos do Detran-RJ[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de agosto de 2018, uma equipe de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) apreendeu 30 veículos, sendo 6 ônibus, 2 vans e 22 carros, que teriam sido alugados pelo Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ) para o transporte de pessoas para o local onde a candidatura de Vinicius Farah ao cargo de deputado federal nas eleições de 2018 seria lançada, em Três Rios. Outros 6 carros do Detran-RJ foram apreendidos no dia seguinte junto com seus Boletins de Transporte Diário (BDTs), que comprovaram o deslocamento dos veículos até Três Rios no dia anterior. A ação de fiscalização foi realizada após o TRE-RJ receber denúncias e colher informações em diligências a respeito do uso da máquina administrativa do Detran-RJ em benefício da campanha eleitoral de Farah.[7]

A assessoria de imprensa de Vinicius Farah afirmou que os carros apreendidos pelo TRE-RJ foram alugados pela coordenação da campanha eleitoral do político e que os ônibus e vans apreendidos não tinham qualquer vínculo com a campanha. Já a assessoria de imprensa do Detran-RJ negou a informação de que teria alugado veículos para o lançamento da candidatura de Farah.[7]

Operação Furna da Onça[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Operação Furna da Onça

No dia 8 de novembro de 2018, Vinicius Farah foi preso por policiais federais que cumpriam mandado de prisão temporária expedido pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) no âmbito da Operação Furna da Onça.[8] O político entregou-se à Polícia Federal em Brasília no mesmo dia da deflagração da operação.[9] Farah havia presidido de 2017 a 2018 o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), um dos órgãos estaduais onde, de acordo com as investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato, parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) alocavam mão de obra comissionada ou terceirizada por votarem favoravelmente aos interesses do Grupo Facility/Prol, vencedora dos contratos para fornecimento de mão de obra nos postos do Detran-RJ, na Alerj.[10] Outro alvo da operação foi Leonardo Silva Jacob, sucessor de Vinicius Farah na presidência do Detran-RJ.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Vinicius Farah declarou que confia na Justiça e que a situação seria devidamente elucidada.[11] O mandado de prisão temporária de Farah não foi renovado e nem convertido para prisão preventiva, sendo o político solto poucos dias após ser preso.[12]

Operação Barão de Entre-Rios[editar | editar código-fonte]

Em 30 de janeiro de 2019, a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) deflagrou uma operação, denominada Operação Barão de Entre-Rios, que visa investigar o suposto enriquecimento ilícito de Vinicius Farah. Os agentes cumpriram 18 mandados de busca e apreensão e 10 de bloqueio de contas bancárias nos municípios do Rio de Janeiro e de Três Rios. Investigações feitas anteriormente indicaram que o patrimônio do político é incompatível com o declarado em eleições passadas.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Deputados federais eleitos pelo RJ tomam posse nesta sexta; veja lista». G1. 1º de fevereiro de 2019. Consultado em 2 de fevereiro de 2019 
  2. «Sobre». Site pessoal de Vinicius Farah. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  3. Gasparian, Levy (21 de fevereiro de 2017). «Vinícius Farah é o novo presidente do Detran RJ». Entre Rios Jornal. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  4. Teixeira, Fábio (6 de abril de 2018). «Estado e município do Rio trocam 15 cargos de comando em uma semana». O Globo. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  5. «Deputados federais eleitos no RJ; veja lista». G1. 7 de outubro de 2018. Consultado em 26 de dezembro de 2018 
  6. «Deputados federais eleitos no Rio de Janeiro». Gazeta do Povo. 7 de outubro de 2018. Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  7. a b Heringer, Carolina (23 de agosto de 2018). «TRE acusa Detran de alugar veículos para levar eleitores a lançamento de candidatura». O Globo. Consultado em 20 de fevereiro de 2019 
  8. Barreira, Gabriel (8 de novembro de 2018). «Corregedor e candidato à presidência da Alerj estão entre presos da Lava Jato; entenda quem é quem». G1. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  9. Martins, Marco (8 de novembro de 2018). «Procurados na operação Furna da Onça, atual e ex-presidente do Detran se apresentam à PF». G1. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  10. Martins, Marco (9 de novembro de 2018). «Deputados presos pela PF lotearam postos do Detran em 20 municípios do RJ, diz MPF». G1. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  11. Coelho, Henrique (8 de novembro de 2018). «'Mensalinho' da Alerj movimentou ao menos R$ 54 milhões: 'Propinolândia', diz procurador». G1. Consultado em 20 de fevereiro de 2019 
  12. Lisboa, Vinícius (13 de novembro de 2018). «TRF-2 torna deputados estaduais do Rio presos preventivos». Agência Brasil. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  13. Nascimento, Rafael (30 de janeiro de 2019). «Deputado federal eleito é alvo de operação da Polícia Civil». O Dia. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vinicius Farah