Vipera palaestinae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaVipera palaestinae
Vipera palaestina.jpg

Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Subordem: Serpentes
Família: Viperidae
Género: Vipera
Espécie: V. palaestinae
Nome binomial
Vipera palaestinae
F. Werner, 1938
Distribuição geográfica
Daboia palaestinae distribution.png
Sinónimos
  • Vipera palaestinae F. Werner, 1938
  • Vipera xanthina palaestinae
    Mertens, 1952
  • Vipera palistinae [sic] Minton, 1971
  • Daboia (Daboia) palaestinae
    Obst, 1983
  • Daboia palestinae [sic]
    — Esterbauer, 1987
  • Vipera palgestinae [sic]
    Garcia, Huang & Perez, 1989
  • Vipera palaestinae
    — Golay et al., 1993[1]

Vipera palaestinae[2][3] é uma espécie de víbora venenosa endêmica da região que abrange a Síria ocidental, noroeste da Jordânia, norte e centro de Israel e Líbano.[1][4] Ela é considerada a maior causa mordeduras de cobra nessa área.[5] Nenhuma subespécie é atualmente reconhecida.[6]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Ela cresce até um comprimento (corpo + cauda) de 70 a 90 cm, com comprimento total máximo de 130 cm.[2]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Pode ser encontrada no norte e centro de Israel, oeste da Síria, noroeste da Jordânia e Líbano.[1][4][7] Mallow et al. (2003) descrevem a distribuição geográfica como relativamente restrita, com a distribuição concentrada nas planícies costeiras do Mediterrâneo e nas colinas do interior do Líbano e de Israel, juntamente com as regiões limítrofes da Síria e da Jordânia.[2]

Estado de conservação[editar | editar código-fonte]

Esta espécie é classificada como pouco preocupante (LC) de acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN (v3.1, 2001).[7] Foi-lhe dado esse estatuto devido à sua distribuição relativamente ampla, o fato de que ela é encontrada em uma vasta gama de habitats, a sua população presumida é grande, e porque é pouco provável que esteja em declínio rápido o suficiente para se qualificar para listagem em uma categoria mais ameaçada. A tendência populacional é desconhecida. Ano de avaliação: 2005.[8]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A classificação desta espécie resultou em muita controvérsia taxonômica. Antes de Franz Werner (1938), esta serpente foi incluída como V. xanthina e, posteriormente, como sinónimo de V. lebetina por Boulenger (1896). Mertens (1952) mudou de volta para V. xanthina como uma subespécie, e, mais recentemente, uma série de autores, incluindo Obst (1983) e Mallow et al. (2003) incluíram-na no gênero Daboia.[2] Como resultado muitos estudos relacionados a esta espécie clinicamente relevante foram publicados sob diferentes nomes científicos.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c McDiarmid RW, Campbell JA, Touré T. 1999. Snake Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference, Volume 1. Herpetologists' League. 511 pp. ISBN 1-893777-00-6 (series). ISBN 1-893777-01-4 (volume).
  2. a b c d e Mallow D, Ludwig D, Nilson G. 2003.
  3. Mehrtens JM. 1987.
  4. a b O'Shea, Mark (2008).
  5. U.S. Navy. 1991.
  6. "Vipera palaestinae".
  7. a b Daboia palaestinae at the IUCN Red List.
  8. 2001 Categories & Criteria (version 3.1) at the IUCN Red List.

Outras leituras[editar | editar código-fonte]

  • Golay P, Smith HM, Broadley DG, Dixon JR, McCarthy CJ, Rage J-C, Schätti B, Toriba M. 1993. Endoglyphs and Other Venomous Snakes of the World. Geneva: Azemiops. 478 pp.
  • Werner F. 1938. Eine verkannte Viper ( Vipera palaestinae n. sp.). Zoologischer Anzeiger 122: 313-318.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vipera palaestinae
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Vipera palaestinae
Ícone de esboço Este artigo sobre cobras, integrado no Projeto Anfíbios e Répteis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.